Para Para

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Para Para (パラパラ, também conhecido como "Para-Para" ou "ParaPara"?) é uma dança japonesa popular solo. Diferentemente de dança de clube e danças de festas rave, ela é mais específica, com movimentos predeterminados para cada música, e todos fazem os mesmos movimentos ao mesmo tempo, assim como dança sincronizada.

Acredita-se que o Para Para começou a existir na década de 1970, porém não tendo conseguido muito destaque fora do Japão até recentemente. Hoje, a dança Para Para é conhecida mundialmente, mas principalmente na Borda do Pacífico.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Seu nome veio de forma interessante. Muitos dizem que a dança foi criada porque os jovens estavam cansados dos movimentos e da música disco.Nesse período as boates estavam introduzindo um ritmo chamado “Eurobeat” que tinha uma batida mais rápida. Em cima disso começou a ficar mais difícil conciliar os movimentos das mãos com os do pé e assim começou a nascer uma dança que no futuro se chamaria “ParaPara”.

Como no “break dance”, alguns jovens também se encontravam para fazer uma “disputa” de coreografias de ParaPara, e o nome começou a ficar popular, pois alguns jovens começaram a treinar e criar coisas em casa e os pais diziam: -“Lá vai o(a) garoto(a) dançar o ParaPara.”. O porquê do nome é que os japoneses, ao cantarolar as músicas, diziam “Parapaparapaparara”, semelhante ao ocidente “Lalalálala”.

Essa foi uma das hipóteses que fez da dança um sucesso no Oriente. Começaram então a ser criadas as coreografias oficiais, denominadas “rotinas”. Alguns clubes de dança juntavam alguns dançarinos e gravavam em vídeo as rotinas para serem entregues na noite em que o clube tocava “Eurobeat”.

Assim sendo a música começou a contagiar muitos artistas que faziam sua versão eurobeat para que criassem uma rotina pra música deles. Até esse ponto não havia meios de se encontrar as coreografias de ParaPara nas lojas. Nessa idéia começou a divulgação mundial da dança.

Algumas produtoras começaram a escolher grupos de dançarinos “profissionais” para lançar vídeos que todos podiam ter. No Japão, por exemplo, até figuras infantis conhecidas, como a Hello Kitty e a turma do Mickey dançam ParaPara. Então a dança começou a invadir o Ocidente devido ao crescente número de culturas introduzidas nos países do Ocidente (como o Anime, Mangá, filmes como “O Grito” e “O Chamado”).

ParaPara no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil existiu a BPPDA, a Associação Brasileira de ParaPara. Esta associação fez eventos e festas principalmente nas três maiores metrópoles (Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília), mas também participou de eventos em outros locais do Brasil. Os principais grupos do Brasil, que representaram a BPPDA, foram o SuperPara (São Paulo), Alpha (Rio de Janeiro) e Fusion Team (Brasília). No dia 16 de abril de 2008 a BPPDA comunicou o encerramento de suas atividades.

Outros grupos também colaboraram para a divulgação da dança, como o Para²Dream (Minas Gerais), Euro Star Team (Distrito Federal), Tao Team (Brasília), Noah Dance (Brasília), Para²Bsb! (Brasília), Parapara All Dance Club (Amazonas), FeverPara (Rio de Janeiro), P!Who? (Rio de Janeiro), Euro Fantasy (Rio de Janeiro), Hyper Techno Heaven (Paraná) e o Para²Dise (Salvador-BA).

É comum a participação de grupos de paralistas ministrando aulas da dança, além de outras atividades, em eventos de anime, mangá e comemoracões japonesas em geral, como o Anime Friends(São Paulo), VisualKK (São Paulo), Anime Evolution (Rio de Janeiro), Anime Festival (Belo Horizonte), Kodama (Brasília), Otacon (Brasília), Anime Nation (Brasília), AnimeXD (Curitiba), LastHeroes (Curitiba), Anipolitan (Salvador), Shinobi Spirit (Curitiba), Gaijin (Curitiba), Hana Matsuri (Curitiba), Imin Matsuri (Curitiba), Haru Matsuri (Curitiba), o NITOKYO (Niterói), dentre outros.

No Rio de Janeiro é realizada a DIAMOND7, evento regular inteiramente dedicado ao Parapara. O evento teve sua primeira edição no dia 31 de janeiro de 2010 no Espaço Marun, no Catete, e vem sendo realizado até a presente data.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]