Parareptilia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma caixa taxonómicaPararéptil
Ocorrência: Permiano - Triássico
Pararéptil.

Pararéptil.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Sauropsida
Subclasse: Anapsida
Ordem: Parareptilia
Sub grupo
Veja cladograma do texto.

Parareptilia ("ao lado dos répteis") é uma subclasse ou clado de répteis que é definido de várias maneiras como um grupo extinto de anapsídeos primitivos. Se o termo é válido depende da posição filogenética das Testudinatas, das relações que para outros grupos de répteis ainda são incertas.

O nome Parareptilia foi cunhado por Olson[quem?] em 1947 para se referir a um grupo extinto de répteis do Paleozóico, ao contrário do resto dos répteis ou Eureptilia (répteis verdadeiros).

O nome caiu em desuso, até que foi revivida por estudos cladísticos, com relação com as Testudinatas. Gauthier, em 1988, desde as primeiras definições filogenética para os nomes de táxons amniotas, inclusive coloca os sauropsídeos como clado pai para Reptilia, e argumentou que cladisticamente a Captorhinida e Testudinatas eram grupos irmãs, que constituem o clado Anapsida (em um contexto muito mais limitada do que a definição dada pelo Romer em 1967). Um nome tinha que ser encontrada para os vários répteis do Permiano e Triássico e a pouco incluídos nos anapsídeos, e pararépteis foi o escolhido. No entanto, eles não se sentiam confiantes o suficiente para classificar a Parareptilia como um táxon formal. Seu cladograma foi o seguinte:

Amniota 

Sinápsida


 Sauropsida 
 Parareptilia 

Mesosauria




Procolophonidae




Millerettidae




Pareiassauro






 Reptilia 
 Anapsida 

Captorhinidae



Testudinatas



 Romeriida 

Protorothyrididae



Diapsida






Laurin Reisz em 1995 apresentou um cladograma diferente, em que é dividido em Parareptilia (agora um táxon formal) e Eureptilia. Captorhinida é transferido para Eureptilia e Parareptilia inclui tanto precoce anapsida répteis e tartarugas, mas não Captorhinida e Protorothyrididae. Os Mesosaurus são colocados fora de ambos os grupos, como o táxon irmão dos répteis (mas ainda sauropsida). O táxon tradicional dos Anapsida é rejeitado como parafilético. Isto dá a seguinte:

Amniota 

Sinápsida


 Sauropsida 

Mesosauria


 Reptilia 
 Parareptilia 

Millerettidae




Pareiassauro




Procolophonidae




Testudinatas






 Eureptilia 

Captorhinidae


Romeriida

Protorothyrididae



Diapsida







Em contraste, Rieppel, 1994 e 1995; Rieppel & deBraga, 1996; e deBraga & Rieppel, 1997 têm argumentado que as tartarugas são realmente relacionados com Sauropterygia e, portanto, são diapsidas. As afinidades diapsidas das tartarugas têm sido fortemente confirmada pela filogenia molecular (por exemplo, Zardoya e Meyer, 1998; Iwabe em 2004;. Roos em 2007;. Katsu em 2010). Isto faria Parareptilia um clado totalmente extinto. No entanto, esta hipótese não foi aceita por todos os paleontólogos de vertebrados, e Benton 2000, 2004, manteve a classe tradicional Anapsida para o pararépteis e tartarugas.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]