Parque Estadual Dunas de Natal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parque das Dunas
Logo do Parque das Dunas
Localização do Parque das Dunas (área verde) em Natal.
Localização Av. Alm. Alexandrino de Alencar, s/n, Tirol, Natal, RN,  Brasil
Tipo Público
Área 1.172 hectares
Inauguração 22 de novembro de 1977 (36 anos)
Administração Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente

O Parque Estadual Dunas de Natal "Jornalista Luiz Maria Alves", mais conhecido simplesmente como Parque das Dunas ou Bosque dos Namorados, é uma reserva de 1.172 hectares de Mata Atlântica situada no coração da cidade de Natal, capital do estado brasileiro do Rio Grande do Norte.[1] É administrado pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (Idema).[2]

Criado através do Decreto Estadual nº 7.237 de 22 de novembro de 1977, o Parque das Dunas foi a primeira unidade de conservação ambiental implantada no estado do Rio Grande do Norte. É parte integrante da reserva da biosfera da Mata Atlântica reconhecida pela UNESCO e, por isso, declarada Patrimônio Ambiental da Humanidade. O parque distribui-se por vários bairros da zona sul e leste da cidade, se estendendo ao longo da Via Costeira, onde abriga também o Centro de Convenções de Natal.

Considerado o segundo maior parque urbano do Brasil[3] [4] [5] (superado apenas pela Floresta da Tijuca), exerce uma grande importância na regulação do clima local, contribuindo com a recarga do aqüífero subterrâneo, fixação das dunas e purificação do ar, além de ser uma paisagem belíssima para a cidade.

Foi eleito o 5º melhor parque da América do Sul para se visitar em 2013, segundo o site de viagens TripAdvisor.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Vista aérea da cidade com o Parque das Dunas em destaque (grande área verde próxima ao oceano).

O parque foi construído pelo governador Cortez Pereira, que buscava dotar a capital do Rio Grande do Norte de locais agradáveis para os turistas.[7]

O terreno era de propriedade pública e utilizado pela CAERN, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte, até aquele momento. O bosque foi finalmente inaugurado em 1975, já no final do mandato de Cortez Pereira, e foi projetado pelo arquiteto Aírton Vasconcelos.[7]

Na década de 1990, o parque seria restaurado na gestão do governo Garibaldi Alves.[7]

Atrativos[editar | editar código-fonte]

Entrada do Bosque dos Namorados.

O acesso ao Parque das Dunas se dá pelo Bosque dos Namorados, que tem uma área de aproximadamente 7 hectares com mais de 1300 árvores representando 50 espécies nativas da Mata Atlântica. São diversos os atrativos que se pode conhecer através do Bosque dos Namorados.

Trilhas[editar | editar código-fonte]

Existem três trilhas no Parque das Dunas, divididas por níveis de dificuldade, e que permitem ao visitante conhecer um pouco mais sobre a fauna e a flora do parque. São elas:

  • Trilha Perobinha, com extensão de 800 metros e duração de 40 minutos, recomendada para crianças a partir de 5 anos de idade e adultos sedentários.
  • Trilha Peroba, com percurso de 2.400 metros e duração aproximada de 1 hora e 30 minutos, recomendada para adolescentes e adultos.
  • Trilha Ubaia-Doce, com extensão de 4.400 metros e duração de 2 horas e 30 minutos, recomendada para pessoas com bom preparo físico.

Centro de visitantes[editar | editar código-fonte]

Vista das dunas pelas trilhas.

O Centro de Visitantes é o local de informação e orientação de todas as atividades do parque. O Centro ainda abriga a Administração do parque, auditório, sala de exposição, enfermaria e lanchonete, além da Biblioteca Luiz Emigdio de Mello Filho, especializada na área de meio ambiente.

Centro de pesquisa[editar | editar código-fonte]

Centro de pesquisas

O Centro de Pesquisa é formado por pesquisadores e estagiários das áreas de ciências biológicas e possui dois laboratórios: um de botânica, composto por herbário, carpoteca e xiloteca, e um de zoologia, contendo exemplares de animais conservados em vidros com álcool e formol ou empalhados, viveiros com cobras e aranhas, além de informações sobre a biodiversidade do parque.

Próximo ao Centro de Pesquisa existe ainda a Unidade de Mostra de Vegetação Nativa das Dunas, que dispõe de canteiros com exemplares de orquídeas, bromélias, aráceas e cactáceas, entre outras, alem do Viveiro Parque das Dunas, com produção de mudas de árvores nativa para plantio no parque e doação a escolas.

Parque infantil[editar | editar código-fonte]

Flora do Parque das Dunas.

Situado bem no meio do Bosque dos Namorados, o parque infantil contava com 20 brinquedos educativos que atende as crianças de diversas faixas etárias. Os brinquedos foram retirados para a compra de novos. Foram construídos caminhos pela área para pedestres, divididos entre a "trilha dos répteis" e a "trilha das aves", identificáveis pelos desenhos em mosaico ao longo de cada um.

Além dos brinquedos, existe também uma área com várias mesas para piquenique e uma área de jogos com mesas para damas e xadrez, um anfiteatro ao ar livre para eventos e um lago artificial.

Oficina de educação ambiental[editar | editar código-fonte]

A Oficina de Educação Ambiental e Artes busca ampliar o conhecimento sobre o meio ambiente, tanto dos visitantes quanto dos moradores das proximidades do parque, através de atividades artísticas, lúdicas e culturais.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SOUZA, Itamar. Nova História de Natal. 2 ed. Natal: Departamento Estadual de Imprensa, 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]