Paredes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paredes
Brasão de Paredes Bandeira de Paredes
Brasão Bandeira
Paredes, estação do caminho de ferro. 1930.jpg
Paredes, estação do caminho de ferro. 1930
Localização de Paredes
Gentílico Paredense
Área 156,76 km²
População 86 854 hab. (2011)
Densidade populacional 554,06 hab./km²
N.º de freguesias 18
Presidente da
Câmara Municipal
Celso Ferreira (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
1836
Região (NUTS II) Norte
Sub-região (NUTS III) Tâmega
Distrito Porto
Antiga província Douro Litoral
Orago Divino Salvador
Feriado municipal Segunda-feira após o 3º Domingo de Julho - Divino Salvador
Código postal 4580-130 Paredes
Sítio oficial www.cm-paredes.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Paredes é uma cidade portuguesa da Área Metropolitana do Porto[1] , com cerca de 12 500 habitantes (2004).[2] Pertence ao Distrito do Porto e à região do Norte.

É sede de um município com 156,76 km² de área[3] e 86 854 habitantes (2011[4] ), subdividido em 18 freguesias.[5] O município é limitado a norte pelo município de Paços de Ferreira, a nordeste por Lousada, a este por Penafiel, a sudoeste por Gondomar e a oeste por Valongo.

O concelho foi criado em 1836, sucedendo, em grande parte, ao antigo concelho de Aguiar de Sousa. Este município integra a Rota do Românico do Vale do Sousa.

História[editar | editar código-fonte]

Paredes integra-se numa das regiões mais prósperas e paisagisticamente interessantes de Portugal: o Vale do Sousa. O actual concelho de Paredes assenta no antigo concelho de Aguiar de Sousa, que data dos primórdios da Monarquia. O concelho de Aguiar de Sousa surgiu num pacto de povoamento de Vale do Sousa, tendo sido criado pelos meados do século XII. De facto, consta nas inquirições de 1258 mandadas fazer por D. Afonso III, conforme consta no fascículo II, Vol.I, do Corpus Codicum Latinorum. Aqui são referidas, também, algumas das actuais freguesias do concelho de Paredes, pertencentes ao então julgado de Aguiar de Sousa: Estremir, Crestelo, Vilela, Bendoma, Ceti, Gondalães, Veiri e Gandera. Aguiar de Sousa recebeu foral em 1269, confirmado em 1411 por D. João I e reiterado por D. Manuel I em 1513. Sensivelmente na mesma altura, Baltar recebia também a categoria de concelho. Baltar foi elevada a categoria de vila, passando assim a ter enormes direitos, só comparáveis às maiores povoações do reino. D. João V, a 6 de Março de 1723, confirmou esses privilégios.

Extinto em 1837, o concelho de Baltar era constituído por 9 freguesias: Baltar, Cête, Vandoma, Astromil, Gandra, Sobrado, S. Martinho do Campo, Rebordosa e Lordelo. À excepção de Sobrado e S. Martinho de Campo, que actualmente fazem parte de Valongo, todas as outras seriam posteriormente integradas no concelho de Paredes. Foi durante o séc. XVIII que o lugar de Paredes, integrado na freguesia de Castelões de Cepeda, foi ganhando importância. Assim, em finais do séc. XVIII, já existiam os Paços do Concelho e o pelourinho.

Em 1821, Aguiar de Sousa era extinto como concelho e grande parte das suas freguesias eram anexadas a Paredes. Com a criação do concelho de Paredes, não só se extinguiu o de Aguiar de Sousa, como ainda o de Baltar, Louredo e Sobrosa, que emergiram da crise liberal e tiveram duração pouco superior a dois anos. O concelho de Paredes foi criado por Passos Manuel apenas em 6 de Novembro de 1836, como resultado do reordenamento que ocorreu com a entrada da Constituição de 1820. Nesta data, passou a conter algumas das freguesias do extinto concelho de Aguiar de Sousa, englobando um total de 23 freguesias. Em 1855, dos vários lugares da freguesia da Sobreira criou-se a freguesia de Recarei.

