Partido da Independência (Islândia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido da Independência
Sjálfstæðisflokkurinn
Presidente Bjarni Benediktsson Jr
Fundação 25 de maio de 1929
Sede IslândiaReiquiavique
Ideologia Liberal conservador e eurocético
Fusão Partido Conservador e Partido Liberal
Afiliação internacional União Internacional Democrata
Afiliação europeia Aliança de Conservadores e Reformistas Europeus
Cores Azul
Site www.XD.is

O Partido da Independência (em islandês: Sjálfstæðisflokkurinn) é um partido de centro-direita,[1] [2] liberal conservador[3] e eurocético[4] [5] [3] da Islândia e é o segundo maior partido no Althing, o parlamento islandês, com 16 assentos. O presidente do partido é Bjarni Benediktsson e o vice-presidente é Ólöf Nordal.

Foi formado em 1929 através da fusão do Partido Conservador e do Partido Liberal. Isso uniu os dois partidos defendem a independência da Islândia, que foi alcançado em 1944. A partir de 1929, o partido ganhou a maior parte dos votos em todas as eleições até a eleição de 2009, quando teve menos votos que a Aliança Social Democrática. Até Benediktsson assumir a liderança após a derrota de 2009, todos os líderes do partido da independência também ocuparam o cargo de primeiro-ministro.

O Partido Independente envolve-se amplamente todo o pensamento de centro-direita na Islândia. Economicamente liberal e contra o intervencionismo, o partido está mais fortemente apoiado por pescadores, pessoas com alta renda e graduados,[6] sobretudo em Reiquiavique.[7] É menos conservador social do que suas contrapartes escandinavas.[7] Apoia a adesão islandesa na OTAN. É membro da União Internacional Democrata e da Aliança de Conservadores e Reformistas Europeus.

Referências

  1. "Centre-left wins Iceland election", 26 April 2009.
  2. Waterfield, Bruno. "Iceland elects new Left-wing government", 26 April 2009.
  3. a b Parties and Elections in Europe: The database about parliamentary elections and political parties in Europe, by Wolfram Nordsieck
  4. Steed, Michael. Liberal Parties in Western Europe. Cambridge: Cambridge University Press, 1988. 376–95 pp. ISBN 978-0-521-32394-9
  5. Nergelius, Joakim. Nordic and other European constitutional traditions. Leiden: Martinus Nijhoff Publishers, 2006. p. 34. ISBN 978-90-04-15171-0
  6. Siaroff, Alan. Comparative European party systems: an analysis of parliamentary elections. London: Taylor & Francis, 2000. p. 295. ISBN 978-0-8153-2930-5
  7. a b Tomasson, Richard F.. Iceland: The First New Society. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1980. p. 42. ISBN 978-0-8166-0913-0
Ícone de esboço Este artigo sobre a Islândia é um esboço relacionado ao Projeto Europa. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.