Paulinho Boca de Cantor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulinho Boca de Cantor
Informação geral
Nome completo Paulo Roberto Figueiredo de Oliveira
Nascimento 28 de junho de 1946 (68 anos)
Origem Santa Inês,  Bahia
País Flag of Brazil.svg Brasil
Gênero(s) Tropicália, MPB
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 1969–atualmente
Afiliação(ões) Novos Baianos

Paulo Roberto Figueiredo de Oliveira, mais conhecido por Paulinho Boca de Cantor (Santa Inês, Bahia, 28 de junho de 1946) é um cantor e compositor brasileiro. Foi um dos membros fundadores do grupo de MPB Novos Baianos, que durou de 1969 à 1979.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Novos Baianos[editar | editar código-fonte]

Paulo começou como crooner do grupo Orquesta Avanço, que atuava em Salvador e no interior da Bahia[1] . Em 1969, fundou, ao lado de Pepeu Gomes, Baby Consuelo, Luiz Galvão e Moraes Moreira, o grupo Novos Baianos. Era um dos principais compositores do grupo, ao lado de Luiz Galvão[2] . Junto com o grupo, lançou 10 álbuns de estúdio, entre eles o premiado Acabou Chorare, considerado o melhor álbum brasileiro da história[3] . Criou em 1976 o "Trio Elétrico dos Novos Baianos", e colocou o som vocal pela primeira vez nos trios elétricos, o que se tornou obrigatório até os dias de hoje. Em 1979, com o fim do grupo, começou sua carreira solo.

Carreira Solo[editar | editar código-fonte]

Seu primeiro álbum solo tinha o título de Paulinho Boca de Cantor - Bom de Chinfra e Bom de Amor pela CBS, e tinha destaque pela parceria com Gilberto Gil e Luiz Galvão na faixa “Que bom prato é vatapá”. Em 1981, consolidou sua carreira solo ao lançar Valeu, um dos álbuns de produção independente mais vendidos no Brasil[4] . Em 1983 se apresentou em Roma, no espetáculo Bahia de Todos os Sambas, ao lado de nomes como Gal Costa, Caetano Veloso e João Gilberto. Nos anos seguintes foi contratado pela EMI e lançou mais três discos.

Em 1992 fundou a ABAI, Associação Bahiana de Artistas Independentes. Em 1997 reuniu os Novos Baianos e lançou o disco Infinito Circular, pela Som Livre. Fez também algumas apresentações ao vivo com a banda, incluindo a "Noite Brasileira" no Festival de Montreux, Suíça.

Em 2000, tornou-se pesquisador da história da música brasileira. Em 2008 gravou um especial para a TVE - Bahia.

Histórico[editar | editar código-fonte]

1963 a 1968- Começou atuando como crooner de ‘Carlito e sua Orquestra’ que depois virou ‘Orquestra Avanço’ animando bailes em Salvador e no interior da Bahia.

1969- Funda em Salvador o grupo ‘Novos Baianos’, com Moraes Moreira, Galvão, Baby do Brasil e Pepeu Gomes.

1969 a 1979- Lançou dez discos com os Novos Baianos participou de todo trabalho do grupo que revolucionou a música brasileira nos anos 70, inclusive criou o Trio Elétrico dos Novos Baianos (1976) colocando pela primeira vez som de voz no Trio Elétrico e é presença marcante até os dias atuais no Carnaval de Salvador. Vivendo numa comunidade o grupo ‘Novos Baianos’ revolucionou a música brasileira nos anos 70 e ainda é referência para novas gerações.

1979- Começa carreira ‘solo’, lança disco Paulinho Boca de Cantor- Bom de Chinfra e Bom de Amor (CBS)- destaque para a parceria com Gilberto Gil e Galvão na faixa “Que bom prato é vatapá”.

1981- Lança o disco de maior sucesso em sua carreira ‘VALEU’. Consolida sua carreira ‘solo’ fazendo shows por todo Brasil e vende mais de 100 mil cópias – um dos discos independentes mais vendidos no Brasil até hoje.

1983- Lança o disco Prazer de Viver e começa sua carreira no exterior se apresentando em Roma no show ‘Bahia de Todos os Sambas’ ao lado dos nomes mais expressivos da nossa música entre eles – Dorival e Nana Caymmi, Gal Costa, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Moraes Moreira, Batatinha e João Gilberto.

1984- É contratado pela Emi Odeon e faz três discos na nova gravadora – Cantor Popular (1984), Carnaval Já (1985) e Brincar pra Valer (1986) e continua se apresentando em vários eventos musicais importantes em todo Brasil, participa do disco infantil Casa de Brinquedos – cantando a música Macaquinho de Pilha junto com o parceiro Carlinhos Vergueiro- o disco foi idealizado e produzido por Toquinho.

