Paraíso do Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de Paraíso do Norte
"Inferno Verde"
Bandeira de Paraíso do Norte
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 12 de março
Fundação 1950
Gentílico norte-paraisense
Lema Scientia et labor
Prefeito(a) Carlos Alberto Vizzotto (PT)
(2009–2012)
Localização
Localização de Paraíso do Norte
Localização de Paraíso do Norte no Paraná
Paraíso do Norte está localizado em: Brasil
Paraíso do Norte
Localização de Paraíso do Norte no Brasil
23° 16' 51" S 52° 36' 07" O23° 16' 51" S 52° 36' 07" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Noroeste Paranaense IBGE/2008 [1]
Microrregião Paranavaí IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Guaporema, Mirador, Nova Aliança do Ivaí, Rondon, São Carlos do Ivaí, São Manoel do Paraná, Tamboara.
Distância até a capital 500 km
Características geográficas
Área 204,565 km² [2]
População 11 781 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 57,59 hab./km²
Altitude 500 m
Clima subtropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,763 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 89 990,160 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 663,30 IBGE/2008[5]
Página oficial

Paraíso do Norte é um município brasileiro do estado do Paraná. Conta com uma população de 11.743 habitantes.A uma altitude média de 600 metros, está localizado na região noroeste do estado.

História[editar | editar código-fonte]

O desbravamento do norte e noroeste paranaense divide-se em três ciclos:

Ciclos[editar | editar código-fonte]

Primeiro Ciclo: A Era dos Bandeirantes Em meados de 1619, Raposo Tavares auxiliado por cerca de 2000 mamelucos, fez posse de todo o Vale do Ivaí.Nessa ocasião, uma cidade chamada de Vila Rica, comandada por um bispo de Assunção - Paraguai, que catequizava os índios.Raposo, como bandeirante, matava e freava os índios.O bispo interferiu e disse que mudaria toda a cidade para o oeste paraguaio. Segundo Ciclo: Brasil Colonial

Portanto, encontrando facilidade para penetrar, a região de Campo Mourão atraiu colonizadores e aventureiros que se arriscavam através de picadões e trilhas. Terceiro Ciclo:Colonização do Vale do Ivaí

A colonizadora Companhia de Melhoramentos do Norte do Paraná, fez o desenvolvimento partindo de Ourinhos para cá. Iniciando com as vendas de pequenos lotes de terras e fundando as cidades.Assim,vários núcleos foram surgindo culminando com Londrina e Maringá, verdadeiros exemplos do que pode a iniciativa privada.

Apesar de haver outras colonizadores, a principal contribuição foi mesmo da Companhia de Melhoramentos do Norte do Paraná, originando:Rondon, Região de Gaúcha, Mirador, Guaporema, Paranavaí, Cruzeiro do Oeste e também Paraíso do Norte.

Segundo o engenheiro civil Leôncio de Oliveira Cunha, foi dele, a penetração que veio a serviço do Governo do Estado do Paraná, do departamento de geografia e da colonização, e em 1943, para fazer a demarcação das glebas de toda esta região.

A procura de lotes por compradores foi tão grande, que esses ficaram conhecidos por "Jacu", vindos de todas as partes do Brasil.

Leôncio Cunha resolveu escolher um local para a fundação de uma vila. De uma “corruptela”, como ele próprio dizia. A vila nasceu e cresceu, as margens dos ribeirões Palmital e Suruquá, no espigão divisor entre essas águas que fazem parte da bacia do Rio Ivaí, pertencente ao terceiro planalto paranaense.

Fundação e criação[editar | editar código-fonte]

A partir de 1950, Leôncio de Oliveira Cunha, que até então estava a serviço do estado paranaense, deixou o compromisso com o estado de lado e passou a colonizar por conta própria, começando, assim, por Paraíso do Norte, 1949.

Em 12 de março de 1950, foi fundado Paraíso do Norte, com a inauguração da primeira escolinha, a qual nomearam Manuel Ribas. Neste mesmo dia foi rezada a primeira missa, com o Bispo D. Geraldo de Paulo Sigoto, único Bispado da Região.

