Parque Colúmbia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parque Colúmbia
Bairro do Rio de Janeiro Bandeira do Município do Rio de Janeiro.png
Área: 151,71 ha (em 2003)
Fundação: 23 de abril de 1999
IDH: 0,7201 (em 2000)
Habitantes: 9 202 (em 2010)2
Domicílios: 3 253 (em 2010)
Limites: Pavuna, Coelho Neto, Acari,
Irajá e Jardim América3
Região Administrativa: XXV R.A.(Pavuna)

Parque Colúmbia é um bairro do Rio de Janeiro.

Seu IDH, no ano 2000, era de 0,720 (analisado junto com o bairro de Acari), o 124º e antepenúltimo da cidade do Rio de Janeiro.4

Localização[editar | editar código-fonte]

Parque Colúmbia faz parte da XXV Região administrativa (Pavuna) da cidade do Rio de Janeiro.

Bairros integrantes da região administrativa são: Acari, Barros Filho, Coelho Neto, Costa Barros, Parque Colúmbia, Pavuna.

História[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1950, algumas poucas pessoas se fixaram à região. Neste época, a urbanização era escassa, não havia fornecimento de energia elétrica nem de água potável. A rua Embaú, atual rua principal, não era asfaltada. A estrada ainda não tinha sida pavimentada. A paisagem era composta de muitos coqueiros e muitos terrenos era cobertos por mato. Neste período, a pesca de peixe e camarão no Rio Acari era a principal atividade econômica das famílias da região.

No rio Acari, que corta a comunidade, era possível encontrar camarões e até peixes, que eram o sustento para as poucas famílias que aqui viviam.

1956 - O Projeto de Arruamento e Loteamento Misto, Proletário e Industrial, a 229 metros da rodovia Presidente Dutra, entre o rio Acari e a rua Embaú, resulta em 7 ruas. O projeto foi implantado na propriedade da empresa “Ferrometais Colombo Comércio e Indústria S.A., por isso o nome “Parque Colúmbia”. 1960 - O projeto de loteamento popular (PAL 23173) no lado ímpar da rua Embau, na propriedade da empresa “Mercúrio Engenharia Urbanização e Comércio Ltda”, dá origem a 7 ruas e à Praça Somália.

O bairro foi criado oficialmente pela Lei Nº 1787 em 23 de abril de 1999 com a alteração do Bairro da Pavuna.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Além das construções residenciais, o bairro abriga instalações de diversas empresas como: um depósito de várias empresas, que antigamente pertencia a empresa Casas Bahia, várias transportadoras, uma empresa de reciclagem Markobras Ambiental. Além de dois mercados, uma farmácia, escolas particulares (SESON e Patricia Leitão) e públicas, uma creche municipal (Os Sabidinhos), uma creche particular (Jovens leitores), clínicas, restaturantes, uma pizzaria, uma pastelaria, um sacolão, poucas padarias e algumas igrejas.

O bairro é servido pelas seguintes linhas de ônibus:

Porém a qualidade desse serviço de transporte deixa a desejar, pois os intervalos praticados por esta empresa (Rubanil) são muito altos. Além disso presença majoritária de uma única empresa de ônibus operando por dentro do bairro gera muitas reclamações por parte dos moradores. Essa deficiência é atendida (não de todo o satisfatório) pelas cooperativas de transporte alternativo (kombis) que atendem o trajeto Parque Colúmbia-Pavuna e Parque Colúmbia-Madureira.

Outras linhas intermunicipais passam apenas em uma pequena parte do bairro na proximidade da rodovia Presidente Dutra.

O bairro abriga o projeto Viva vôlei criado pela confederação brasileira de vôlei cujo objetivo é educar e socializar meninos e meninas de 7 a 14 anos através do esporte.

Abriga também o Centro de Ópera Popular de Acari que oferece aos moradores do Parque Colúmbia, Acari e adjacências oficinas de balé clássico, música, fotografia e a Casa de Leitura – uma biblioteca comunitária que oferece oficinas de incentivo a leitura, passeios a bienais, salão do livro e outras atividades). O centro atende mais de 2.200 crianças, jovens e adultos de segunda a sábado.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]