Partido Pirata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Símbolo do Partido Pirata fundado na Suécia.

Partido Pirata refere-se aos partidos políticos que têm como bandeira a luta contra as atuais leis de propriedade intelectual e industrial, incluindo copyright e patentes, contra a violação do direito de privacidade e a favor do respeito ao domínio público, da promoção de práticas de copyleft, dos sistemas operativos livres e das práticas do compartilhamento. Os Partidos Piratas também defendem os direitos civis, democracia direta, compartilhamento livre de conhecimento (Open content), privacidade e transparência pública. Surgido na Suécia, devido ao rápido crescimento de popularidade do Partido Pirata na Suécia, o movimento se espalhou por dezenas de países, onde diversos partidos piratas se organizam para defender pautas semelhantes. Na Europa, o movimento ganhou mais força nos países escandinavos, mas também vêm crescendo nos demais países, inclusive no Leste Europeu. No Brasil, o movimento para criação do Partido Pirata existe desde 2007. Em Portugal, desde 2009.

Partido Pirata no mundo[editar | editar código-fonte]

Manifestação do Partido Pirata na Suécia.

O Partido Pirata possui grupos já estruturados atuando em cerca de 60 países [1] e uma rede de ativista que se expande gradualmente a outros países.

O Partido Pirata alemão já elegeu 43 deputados estaduais na Alemanha e se prepara para as eleições federais de 2013. Em abril de 2012, contava com aprox. 12 % das intenções de voto. Internamente, o partido utiliza um software de Democracia líquida.

O Partido Pirata do Brasil atua como coletivo. Seu núcleo surgiu em 2007, e no final do ano seguinte seu fórum contava com mais de 300 partipantes cadastrados. O fórum atual (não-oficial), na rede social Facebook, conta com mais de 1900 membros[carece de fontes?]. Seu primeiro encontro nacional oficial foi realizado em março de 2009, a "I Insurgência Pirata". Em 28 de julho de 2012 o Partido Pirata do Brasil foi fundado na Sede Social da Soledade, em Recife, com a presença de cerca de 130 ativistas e simpatizantes de 15 estados brasileiros. O foco de atuação do Partido Pirata do Brasil inclui também entre as pautas prioritárias a inclusão digital e a transparência pública.[2] No dia 02 de setembro de 2013, o Partido Pirata do Brasil conseguiu publicar seu Estatuto Partidário no Diário Oficial da União.

Nascido a 11 de maio de 2009, o movimento para a criação do Partido Pirata Português (PPP) foi criado como movimento por alunos de Engenharia Informática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa à imagem do homólogo sueco.[3] Neste momento está a proceder à recolha de assinaturas para a sua oficialização.

Partidos e movimentos piratas no resto do mundo[editar | editar código-fonte]

  Partido Pirata oficialmente registrado
  Partido Pirata ativo, mas ainda não registrado
  Discussões sobre o Partido Pirata internacional
  Sem Partido Pirata
  • África do Sul
  • Alemanha
  • Argentina
  • Australia
  • Austria
  • Bélgica
  • Brasil
  • Canadá
  • Estados Unidos
  • Espanha
  • França
  • Holanda
  • Itália
  • Peru
  • Polônia
  • Portugal
  • Russia
  • Reino Unido
  • Suécia

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Partido Pirata
Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.