Depois, no ponto mais alto da cidade, na avenida Tapejara, foi aberto um clarão com a intenção de se construir um igreja.Percebendo que aquele ponto seria de potencial para a criação do comércio, mudou um quarteirão para trás, na rua Olavo Bilac, onde a Igreja Nossa Senhora Aparecida, se encontra até hoje.

O nome do município originou-se de uma situação engraçada. Quando os primeiros colonizadores trabalhavam na abertura da cidade, a situação era complicada, assolados pela fome, sede, doenças, mosquitos, cobras e animais de todos os tipos, os que aqui residiam, ao chegarem em Londrina, no escritório, em contato com os engenheiros, referiam-se a Paraíso do Norte como "Inferno Verde". Ao fazer o mapa da planta da cidade, o engenheiro colocou o nome de “Inferno Verde”. O senhor Leôncio foi feliz levar o mapa para sua esposa dizendo que ia fazer uma cidade aqui, com o nome de “Inferno Verde”. D. Lazarina pensou um pouco e contestou que o nome para o futuro iria ser prejudicial ao destino da cidade. Sugerindo que de “Inferno Verde” passasse para “Paraíso do Norte”. As terras pertenciam ao município e comarca de Mandaguari. Com a criação do Município de Paranavaí passou a pertencer a este. Desta forma, foi criada uma sub-prefeitura, e nomeado como sub-prefeito o Sr. Roque Soares Camargo – que contava com dois vereadores da câmara de Paranavaí: Dr. Bernardo Brunstein e o Sr. Alcides Franco de Godoy. O prefeito era o Dr. José Vaz de Carvalho indicado por Paraíso do Norte, que possuía vários políticos influentes em Paranavaí e no Governo do estado – destacando o Sr Pedro Stocchero, o Sr. Lazaro Figueiredo Vieira da área do PSD. Leôncio de Oliveira Cunha na Arena e o Sr Alcides Franco Godoy no PTB, e o Sr José Furtado Rezende na área do PR, e outros. Pela Lei 253/54 de 2 de Dezembro de 1954, Paraíso do Norte foi elevada a categoria de Município. A notícia foi recebida com alegria por todos, houve discursos em Alto-falante e festa. No dia 27 de Novembro de 1955 foi instalada a primeira câmara de Vereadores, e empossado Pedro Stocchero – 1º Prefeito que venceu as eleições contra o Sr. José Furtado Rezende. Em 29 de Dezembro de 1962, foi instalada a Comarca de Paraíso do Norte. Sendo o 1º primeiro titular o Dr. Camilo de Andrade Nepouceno.

Etnia do Povo Norte Paraisense[editar | editar código-fonte]

É formada basicamente por descendentes Italianos, Alemães e Japoneses, vindos principalmente de São Paulo, e também do Rio Grande Do Sul, demais regiões do Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Nordeste. Merece destaque a cidade de Itápolis, no interior do Estado de São Paulo, da qual veio maciço número de migrantes, especialmente em meados da década de 50 e durante toda a década de 60.

Os colonizadores vieram e trouxeram seus capitais, suas famílias e se enraizaram nas indústrias cerâmicas, as mais importantes no início da cidade. Acreditaram na colonização da região, como também as famílias com seus princípios religiosos e suas condutas ajudaram a formar um ambiente de entusiasmo e trabalho, em vigor até hoje, como comprovam as pesquisas que apontam incomum desempenho econômico relativo em Paraíso do Norte.


Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua população estimada em 2008 era de 11.743 habitantes. Área da territorial é de 205 km². Paraíso do Norte está localizado a uma altitude média de 500 metros, mas pode variar de 370 até quase 630 metros.Em função da baixa maritimidade do município, o mesmo está sujeito a temperaturas extremamente elevadas no verão, principalmente no mês de janeiro, com máximas que se aproximam dos 40 °C e a temperaturas baixíssimas no inverno, chegando todos os anos por alguns dias a valores próximos a -5 °C.Os verões tendem a ser quentes e com chuvas bem distribuídas.O invernos são frescos(frios para os padrões brasileiros)e geralmente marcados por veranicos, dias de calor em pleno inverno que são intercalados por, aí sim, dias de frio intenso.A temperatura média está em torno de 20 °C.A topografia da cidade está entre plana e ligeiramente ondulada.

