Parque Arqueológico do Solstício

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parque Arqueológico do Solstício
Observatório astronômico de Calçoene
Localização Amapá, Brasil
Dados
Criação 2005
Coordenadas 2° 37' 13" N 51° 0' 44" O
Parque Arqueológico do Solstício está localizado em: Brasil
Parque Arqueológico do Solstício

O Parque Arqueológico do Solstício, localizado no interior do município de Calçoene, no litoral norte do estado brasileiro do Amapá, é um sítio arqueológico de arte rupestre de interesse histórico e turístico conhecido por abrigar o Observatório Astronômico de Calçoene.[1] [2] [3]

Círculo megalítico[editar | editar código-fonte]

Observatório astronômico de Calçoene

O sítio, já conhecido pela comunidade científica desde os anos 1950,[1] constitui-se de pelo menos 127 rochas dispostas em formato circular, no topo de uma colina.[4] Supõe-se que tenha sido construído como um antigo observatório astronômico pelos antigos povos indígenas que habitavam a região.[1] O círculo megalítico tem 30 m de diâmetro, com pedras de granito com até 4 m de comprimento. Assemelha-se a um outro círculo megalítico encontrado na Guiana Francesa, cuja datação indica ter mais de 2 000 anos de idade.[carece de fontes?]

O círculo de Calçoene foi apelidado de "Stonehenge do Amapá", numa refência à Stonehenge, na Inglaterra.[5] As escavações no local, executadas por arqueólogos, estão sendo feitas desde 2006.[1] Baseando-se nas características de fragmentos cerâmicos encontrados nas redondezas do sítio arqueológico, arqueologistas estimam que a idade do mesmo esteja entre 500 e 2 000 anos.[6] [7]

Um dos blocos de pedra do círculo megalítico foi posicionado de maneira que o Sol, durante o solstício de inverno do hemisfério norte, que ocorre em torno do dia 21 de dezembro, fique a pino sobre este, de maneira que sua sombra desapareça.[6] Além disso, o posicionamento desta rocha é tal que a projeção de sombras durante todo o dia é diminuta.[7] É este alinhamento de um dos blocos de rocha com o solstício de dezembro que levou os arqueologistas a acreditar que o local tenha sido no passado um observatório astronômico, e que ao observar o círculo megalítico de Calçoene está na verdade a contemplar os resquícios de uma cultura avançada.[6]

Referências

  1. a b c d "Stonehenge" amazônico foi criação local. Universidade Federal de Campina Grande. Página visitada em 14 de marco de 2012.
  2. Jornal Folha de São Paulo, 9 de dezembro de 2006, folha A30 (Ciência)
  3. Patrimônio arqueológico do Brasil pede socorro. Universidade de Campinas (11 de agosto de 2006). Página visitada em 14 de marco de 2012.
  4. Observatório celeste do Amapá: a etnoastronomia nas culturas amazônicas. Arqueologia Americana (blog) (16 de maio de 2006). Página visitada em 07 de junho de 2012.
  5. Cabral, M. P., Saldanha, J. D. M.. (2008). "Um sítio, múltiplas interpretações: o caso do chamado “Stonehenge do Amapá”" (PDF). Revista de Arqueologia 1 (22): 115-119.
  6. a b c Lehman, Stan (27 de junho de 2006). Another ‘Stonehenge’ discovered in Amazon: Centuries-old granite grouping may have served as observatory (em inglês). MSNBC. Página visitada em 13 de fevereiro de 2007. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2007.
  7. a b Calçoene megalithic observatory - Amazon Stonehenge (em inglês). Wondermondo. Página visitada em 07 de julho de 2010. Cópia arquivada em 17 de julho de 2010.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]