Paula Pequeno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Paula Pequeno
Voleibol
Nome completo Paula Renata Marques Pequeno
Representante Bandeira do Brasil Brasil
Nascimento 22 de janeiro de 1982 (32 anos)
Brasília (DF), Brasil
Nacionalidade  brasileira
Compleição Peso: 74 kg Altura: 1,84 m
Posição Ponta
Clube Brasil IAV Brasília

Paula Renata Marques Pequeno, mais conhecida como Paula Pequeno (Brasília, 22 de janeiro de 1982), é uma jogadora de voleibol brasileira que atualmente defende a equipe brasiliense Brasília Vôlei em Brasília. É uma atacante que exerce função de ponteira/passadora, tanto em clubes quanto pela Seleção Brasileira de Voleibol Feminino. Paula foi eleita por duas vezes a melhor jogadora de voleibol feminino do mundo (2005 e 2008).

História[editar | editar código-fonte]

O vôlei entrou na vida de Paula por influência de sua mãe e de seu irmão, que eram jogadores. Começou sua carreira nas quadras em sua cidade natal, Brasília, no clube Asbac. Em 1995 se transferiu para São Paulo para jogar no Nestlé, onde atuou com várias estrelas do voleibol feminino como Ana Moser.

Foi no Finasa/Osasco, clube que defendeu há nove anos, que Paula conseguiu os seus principais resultados, como o tricampeonato da Superliga, títulos estaduais e até internacionais.

Pela seleção brasileira, ganhou sua primeira chance em 2002, quando algumas das principais jogadoras do país deixaram o time em protesto contra o técnico Marco Aurélio Motta. Campeã mundial juvenil no ano anterior, Paula esteve presente no Mundial de 2002, quando o Brasil terminou em sétimo lugar.

Mesmo após a queda de Motta, em 2003, Paula continuou sendo chamada. A atleta era nome certo no grupo que disputaria as Olimpíadas de Atenas, em 2004, mas uma lesão no ligamento cruzado do joelho esquerdo a poucos meses dos Jogos na Grécia tirou-a da competição. Paula teve de assistir pela TV a Seleção Brasileira sendo surpreendida pela frieza da Seleção Russa na semifinal da Olimpíadas de Atenas. Naquela época muitos críticos do vôlei disseram que se Paula estivesse em Atenas teria feito aquele único ponto que faltava para a equipe brasileira vencer o 4° set, o que não passa de pura adivinhação.

O ano de 2005 marca a volta de Paula para a seleção feminina de vôlei, que conquistou na ocasião o título do Grand Prix, vencendo a final contra as italianas num eletrizante jogo vencido apenas no tie-break. Paula foi eleita naquele ano a melhor jogadora do mundo (MVP). Além do Grand Prix 2005, Paula disputou o Montreux Volley Masters vencendo a China que era a atual campeã olímpica. No final da temporada, a atleta anunciou que estava grávida. Assim, ficou outro ano afastada da seleção.

Após o nascimento da filha, Mel, Paula passou a treinar duro para conquistar uma vaga na equipe que disputaria o Mundial no Japão, em 2006. Mesmo sem ritmo de jogo, ela foi convocada pelo técnico José Roberto Guimarães. No torneio, Paula atuou pouco, mas teve papel fundamental na concentração do time que conquista do vice-campeonato mundial, no qual a Seleção Brasileira mais uma vez foi surpreendida pela Seleção Russa.

Em 2007 disputou os Jogos Pan-Americanos, obtendo o vice-campeonato e a medalha de prata, após uma derrota para as rivais cubanas num emocionante jogo decidido apenas no tie-break. Paula foi o destaque da partida com 21 acertos. Em novembro do mesmo ano disputou a Copa do Mundo de Vôlei no Japão faturando a medalha de prata.

Na temporada de 2008 pela seleção brasileira, conquistou o bicampeonato do Grand Prix que serviu como treino para serem feitos os últimos ajustes para os Jogos Olímpicos de 2008. Depois de algumas semanas Paula sagrou-se campeã olímpica, com a vitória na final sobre a Seleção Norte Americana, em campanha notável na qual a seleção brasileira perdeu apenas um set durante todo o campeonato. Foi premiada como a melhor jogadora do torneio olímpico de voleibol (MVP) estando entre as dez melhores jogadoras em todos os fundamentos do voleibol e entre as dez maiores pontuadoras do torneio.