1988- Vai morar em Nova York funda a ‘Bahia Band’ levando as primeiras fusões da nova música baiana e o que se passou a chamar ‘axé music’ para os Estados Unidos. Faz shows em várias cidades americanas, permanecendo por lá até 1990.

1990- Lança o disco “Não se morre mais” (Memória Discos), destaque para o sucesso junino Forró em Cachoeira (parceria com Edil Pacheco|) volta a morar em Salvador participa de vários projetos culturais importantes.

1992- Funda a ABAI Associação Bahiana dos Artistas Independentes junto com o parceiro Edil Pacheco assegurando a participação dos artistas independentes no Carnaval de Salvador.

1997- Volta à mídia e aos palcos de todo Brasil com o lançamento do maravilhoso CD Todos os Sambas – uma leitura de todas as nuances do samba desde a chula até a bossa nova.

1997- Reúne o grupo “Novos Baianos”, depois de quase vinte anos e grava com o grupo o CD duplo Infinito Circular- (ao vivo) pela gravadora Som Livre / Universal, faz shows históricos com o grupo em todo Brasil.

1998- Participa com o grupo Novos Baianos da Noite Brasileira no Festival de Montreux na Suíça.

1999- Idealiza, produz e participa do CD em homenagem aos 100 anos do Esporte Clube Vitória que contou com as participações de Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Tatau (Araketu), Durval Lélis, Gil da Banda Beijo e toda a galera do Axé Music que torce pelo’rubro negro’ baiano.

2000- Começa a pesquisar e idealizar junto com o compositor Edil Pacheco o antológico projeto ‘Do Lundu Ao Axé- Bahia de Todas as Músicas’- CD duplo institucional- uma homenagem aos melhores compositores do século passado (período de 1902 até 2002) e que contou com a participação de todos os grandes nomes da nossa música dentre eles Gilberto Gil, Carlinhos Brown, Margareth Menezes, Moraes Moreira, Lazzo, Gerônimo, Luiz Caldas, Armandinho entre outros.

2002- Lança CD duplo ‘Do Lundu ao Axé – Bahia e Todas as Músicas’ através do Fazcultura (projeto de incentivo a cultura da Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia).

2003- Apresenta o projeto Do Lundu ao Axé nas principais capitais Brasileiras.

2004- Lança o CD Gerasons (pela Atração) – com a participação de Pepeu Gomes e Baby do Brasil e todos os filhos dos Novos Baianos se apresentando em vários programas de TV inclusive o Programa do Jô e faz show em várias cidades do Brasil.

2005- É convidado para fazer especial de TV pela TVE- de Salvador e transforma o show em seu primeiro DVD A Bossa do Boca. Uma homenagem a Bossa Nova e ao seu criador, o genial baiano João Gilberto.

2006- Comemora 60 anos com coquetel para imprensa e convidados no Armazém Santa Maria – Villa Gourmet em Salvador e na ocasião lança CD/ DVD A BOSSA DO BOCA (Atração), divulgando em todo Brasil em programas de TV, rádio e imprensa escrita e começa turnê nacional dia 22 de setembro com show na Concha Acústica do Teatro Castro Alves em Salvador com a participação de Arnaldo Antunes e Luiz Melodia, depois segue para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília o resto do país divulgando o trabalho.

2007- Segue divulgando o CD/DVD ‘A BOSSA DO BOCA’ se apresentando em programas de Tv e shows por todo Brasil. Apresentou-se no Carnaval de Salvador 2007, como faz todos os anos dês 1975 animando o Carnaval do Povão em um trio elétrico independente. Apresentou A Bossa do Boca em Salvador dia 15 de maio no Teatro Jorge Amado, no Rio dia 21 de maio e em São Paulo dia 22 de maio e segue em turnê pelo Nordeste e no Sul no segundo semestre. Estréia o show Paulinho Boca Canta Novos Baianos dia 1 de dezembro na Boomerangue em Salvador e grava especial de Tv para TVE dia 11 de dezembro de 2007.

2008- Homenageia o grupo Novos Baianos e comemora o fato do disco Acabou Chorare (Novos Baianos 1972) ser considerado o melhor disco feito no Brasil em todos os tempos (Revista Rolling Stone – Outubro 2007), e apresenta em todo Brasil o show PAULINHO BOCA CANTA NOVOS BAIANOS TOUR 2008. Grava especial para a TVE – Bahia exibido no dia 2 de março de 2008 e que será exibido em rede pela TV BRASIL, e editado em CD/DVD.

Discografia Solo[editar | editar código-fonte]

  • 1979 - Paulinho Boca de Cantor (CBS)
  • 1981 - Valeu (JQN Discos)
  • 1982 - Prazer de Viver(Polygram)
  • 1984 - Cantor Popular (EMI)
  • 1985 - Carnaval Já (EMI)
  • 1986 - Brincar Pra Valer (EMI)
  • 1997 - Todos os Sambas(RGE)

Referências[editar | editar código-fonte]