Paraíso nos últimos 30 anos[editar | editar código-fonte]

O declínio do ciclo do café no município de Paraíso do Norte deu-se pela geada generalizada no Paraná ocorrida no ano de 1975, que trouxe prejuízos enormes aos cafeicultores da região.A cidade, que possuía cerca de 20.000 habitantes, dos quais cerca de 15.000 envolviam-se com as as lavouras de café, declinou no quesito população para cerca de 8.000 habitantes no fim dos anos 70.

No entanto, em 1979, é criada a Coopcana - Cooperativa Agrícola Regional de Produtores de Cana Ltda.Esta Destilaria, está situada no Município de São Carlos do Ivaí, porém os dois Municípios trabalham em parceria administrativa. A sede administrativa está situada em Paraíso do Norte.Começa então o ciclo da cana em Paraíso do Norte, que levaria, nos últimos 20 anos, a cidade a um aumento de IDH, população e PIB consideráveis.

A geração de empregos e a boa qualidade de vida tem sido os destaques da cidade nos últimos tempos.De acordo com a Pesquisa industrial mensal de emprego e salário, divulgada no dia 9 de junho de 2008 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE), a cidade ficou na décima sétima posição em geração de empregos no ranking nacional com 2920 empregos gerados.O número é impressionante para uma cidade de apenas 11.743 habitantes. Quanto à qualidade de vida, a cidade possui um dos cenários mais privilegiados da região.Possui índices de criminalidade baixíssimos, o sétimo IDH-M(Índice de desenvolvimento humano - Médio) de toda a região noroeste paranaense(esta que engloba 61 municípios e mais de 630 mil habitantes) e uma distribuição de renda relativamente boa.

Educação[editar | editar código-fonte]

Paraíso do Norte possui, em relação a municípios do mesmo porte, situação privilegiada no setor de Educação. Suas escolas atendem uma clientela que vai do maternal ao 2º grau ensino médio. O Município conta com as seguintes escolas e números totais de alunos:

  • Colégio Estadual Paraíso do Norte – EPSG

5ª a 8ª série 749 2º grau 480 Observação: esta escola funciona durante os turnos: matutino, vespertino e noturno.

  • Escola Municipal Vinte e Sete de Novembro – EPG

1ª a 4ª 696 Educação Infantil 142 Educação Especial 033 Ed.jovens/Adultos 103 Observação esta escola funciona durante os três turnos, sendo que o noturno e usado apenas para a educação de jovens e adultos o restante de salas de aulas é usado pelo Colégio Estadual para suprir a sua demanda.

  • Escola Nossa Senhora Aparecida, Ensino de Pré Escolar e 1o. Grau

1ª a 4ª série 128 5ª a 8ª série 147 Educação Infantil 084 Observação: Escola Pertence à Entidade das Irmãs de Caridade Vicentina, funcionando apenas nos períodos matutino e vespertino, sendo que durante o turno vespertino sede parte de sua estrutura para a Escola Vinte e Sete de Novembro suprir suas necessidades através de convênio com o Município.

  • Creche Rotary Lar Feliz - Educação Maternal e Pré – escolar.

Atende diariamente 068 crianças deste o maternal e pré – escolar, uma entidade mantida através da Associação das Senhoras Rotarianas e Convênios com os Poderes Públicos.

  • Associação de Proteção à Maternidade e Infância - ·Educação do Menor Carente e Pré- escolar.

Ampara diariamente um total de 045 menores carentes do município, lhes proporcionando um bem estar social, prestando assistência educacional e social, tem como mantenedora o Provopar do Município.

  • Creche Santa Terezinha - Educação Maternal e Pré – escolar

Atende em seu cotidiano 072 crianças do maternal e pré – escola, para que seus pais possam assegurar condições mínimas tanto econômica como social em seus lares, tornando os cidadão de bem. Tem como mantenedora o Município.

