Patricia Pillar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Patrícia Pillar)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde janeiro de 2013) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Patricia Pillar
Patricia Pillar durante as gravações da novela Lado a Lado, em 2012.
Nome completo Patricia Gadelha Pillar
Nascimento 11 de janeiro de 1964 (50 anos)
Brasília, DF
Nacionalidade  brasileira
Ocupação Atriz
Cônjuge Zé Renato (1985—1995)
Ciro Gomes (1999 — 2011)
Outros prêmios
Troféu Imprensa - Melhor Atriz
2008 - Flora em A Favorita
Página oficial
IMDb: (inglês)

Patricia Gadelha Pillar[nota 1] (Brasília, 11 de janeiro de 1964) é uma atriz, apresentadora de televisão,[1] diretora e produtora brasileira.

Foi casada por 12 anos com o ex-deputado federal Ciro Gomes, filiado ao PSB, de quem se divorciou em dezembro de 2011.[2]

Fez sua estreia em televisão em 1985, no programa de videoclipes musicais FM TV, em parceria com Tim Rescalla, na Rede Manchete, e na telenovela Roque Santeiro, da TV Globo. Ao longo de sua carreira na televisão esteve em mais de 20 novelas e seriados. Apresenta também o programa Som Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e início da carreira[editar | editar código-fonte]

Patricia Pillar nasceu três meses antes do Golpe Militar de 1964. Em virtude da profissão de seu pai, Nuno, oficial da Marinha, Patricia saiu de Brasília e morou em diversos lugares do Brasil, como Vitória e Santos, até se fixar no Rio de Janeiro, aos 14 anos.

Patricia sempre quis ser atriz, então trabalhava enquanto fazia o ensino médio para pagar as aulas de teatro. Aos 16 anos fez sua primeira foto como modelo. Chegou a cursar a faculdade de jornalismo, mas desistiu para investir na carreira de atriz. Começou no teatro amador, fez Tablado, depois entrou para o grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone. Em 1983 fez seu primeiro filme, Para Viver um Grande Amor, onde atuou com Djavan. Foi sua atuação nesse filme que a fez ser escalada para o elenco de Roque Santeiro, em 1985.

Teatro[editar | editar código-fonte]

No teatro, sua primeira casa, Patricia trabalhou com o diretor Hamilton Vaz Pereira em sua fase pós-Astrúbal Trouxe o Trombone. Ele a dirigiu em “Tem Pra Gente” (1983), “Amizade de Rua” (1985), "Estúdio Nagazaki" (1986) e "O Máximo" (1989). Nos palcos, também esteve ao lado de Raul Cortez em “Lobo De Rayban” (1998) e foi dirigida por Aderbal Freire Filho em “A Prova” (2004).

Cinema[editar | editar código-fonte]

Seus trabalhos mais importantes no cinema foram em O Quatrilho e em Zuzu Angel. O Quatrilho chegou a ser indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro, e foi um dos precursores do processo de retomada do cinema nacional. Para compor essa personagem, ela teve que passar meses aprendendo o sotaque vêneto, conviveu com colonos e aprendeu a traçar palhas para fazer cestos. Zuzu Angel é a personagem mais complexa da carreira de Patrícia nos cinemas, como ela mesma definiu.

Patrícia foi cogitada para viver a personagem título do filme Olga, mas abandonou o projeto com a saída do diretor Luiz Fernando de Carvalho. O papel acabou ficando para Camila Morgado.[3] [4] [5] [6]

Fã do cantor e compositor Waldick Soriano, dirigiu o premiado documentário sobre a vida do ídolo da música romântica brasileira, chamado Waldick, Sempre no Meu Coração. Essa foi sua estreia como diretora no cinema.