Com esta configuração, Paredes passou a vila em 7 de Fevereiro de 1844, data do Alvará Régio de D. Maria II que elevava Paredes a essa categoria, com os correspondentes direitos e deveres por "a mesma povoação possuir os necessários elementos para sustentar com dignidade a categoria de vila".

O concelho de Paredes possui uma grande tradição na indústria do mobiliário, assegurando cerca de 65% da produção de mobiliário nacional.[6] A disponibilidade de capitais, graças ao regresso dos brasileiros de torna-viagem, nos finais do século XIX e inicio do século XX, contribuiu para o desenvolvimento desta indústria. A relação tradição/modernidade da arte de trabalhar a madeira nas suas diferentes vertentes sustentam um produto turístico-cultural denominado "Rota dos Móveis".

A partir de 20 de Junho de 1991, Paredes ascendeu à categoria de cidade. A 26 de Agosto de 2003, foram elevadas a cidade as freguesias de Lordelo e Rebordosa. Gandra também se tornou cidade com estatuto especial, em virtude de nela se situar um importante pólo universitário. O concelho de Paredes contém, deste modo, quatro cidades, sendo o concelho português com maior número de cidades.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho de Paredes (1849–2011)
1849 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011
17 286 20 911 26 304 43 388 67 693 72 999 83 376 86 854

Heráldica[editar | editar código-fonte]

  • Brasão: Armas - Escudo de prata, com uma macieira verde, frutada de ouro e troncada de negro, saindo de um terrado verde realçado de negro. Saindo do mesmo terrado, envolvendo o tronco e trepando pela árvore, uma videira de verde, folhada do mesmo e frutada de dois cachos de púrpura pendentes da árvore. Coroa mural de prata de cinco torres. Listel branco com os dizeres: "CIDADE DE PAREDES" a negro.
  • Bandeira - Gironada de verde e púrpura, cordões e borlas de púrpura e verde. Haste e lança de ouro.

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Paredes.

O concelho de Paredes está dividido em 18 freguesias:

Património Classificado[editar | editar código-fonte]

Igreja Românica de Cete

Monumentos Nacionais[editar | editar código-fonte]

Imóveis de Interesse Público[editar | editar código-fonte]

  • Capela da Nossa Senhora do Vale
  • Castro da Serra do Muro de Vandoma
  • Cruzeiro do Adro da Nossa Senhora do Vale
  • Dólmen do Padrão
  • Igreja de S. Tomé
  • Pelourinho de Louredo
  • Pelourinho de Paredes
  • Torre dos Mouros ou dos Alcoforados

Imóveis de Interesse Municipal[editar | editar código-fonte]

  • Solar da Venda (Antigo Sanatório)
  • Quinta de Louredo
  • Quinta de Cete

Transportes e Acessibilidades[editar | editar código-fonte]

O concelho de Paredes está servido de uma extensa rede de transportes e acessibilidades. O concelho é atravessado pelas autoestradas A4, A41 e A42. Várias estradas nacionais e regionais atravessam também o concelho, nomeadamente:

Empresas transportadoras rodoviárias a operar no concelho incluem a Valpi Bus, a Auto Viação Pacense e a Rodonorte. Quanto ao comboio, o concelho é atravessado pela Linha do Douro, sendo que as estações entre Terronhas e Cete, mais a estação de Paredes, se encontram todas dentro dos limites do concelho.

Gente ilustre[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. Paredes abandona o Tâmega e Sousa e integra a Área Metropolitana do Porto.
  2. UMA POPULAÇÃO QUE SE URBANIZA, Uma avaliação recente - Cidades, 2004. Instituto Geográfico Português. Página visitada em 23 de Janeiro de {{{acessoano}}}.
  3. Instituto Geográfico Português, Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013 (ficheiro Excel zipado). Acedido a 28/11/2013.
  4. INE (2012) – "Censos 2011 (Dados Definitivos)", "Quadros de apuramento por freguesia" (tabelas anexas ao documento: separador "Q101_NORTE"). Acedido a 27/07/2013.
  5. Diário da República, Reorganização administrativa do território das freguesias, Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro, Anexo I. Acedido a 19/07/2013.
  6. http://cm-paredes.com/noticias/listar_detalhes.php?id=815
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Paredes