  • Escola de Excepcionais Leôncio Oliveira Cunha - Educação Especial

Seu cunho é proporcionar aos seus alunos os cuidados necessários para o desenvolvimento, dependendo do grau de excepcionalidade, atende alunos do município de Paraíso do Norte e Mirador. Tem como mantenedores a sociedade, os Municípios e os Convênios com Governo Estadual e Federal. Oferece os seguintes graus de Ensino: Maternal; Pré - escolar; 1a. a 4a. Séries do 1º Grau; Treinamento Básico; Iniciação Profissional.

Contamos ainda com duas quadras poliesportivas, sendo uma coberta e a outra em fase de construção (Cobertura), um ginásio de esportes, dois campos de Futebol, uma biblioteca pública, que recentemente renovou seu acervo, possuindo agora um mesmo riquíssimo, tanto em livros didáticos quanto literários. -Considerações finais: Todos os alunos da zona rural são transportados gratuitamente pela frota do município, durante os três turnos de aulas, tanto municipal como estadual. O Ideb(Índice de desenvolvimento da educação básica)da cidade é de 4,8, acima da média nacional(4,2) e igual à média do estado do Paraná. No ano de 2009 foi implantada no município a FAPAN(Faculdade de agronegócio de Paraíso do Norte), oferecendo os curso de graduação em administração e ciências contábeis.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Quanto à cultura do município, alguns traços merecem ser destacados.

A população da cidade tem forte influência da cultura paulista, de onde vieram boa parte dos pioneiros da cidade.O R puxado, característico da região noroeste paranaense, é um indício disso.Além do sotaque, a música sertaneja(também bastante difundida na cidade) e o prestígio ao futebol do estado de São Paulo também comprovam isso. Tais marcas fazem do Estado de São Paulo a verdadeira base do modo de vida do povo e da conjuntura e ação empresarial e administrativa do município. Embora a influência paulista seja de longe a mais relevante e efetiva entre a população de Paraíso do Norte - fato confirmado pelo âmbito empreendedor tipicamente paulista, pelo modo de vida dos habitantes, sotaque, além de incontáveis preferências no cotidiano e nos tratos sociais que fazem parte das entranhas da cidade desde seu início e da cultura popular, claramente lastreada nas tradições da terra dos bandeirantes -, existe influência pequena do Rio Grande do Sul, o que se comprova na força e na tradição do CTG - São Jorge, um dos melhores e mais bem geridos centros de tradição gaúcha do País.Outros indícios da influência vinda dos pampas são o orgulho da própria terra, que pode ser observado por qualquer um que se disponha a visitar a cidade, a cultura do churrasco e as bebidas de erva-mate, tanto quente como gelado, os tradicionais tereré e chimarrão. Apesar das influências, Paraíso do Norte é município genuinamente paranaense e que respeita suas raízes.

Paraíso do Norte tem como prato típico a Leitoa Desossada à Pururuca.Uma festa, de mesmo nome, ocorre todos os anos no mês de setembro no CTG(Centro de tradição Gaúcha) - São Jorge, na qual as pessoas que comparecem se deliciam com a refeição.

Na cidade acontece um festival de Rock Independente denominado "Paraíso do Rock".É o maior festival de rock independente da região noroeste paranaense e teve sua primeira edição no ano de 2008.Contou com 5 bandas, de 2 estados, sendo elas Terminal Guadalupe(Curitiba - PR), Aerocirco(Florianópolis - SC), A inimitável Fábrica de Jipes(Maringá - PR), Nevilton(Umuarama - PR) e Kromosomos(Paraíso do Norte - PR).O festival teve um público aproximado de 600 pessoas(um público assustadoramente grande para um festival de rock independente no noroeste paranaense, região praticamente dominada pelo sertanejo universitário) e ficou famoso pela qualidade das bandas e pela ótima organização.O festival é apoiado pela Prefeitura Municipal de Paraíso do norte. Para o ano de 2009, a estrutura do festival deverá ser ampliada contando também com uma reduzida praça de alimentação, área para camping e pequena área para comercialização de discos e produtos das bandas que estiverem se apresentando.A comissão organizadora do festival pretende também continuar com o projeto social promovido no festival passado, em que o ingresso para o festival custava uma taxa em dinheiro além de 1Kg de alimento não perecível, que foi doado para as creches da cidade.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.