Parque Metropolitano de Pituaçu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parque Metropolitano de Pituaçu
Prédio da entrada do Parque.
Localização Pituaçu, Salvador
País  Brasil
Tipo Público
Área 425 ha
Inauguração 1973 (41 anos)
Administração Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado da Bahia
Nº de visitas anuais Segunda a sexta: 8h-17h
Sábado, domingo e feriados: 8h-18h[1]

O Parque Metropolitano de Pituaçu, ou simplesmente Parque de Pituaçu, está localizado no bairro de Pituaçu, em Salvador, próximo à orla e à Universidade Católica do Salvador (UCSal). Foi criado por Decreto Estadual nº 23.666 de 4 de setembro de 1973[2] e pelo Decreto nº 23.113 de 12 de abril de 1978 foi declarada a utilidade pública do terreno para desapropriações[3] , inicialmente com 660 hectares,[4] durante o governo estadual de Roberto Santos.[5] . Está situado na orla marítima e atualmente ocupa 425 hectares[1] , a maior reserva ecológica da cidade de Salvador, Bahia. Nos fins de semana, recebe entre quatro e cinco mil visitantes.[6]

Um dos principais pontos da cidade com remanescentes de Mata Atlântica é fonte lazer e turismo para a cidade com sua fauna e flora diversificadas, além da beleza da Lagoa de Pituaçu. Como parte do Parque, há duas quadras poliesportivas, ciclovia, pista de patinação e skate, parque infantil, píer para pedalinhos. Daí funciona a Associação de Remo de Salvador, que também coordena projetos sociais, além de atletas. Funcionam também estabelecimentos comerciais oferendo comidas e bebidas. A partir desses espaços e instalações, o Parque de Pituaçu é palco de trilhas ecológicas e competições esportivas, inclusive de esportes radicais. Do mesmo modo, diversas atividades culturais também são realizadas, destaque para exposições e feiras de livros e sessões de leitura.[1]

Em 2006, foram plantados no entorno da lagoa, exemplares de pau-brasil, aroeira, pau-pombo, jenipapeiro, cajá, mangaba, cedro e ipês roxo e amarelo, visando a repor a área da mata perdida.

Ciclovia[editar | editar código-fonte]

A ciclovia do Parque de Pituaçu segue na maior parte do seu percurso as margens da Lagoa de Pituaçu, excetuando-se quando corta as duas maiores penínsulas da lagoa.[7] Atualmente conta com 15 quilômetros de extensão com sinalização, cinco quiosques e outros pontos de apoio, e é uma das maiores da Bahia.[1] Tem início próximo ao Espaço Mário Cravo, passando próximo ao Campus de Pituaçu da UCSal, ao Estádio de Pituaçu, ao escritório da CONDER, ao escritório e ao horto da SUCAB, à barragem do Rio Pituaçu e ao Museu de Ciência e Tecnologia da UNEB.[7] No início da ciclovia está localizado um bicicletário para aluguel.[7] [1]

Embora o Parque feche às 18h no sábado, é possível realizar passeios ciclísticos noturnos acompanhados pela Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA) por meio do Pedal da Lua, que ocorre nos sábados antecedentes à Lua cheia.[1]

Espaço Mário Cravo[editar | editar código-fonte]

Esculturas do Espaço Mário Cravo na entrada do Parque.

O Espaço Mário Cravo, ou Parque das Esculturas, é uma área do parque onde estão esculturas de Mário Cravo Júnior. São 53 mil metros quadrados com obras feitas pelo artista plástico baiano em exposição permanente ao ar livre e também com um centro de cultura e arte.[8] Singular no país, a área cedida pelo Governo do Estado da Bahia é administrada pela Fundação Mario Cravo, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) e Secretaria do Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (SEDUR).[9] No Espaço, funciona também o atelier do artista dentro do prédio localizado na entrada do parque.[10]

Lagoa[editar | editar código-fonte]

Lagoa de Pituaçu
Represa de Pituaçu
A Lagoa e o píer dos pedalinhos ao fundo.
Localização
Localização Salvador
Região geográfica América do Sul
País  Brasil
Características
Tipo Represa
Área * km²
Bacia hidrográfica Bacia do Rio das Pedras
Afluentes Rio Pituaçu
Efluentes Rio das Pedras
* Os valores do perímetro, área e volume podem ser imprecisos devido às estimativas envolvidas, podendo não estar normalizadas.

Dentro do Parque localiza-se a Lagoa de Pituaçu, a maior da área metropolitana de Salvador. Tem 200 hectares (ou 2 quilômetros quadrados) foi formado artificialmente em 1906, com a construção da barragem do rio Pituaçu para o abastecimento de Salvador[1] . A lagoa passou por um vasto processo de degradação que obrigou a suspensão, em 2002, do uso de suas águas para abastecimento. Hoje, a lagoa é um dos principais espaços públicos de lazer da cidade.[1]

A lagoa é o resultado do represamento do Rio Pituaçu, até então um volumoso afluente do Rio das Pedras, realizado em 1906 para o servir de manancial de abastecimento da cidade.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h INEMA. Parque de Pituaçu (em português). Visitado em 1º de junho de 2013.
  2. GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA. DECRETO Nº 23.666, de 04 de setembro de 1973 (em português). Visitado em 2 de julho de 2013.
  3. GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA. Decreto nº 23.113, de 12 de abril de 1978 (em português). Visitado em 2 de julho de 2013.
  4. www.inema.ba.gov.br. Histórico (em português). Visitado em 2 de julho de 2013.
  5. a b www.sma.salvador.ba.gov.br (2010). O Caminho das Águas em Salvador (em português). Visitado em 2 de junho de 2013.
  6. www.inema.ba.gov.br. Funcionamento (em português). Visitado em 2 de julho de 2013.
  7. a b c INEMA. Ciclovia (em português). Visitado em 1º de junho de 2013.
  8. Bahia.com.br. Espaço Mário Cravo (Parque das Esculturas)
  9. Exposição homenageia os 90 anos de Mario Cravo Jr
  10. Exposição na Barra homenageará obra de Mário Cravo Junior

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Parque Metropolitano de Pituaçu