Partido Renovador Democrático (Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido Renovador Democrático
Presidente Manuel Vargas Loureiro
Fundação 19 de julho de 1985
Dissolução 12 de abril de 2000
Sede  Portugal
Ideologia Centrismo, Republicanismo Eanista, Populismo, Social-Democracia Portuguesa (facção minoritária) e Catolicismo progressista (facção minoritária)
Alas JRD
Grupo no Parlamento Europeu Aliança Democrática Europeia (1986-89)[1]
Grupo Socialista (1989-90)
Grupo Arco-Irís (1990-94)[2]
Cores Verde

Partido Renovador Democrático (PRD) foi um partido português criado em 1985, sob o patrocínio tácito do General Ramalho Eanes que era na época o presidente da República. Foi liderado por Hermínio Martinho, propondo-se a "moralizar a vida política nacional". Aproveitando os efeitos demolidores da política de austeridade posta em prática pelo governo PS-PSD (1983-1985), o PRD veio a ser o grande beneficiário da dissolução parlamentar de 1985, decidida pelo próprio general Eanes no termo do seu segundo mandato. Conseguiu obter uma votação muito próxima da dos socialistas e em termos parlamentares chegou a ser o terceiro maior partido - uma força política decisiva para a manutenção no poder do governo minoritário de Cavaco Silva.

Nas eleições locais de 1985 revelou fragilidades e insipiência organizativas e, nas presidenciais apoiou a candidatura de Salgado Zenha, sendo esta afastada da segunda volta. Em 1987 é o PRD que desfere o golpe mortal no governo minoritário do PSD, ao fazer aprovar uma moção de censura no Parlamento. Contudo, esta atitude revela-se suicida pois a dissolução parlamentar que se segue levou ao quase desaparecimento do partido da Assembleia, já que não conseguiu eleger mais do que 7 deputados em lugar dos 45 que dispunha na assembleia dissolvida.

Entretanto, o próprio Ramalho Eanes assumiu a liderança do partido, liderança esta que pouco tempo depois abandonou em virtude do desastre eleitoral, cedendo de novo o lugar a Hermínio Martinho. Nas eleições para o Parlamento Europeu de 1989, os renovadores ainda fariam um acordo com o PS, conseguindo eleger um deputado na lista socialista com o estatuto de independente (Pedro Canavarro). Martinho e muitos fundadores do partido afastaram-se.

Numa tentativa de refundar o projecto, um grupo de militantes que haviam constituído a Renovação 2000, liderados por Pedro Canavarro, Carlos Costa Santos (Presidente da JRD) e Jorge Larsen assumem a liderança do Partido. No entanto nas eleições de 1991, o PRD, já dirigido por Canavarro, perdeu a representação parlamentar. Até à sua extinção, foi dirigido por Manuel Vargas Loureiro.

O PRD desapareceu após ter sido adquirido por elementos do extinto Movimento de Acção Nacional (MAN) que o transformaram no PNR, organização política de extrema-direita.

Resultados em eleições
(o ano liga à página da eleição)
Ano Tipo de Eleição Votos % Mandatos
1985
Legislativas
1 038 893
17,92%
45
1987
Legislativas
278 561
4,91%
7
1991
Legislativas
35 077
0,61%
-

Lista de presidentes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Boissieu, Laurent de. Élections européennes Portugal (em Francês). Europe Politique. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  2. Pedro Manuel CANAVARRO. Parlamento Europeu. Página visitada em 9 de abril de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.