Campanhas[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2001 Patrícia descobriu que tinha um nódulo no seio. Foi constatado que era um tumor maligno, porém como foi diagnosticado em estágio inicial ele pôde ser totalmente removido. A atriz tornou público seu drama e apareceu de cabeça raspada em vários eventos, como forma de incentivar as mulheres a fazer o autoexame de mama e a enfrentar o câncer. A partir de então integrou a campanha "O câncer de mama no alvo da moda", do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer, que conta com o apoio de diversos artistas [7]

Participou também da campanha Bem-Querer Mulher, pelo fim da violência contra a mulher.[8]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Titulo Personagem
1985 FM TV apresentadora
Roque Santeiro Linda Bastos Moreyra França
1986 Sinhá Moça Ana do Véu (Ana Luísa Maria Teixeira)
Vídeo Show apresentadora
1987 Brega & Chique Ana Cláudia Alvaray
Armação Ilimitada Santinha de Oliveira (episódio Verão '87)
1988 Vida Nova Bianca
1990 Rainha da Sucata Alaíde
1991 Salomé Salomé
1992 Você Decide
As Noivas de Copacabana Cinara Alves
1993 Renascer Eliana
1994 Pátria Minha Ester Fonseca
1996 O Rei do Gado Luana (Marieta Berdinazzi II)
1998 Mulher Dra. Cris (Cristina Brandão)
2001 Um Anjo Caiu do Céu Duda (Maria Eduarda)
2003 Carga Pesada Rosa
2004 Cabocla Emerenciana de Sousa Pereira (Ciana)
Histórias de Cama & Mesa Paula
2005 Os Amadores Lena
A Diarista Marta
2006 Sinhá Moça Cândida Ferreira (Baronesa de Araruna)
2007 Som Brasil apresentadora
2008 A Favorita Flora Pereira da Silva (Sandra Maia / Espoleta)
2010 Passione Juliana (participação especial) [9]
2011 Divã Suzana (participação especial)
2012 As Brasileiras Ludmila (Episódio: A Viúva do Maranhão)
Lado a Lado Constância Assunção [10] [11] [12]
2014 Amores Roubados Isabel Favais [13]
O Rebu Angela Mahler [14] [15]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Como atriz
Como diretora

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta seção não cita fontes confiáveis e independentes (desde Novembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ano Prêmio Categoria Trabalho Resultado
1992 Prêmio Candango Melhor atriz
A Maldição do Sanpaku
Venceu
1994 Prêmio APCA Melhor atriz Venceu
1996 Prêmio APCA Melhor atriz coadjuvante
Menino Maluquinho - O Filme
Venceu
Prêmio Contigo! Melhor atriz
O Rei do Gado
Venceu
1998 Prêmio Festival de Brasília Melhor atriz
Amor & Cia
Venceu
2006 Prêmio Cinema Brasil Melhor atriz
Zuzu Angel
Indicado
2007 Prêmio Contigo! Melhor atriz Indicado
Prêmio Vivo Melhor atriz Indicado
2008 Festival de Paulínia Melhor documentário
Waldick, Sempre No Meu Coração
Indicado
18º Prêmio FestNatal Melhor filme (júri popular) Venceu
Prêmio Qualidade Brasil Melhor atriz
A Favorita
Venceu
Prêmio Extra de Televisão Melhor atriz Venceu
Prêmio QUEM Acontece Melhor atriz Venceu
Prêmio Contigo! Celebridade do ano Indicado
FestNatal Melhor atriz Venceu
Prêmio Editora Três Personalidade do ano Venceu
Prêmio APCA Melhor atriz Venceu
Prêmio UOL PopTevê Melhor atriz Venceu
Prêmio TV Press Melhor atriz Venceu
Prêmio IG Gente Melhor atriz Venceu
Prêmio Tudo de Bom Melhor atriz Indicado
2009 Troféu Imprensa Melhor atriz Venceu
Troféu Internet Melhor atriz Venceu
Melhores do Ano Melhor atriz Venceu
Prêmio Contigo! Melhor atriz Venceu
Prêmio Minha Novela Melhor atriz Venceu
2014 Prêmio F5 Atriz do Ano
O Rebu
Indicado [16]

Notas

  1. Segundo a ortografia oficial, o prenome da atriz deveria ser grafado Patrícia, com acento agudo no primeiro i, pois é uma paroxítona terminada em ditongo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]