Parábola dos Dois Filhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Parábola dos Dois Filhos é uma parábola de Jesus encontrada apenas em Mateus 21:28-32. Ela contrasta os cobradores de impostos e as prostitutas que aceitaram a mensagem ensinada por João Batista com os "religiosos", que não o creram.

Narrativa bíblica[editar | editar código-fonte]

«Mas que vos parece? Um homem tinha dois filhos; chegando ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha. Ele respondeu: Irei, senhor; e não foi. Chegando ao segundo, disse-lhe o mesmo. Porém este respondeu: Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? Responderam eles: O segundo. Declarou-lhes Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entrarão primeiro do que vós no reino de Deus. Pois João veio a vós no caminho da justiça e não lhe destes crédito, mas os publicanos e as meretrizes lho deram; e vós, vendo isto, nem vos arrependestes depois, para lhe dardes crédito.» (Mateus 21:28-32)

Interpretação[editar | editar código-fonte]

Nesta parábola, Jesus fala para aqueles que acreditavam estar sem pecado. Os pagãos, os cobradores de impostos e as prostitutas estavam aceitando a mensagem ensinada por João Batista e estavam arrependidos. A mensagem da parábola não é que essas pessoas eram boas, mas "que as pessoas religiosas eram piores"[1] .

A Parábola do Fariseu e do Publicano tem um tema um semelhante.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências