Paul Grüninger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paul Grüninger
Nascimento 27 de Outubro de 1891
Morte 22 de fevereiro de 1972 (80 anos)
Ocupação comandante de Polícia

Paul Grüninger (27 de outubro de 1891 - 22 de fevereiro de 1972) foi o comandante da polícia do cantão de St. Gallen, na Suíça[1] .

Em agosto e setembro de 1938, após a Anschluss, ele salvou cerca de 3.601 refugiados judeus dos nazis na Áustria, permitindo-lhes entrar na Suíça (naquela época, devido à política de neutralidade, a Suíça tinha fechado as suas fronteiras aos refugiados). Um ano depois foi condenado por fraude e sentenciado a dois anos de prisão e a pagar uma multa. Como ex-presidiário, foi-lhe difícil conseguir um emprego e a vida que tinha não era fácil. Paul Grüninger morreu na pobreza em 1972, sem ver o seu heroísmo reconhecido[2] .

Os descendentes de Paul Grüninger, juntamente com pressões diplomáticas americana e de grupos judeus, conseguiram limpar o seu nome. O tribunal do distrito de St. Gallen exonera-o em 1995. Honras oficiais foram dadas em Israel: ele é um dos mais de 20.000 gentios lembrados como justos entre as nações pelo Yad Vashem. Em honra do seu sacrifício, uma rua, localizada no bairro Pisgat Ze'ev de Jerusalém, recebe o seu nome[3] .

Entre outros casos conhecidos de figuras que se destacaram pela coragem e humanismo incluem-se o cônsul de Portugal em Bordéus, Aristides de Sousa Mendes, e o cônsul japonês em Kaunas (Lituânia), Chiune Sugihara.

Referências