Encerrando a temporada de 2008 pela seleção brasileira Paula conquistou a medalha de ouro na primeira edição do Torneio de Voleibol Final Four em Fortaleza - Brasil.

Em 2009 a vida de Paula é novamente marcada pela uma nova lesão no joelho esquerdo. Após conquistar o vice-campeonato da Superliga, Paula é submetida a mais uma cirurgia no joelho que a deixou afastada das quadras por três meses. Consequentemente Paula ficou de fora das convocações da Seleção Brasileira para a Copa Pan-Americana, Montreux Volley Masters e Grand Prix.

Na temporada de 2010 Paula se apresentou tardiamente aos treinos da Seleção Brasileira por conta das finas do Campeonato Russo. Chegou ao CT de Saquarema um pouco fora de forma devida a fraca preparação física aplicada na Rússia. Começou então na condição de reseva durante todo o Grand Prix dando lugar a Jaqueline. Na fase final da competição por conta da contusão de Mari, Paula retoma o lugar de titular na partida contra os Estados Unidos mas no 4° set do jogo Paula sofre uma contusão nos ligamentos do tornozelo esquerdo. Precisou então ficar parada durante um mês e passou a ser uma incógnita para o Campeonato Mundial no Japão. Acabou sendo cortada do Campeonado Mundial([2010)], causando uma imensa tristeza de suas companheiras e dos torcedores brasileiros que esperavam ver mais uma vez Paula Pequeno brilhando em quadra. No ano de 2011, ganhou o ouro nos jogos Pan-americanos, de novo contra as cubanas, mas dessa vez com o Brasil vencendo em um eletrizante jogo no tiebreak. Na Copa do Mundo de Vôlei, foi a estrela do Brasil ao lado de Sheilla, virando quase todas as bolas em que era acionada. O Brasil acabou terminando na 5ª colocação e adiando sua vaga nas Olimpíadas de Londres. Em 2012, esteve entre as 12 jogadoras que disputaram o pré-olímpico que confirmou o Brasil nos jogos olímpicos de Londres. Disputou o Grand Prix de 2012, em que o Brasil foi vice-campeão, sendo superado pelos EUA. Foi a brasileira mais bem colocada nas estatístioas de recepção, a 3ª maior pontuadora brasileira, 2ª melhor atacante e 2ª melhor defensora. Em Londres começou como titular mas acabou perdendo sua titularidade para Fernanda Garay, mesmo assim assegurou o seu bicampeonato olímpico.[1] Assinou com o Fenerbahce da Turquia onde divide com Kim, considerada a melhor jogadora da atualidade e Lindsey Berg,recém-contratada, a missão de principais jogadoras do time.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Paula Pequeno iniciou sua carreira em clubes em 1994 pelo então time juvenil do ASBAC-DF (Associação dos Servidores do Banco Central do Brasil Distrito Federal), onde jogou por três anos. Em 1997 se transferiu para o estado de São Paulo onde defendeu o Leite Moça/Sorocaba e mais tarde em 1998 defendeu o Dayvit, ambos times já pertencentes a categoria adulta.

Em 1999 aos 17 anos Paula passa a integrar o time do BCN/Osasco que mais tarde veio a se tornar Finasa/Osasco. Paula permaneceu na equipe paulista por dez anos jogando, no total, nove Superligas. Conquistou títulos nacionais (Superliga, Copa Brasil de Vôlei), estaduais (Campeonato Estadual de Vôlei Feminino) e internacionais (Salonpas Cup e Top Vôlei). Além de inúmeros prêmios individuais e homenagens de seus fãs e torcedores do time paulista. Paula é considerada por muitos como a 'cara' do time paulista.

Em 2009 após conquistar o vice-campeonato da Superliga, dirigentes do Finasa/Osasco anunciaram a extinção do time adulto alegando que a partir daquele momento só passaria a investir nas categorias de base. Mesmo depois do time ter sido salvo por empresários locais, Paula resolveu dar preferências a times europeus assinando contrato de um ano com o time russo Zarechie Odintsovo, que também conta com a ex meio-de-rede da Seleção Brasileira Walewska Oliveira.

