Parábola da Figueira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Parábola da Figueira é uma parábola contada por Jesus nos evangelhos sinóticos e encontrada em Mateus 24:32-35, Marcos 13:28-31 e Lucas 21:29-33. Esta parábola, sobre o Reino de Deus, envolve uma figueira, assim como a Parábola da Figueira Estéril, que não deve ser confundida com esta.

Narrativa[editar | editar código-fonte]

De acordo com o Evangelho de Lucas:

«E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira, e para todas as árvores; Quando já têm rebentado, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto. Em verdade vos digo que não passará esta geração até que tudo aconteça. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar.» (Lucas 21:29-33)

Interpretação[editar | editar código-fonte]

A parábola é uma de uma seqüência de respostas para uma pergunta no Evangelho de Mateus:

«Enquanto estava sentado no monte das Oliveiras, os discípulos aproximaram-se-lhe em particular, dizendo: 'Dize-nos quando sucederão estas coisas e qual será o sinal da tua vinda e do fim do mundo?'» (Mateus 24:3)

Outras parábolas nesta seqüência incluem a Parábola das Dez Virgens (Mateus 25:1-13) e a Parábola do Servo Fiel (Mateus 24:42-51). A parábola das Dez Virgens reforça o convite à prontidão perante o nosso desconhecimento da Segunda Vinda de Cristo[1] . Ela já foi descrita como uma "parábola de vigília"[2] .

Lucas apresenta esta parábola como tendo uma natureza escatológica:[3] como as folhas da figueira, os sinais apresentados pelo "Discurso das Oliveiras", de Lucas 21:5-28, indicam a vinda do Reino de Deus.

Uma interpretação alternativa é que a figueira representaria a nação de Israel sendo politicamente re-estabelecida em suas terras novamente. Assim, quando o estado moderno de Israel foi fundado em 14 de maio de 1948, Hal Lindsey concluiu que estaríamos na última geração[4] [5] . Muitos acadêmicos, porém, discordam desta visão[6] [7] [8] , apontando principalmente que Mateus não fala nada sobre Israel em todo o seu evangelho. Além disso, Lucas diz " Olhai para a figueira, e para todas as árvores". Não apenas uma árvore, mas muitas. Assim Jesus estaria se referindo às árvores em geral e não à figueira em particular que representaria Israel[9] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Parábola da Figueira

Referências

  1. R. T. France,The Gospel According to Matthew: An introduction and commentary, Eerdmans, 1985, ISBN 0802800637, pp. 349-352.
  2. Wikisource-logo.svg "Parables" na edição de 1913 da Catholic Encyclopedia (em inglês)., uma publicação agora em domínio público.
  3. Bernard Brandon Scott, Hear Then the Parable: A commentary on the parables of Jesus, Fortress Press, 1989, ISBN 0800624815, pp. 338-340.
  4. Lindsey, Hal. The Late Great Planet Earth. Grand Rapids, MI. Zondervan, 1970.
  5. Lindsey, Hal. 1977. Eternity, January 1977
  6. “Charting the End Times”, Tim LaHaye and Thomas Ice, page 37
  7. Systematic Theology Vols 5&6” by Louis Sperry Chafer, Kregel Publications & Dallas Theological Seminary, 1976, pg. 127
  8. (The Late Great Planet Earth, Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1970, pages 53-54)
  9. “The Parable of the Fig Tree Matthew 24:32-36”, by George E. Meisinger dean of Chafer Theological Seminary