Partido Socialista Unido da Venezuela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido Socialista Unido da Venezuela
Partido Socialista Unido de Venezuela
PSUV
Líder Diosdado Cabello
Fundação 24 Março de 2007
Sede Caracas
Ideologia Bolivarianismo,
Socialismo democrático
Espectro político Esquerda
Membros  (2007) 5.7 milhões
Afiliação internacional Foro de São Paulo
Cores Vermelho
Site http://www.psuv.org.ve

Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) é o nome de um partido político com base no socialismo democrático, o qual surgiu da fusão de algumas forças sociais e políticas que apóiam a Revolução Bolivariana, esta liderada pelo presidente Hugo Chávez. Atualmente é o partido majoritário na Venezuela, e também o maior partido de esquerda da América Latina e do Hemisfério Oeste. Tinha aproximadamente 5,7 milhões de membros em 2007.[1] Nas eleições de 2 de maio de 2010, para Assembléia Nacional , 2.568.090 membros votaram.[2]

Formação[editar | editar código-fonte]

Surgiu por iniciativa de Hugo Chávez após sua vitória nas eleições para presidência da Venezuela de 2006, com a finalidade de unir todos os partidos que apóiam a Revolução Bolivariana.[3] Essa articulação obteve relativo sucesso com o apoio do Movimento Quinta República (MVR)[4] , e outros partidos menores[5] , quais como o Movimento Eleitoral do Povo (MEP), a União Popular Venezuelana (UPV), o Movimento Revolucionário Tupamaro (MRT), a Liga Socialista (LS) e outros, que juntos somaram 45,99% dos votos recebidos por Chávez nas eleições de 2006.[6] Outros partidos como o Partido Comunista da Venezuela (PCV)[7] , o Pátria para Todos (PPT)[8] , o Pela Democracia Social (PODEMOS)[9] , que obtiveram 14,60% dos votos na eleição citada, decidirão não se fundir ao PSUV.

Em 18 de dezembro de 2006 o Ministro da Comunicação e Informação Willian Lara anunciou a elaboração de uma carta dirigida ao Conselho Nacional Eleitoral, sobre a proposta de dissolver formalmente o Movimento Quinta República. Chávez salientou a necessidade de um único partido, unido pela causa Bolivariana.[10]

O partido realizou seu primeiro congresso no início de 2008.[11]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Dos 24 partidos políticos que apoiaram Hugo Chávez nas eleições presidenciais de 2006, 11 estão em processo de adesão PSUV. No dia 7 de março de 2007, apresentou um projeto gradual para fundar o novo partido até novembro 2007.[10] O Partido Comunista da Venezuela, o Pátria para Todos e o Pela Democracia Social inicialmente declaram que iriam aguardar a fundação do PSUV, e só então a partir do programa do novo partido decidir pela adesão.[11]

Em 18 de março de 2007, Chávez em seu programa Alô Presidente declarou que ele havia “aberto as portas para o Pela Democracia Social, o Pátria para Todos e o Partido Comunista da Venezuela, se eles querem deixar a aliança com Chávez, eles podem e deixar-nos em paz.” Na opinião dele estes partidos estão perto da oposição e devem escolher sabiamente o caminho para sair, “no silêncio, nos abraçar ou atirar pedras.”[12] O Pátria para Todos, no congresso de 10 e 11 de Abril, optou pela não se dissolver, entretanto reafirmou seu apoio a Hugo Chávez e a Revolução Bolivariana.[13]

Deve-se resaltar que muitos movimentos da esquerda revolucionária entraram no PSUV e têm uma participação entusiástica e vigorosa em suas lutas. Os mais notáveis são os grupos trotskistas: Corriente Marxista Revolucionaria, Lucha de Classes (CMI), e Socialismo Revolucionario (CIT/CWI)

Em março de 2010, Chávez comentou a renúncia do PSUV de Henri Falcon, governador do Estado de Lara. Chávez afirmou: "Quem segue Henry Falcon é contra mim"[14] e "O Pátria Para Todos e o Partido Comunista da Venezuela irão desaparecer do cenário político, porque eles são mentirosos e manipuladores”[15] .

Chávez disse que "É um partido muito jovem", com uma idade média de 35 entre os membros. Isto é pensado para existir uma identificação com a baixa idade para se votar, 16 anos, e os mais jovens são incentivados partcipar. Os analistas concordam, dizendo: “O pressuposto é que os jovens serão bolivarianos [em apoio ao Chávez], eles são aqueles cujas famílias foram beneficiadas com programas sociais de Chávez.”[1]

Partidos agregados ao PSUV Partidos não agregados ao PSUV
Movimento Quinta República (MVR) Pela Democracia Social (PODEMOS)
Movimento Eleitoral do Povo (MEP)[16] Pátria para Todos (PPT)
Movimento Independente Ganhamos Todos (MIGATO) Partido Comunista da Venezuela (PCV)
União Popular Venezuelana (UPV)[17] Classe Média Revolucionária (CMR)
Movimento Revolucionário Tupamaro (MRT)[18] Gente Emergente (GE)
Liga Socialista (LS)[19] Redes de Respostas de Mudanças Comunitárias (REDES)
Movimento pela Democracia Direta (MDD)[20] Unidade Patriótica Comunitária (UPC)
Partido União[21] Movimento de Concentração Gente Nova (MCGN)
Movimento Cívico Militante (MCM)[22] Organização Nacionalista Democrática Ativa (ONDA)
Força de Ações Coordenadas de Bases pela Aliança (FACOBA) Movimento Nacional Independente (MNI)
Independentes pela Comunidade Nacional (IPCN)[23] Poder Laboral (PL)
Correntes Revolucionárias Venezuelanas (CRV)

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O partido é dirigido a nível nacional por um presidente, vice-presidente, e um conselho de 29 membros da administração:

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]