Apesar da difícil adaptação á Rússia, ao frio intenso do páis, á língua e ao demorado entrosamento da equipe, Paula conquistou o vice campeonato da Copa Russa de Voleibol Feminino em Dezembro de 2009 e alcançou o quinto lugar pela Champions League. Em Maio de 2010 Paula conquistou o Campeonato Russo de Voleibol Feminino numa final melhor de 5 jogos contra o Dínamo de Moscou. O título só foi decidido no quinto jogo, numa partida eletrizante decidida apenas no tie-break, na qual o Zarechie Odintsovo levou a melhor.

Após a passagem pelo voleibol russo, Paula recebeu várias propostas de clubes da Europa e Ásia. Ao expôr sua vontade de voltar a defender clubes brasileiros, Paula recebeu uma sondagem da equipe paulista do Vôlei Futuro de Araçatuba. Mas dias depois de terem contratado a central Fabiana e a oposta Joyce a equipe paulista fez uma nova proposta a Paula. A jogadora então passa a defender a equipe paulista por duas temporadas. Em 2012, assinou contrato com o clube turco Fenerbahçe, onde jogará ao lado de sua companheira de seleção Mari. Em 2013 acerta seu retorno ao Brasil para jogar no Brasília.[2]

Clube País De Até
ASBAC  Brasil 1994 1997
Leites Nestlé  Brasil 1997 1998
Dayvit  Brasil 1998 1999
Osasco  Brasil 1999 2009
Zarechie Odintsovo  Rússia 2009 2010
Vôlei Futuro  Brasil 2010 2012
Fenerbahçe  Turquia 2012 2013
Brasília  Brasil 2013

Títulos[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Juvenil[editar | editar código-fonte]

Adulta[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Leite Moça/Jundiaí
  • São Paulo Simple cup icon.svgCampeã do Sul-americano de Clubes - 1997
  • São Paulo Simple cup icon.svgCampeã do Campeonato Paulista - 1997
  • São Paulo Silver medal with cup.svg Vice-campeã da Superliga - 97/98
Finasa/Osasco
  • São Paulo Simple cup icon.svg Octacampeã do Campeonato Paulista de Voleibol Feminino

2001, 2002, 2003, 2004, 2006, 2007, 2008 e 2009

02/03, 03/04, 04/05

2008

2005, 2006 e 2008

  • São Paulo Simple cup icon.svg Campeã da Copa São Paulo de Vôlei 2006

01/02, 05/06, 06/07, 07/08 e 08/09

2007

Zarechie Odintsovo/Toyota
  • Rússia Silver medal with cup.svg Vice-campeã da Copa Russa 2009
  • Rússia Simple cup icon.svg Campeã do Campeonato Russo de Voleibol 2009/2010
Volei Futuro/Reunidas
  • São Paulo Simple cup icon.svg Campeã Jogos do Interior Santos 2010
  • São Paulo Silver medal with cup.svg Vice-campeã Campeonato Paulista 2010
  • Suíça Silver medal with cup.svg Vice-campeã do Torneio Top Volley 2010
  • Brasil Bronze medal with cup.svg Bronze Superliga 2010/2011
  • São Paulo Simple cup icon.svgCampeã do Campeonato Paulista - 2011
  • Brasil Bronze medal with cup.svg Bronze Superliga 2011/2012

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Atacante da Superliga 2007
  • MVP da Copa Brasil de Vôlei - 2007
  • MVP da Copa Brasil de Vôlei - 2008
  • Dentre vários prêmios de melhor em quadra.

Imprensa[editar | editar código-fonte]

  • Troféu Melhor do Vôlei 2008
  • Título de cidadã Osasquense 2009

Referências

  1. Coadjuvante no ouro de Londres, Paula Pequeno diz que foi mal aproveitada por Zé Roberto Olimpiadas.uol.com.br (13 de agosto de 2012). Página visitada em 24 de janeiro de 2014.
  2. Brasília terá Paula Pequeno e Érika na nova equipe de vôlei para a Superliga Globoesporte.com (19 de junho de 2013). Página visitada em 24 de janeiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]