Paul van Ostaijen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paul van Ostaijen
Boem paukeslag, um dos poemas mais famosos de Van Ostaijen

Paul van Ostaijen (Antuérpia, 22 de fevereiro de 1896 – Miavoye-Anthée, 18 de março de 1928) foi um escritor e poeta vanguardista belga de língua holandesa, considerado um dos melhores poetas belgas do século XX.

Tinha o apelido de "Senhor 1830" pelo hábito de caminhar ao longo das avenidas principais da Antuérpia vestido como um dandy daqueles anos. Sua poesia, por influência do modernismo (Expressionismo, Dadaísmo e primeiro Surrealismo), apresentava um estilo muito pessoal.

Van Ostaijen foi um ativo defensor da "independência flamenga" e devido ao seu envolvimento durante a I Guerra Mundial nesse movimento, ele foi forçado a fugir para Berlim no final da guerra. Nesta cidade, um dos centros do Dadaísmo e do Expressionismo, pode conhecer muitos outros artistas. Aí teve também uma grave crise psíquica.

De volta à Bélgica, abriu em Bruxelas uma galeria de arte. Hospitalizado em uma casa de repouso nas Ardenas belgas, ele morreu em 1928, de tuberculose.

Tendo produzido por apenas pouco mais de 10 anos, os procedimentos poéticos introduzidos por ele influenciam a poesia de língua holandesa até hoje, no início do século XXI.[1]

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Music hall (1916)
  • Het sienjaal (1918)
  • Bezette stad (1921)
  • Feesten van Angst en Pijn (escrito em 1921, publicado postumamente)
  • Nagelaten gedichten (publicado postumamente em 1928)

Outras publicações[editar | editar código-fonte]

  • De trust der vaderlandsliefde (1925)
  • Gebruiksaanwijzing der lyriek (1926)
  • Het bordeel van Ika Loch (1926)
  • De bende van de stronk (publicação póstuma, 1932)

Referências

Fonte da tradução[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.