Paulo António de Carvalho e Mendonça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo António de Carvalho e Mendonça
Cardeal da Santa Igreja Romana
Ordenação e Nomeação
Cardinalato
Criação 18 de Dezembro de 1769, pelo Papa Clemente XIV
Brasão
CardinalnobishopCOAPioM.svg
Dados Pessoais
Nascimento Flag Portugal (1707).svg Lisboa
1702
Falecimento PortugueseFlag1750.png Lisboa
17 de Janeiro de 1770 (68 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Paulo António de Carvalho e Mendonça (Lisboa, 1702 - Lisboa, 17 de Janeiro de 1770) foi um clérigo português, ascendendo a inquisidor-geral e cardeal .[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era o quarto filho de Manuel de Carvalho e Ataíde com Luísa Teresa de Mendonça e Melo. Assim, era irmão do Marquês de Pombal. Desempenhou as funções de monsenhor da Sé Patriarcal de Lisboa.[2]

Foi secretário e supervisor da casa e da propriedade da rainha Mariana Vitória de Bourbon, esposa do rei Dom José I. Presidente do Conselho da Santa Inquisição. Nomeado Grão-Prior da Colegiada de Guimarães pelo rei José I, em março de 1762. Escreveu para o capítulo para anunciar sua nomeação em 11 de Março. Presidente da Câmara do Senado de Lisboa, por decreto de 19 de Setembro de 1764. Sua promoção ao cardinalato foi solicitado pelo rei D. José I de Portugal.

Foi na sua jurisdição que o padre jesuíta Gabriel Malagrida foi condenado à morte por heresia e foi feita a expulsão da Companhia de Jesus de Portugal.

Clemente XIV fê-lo cardeal in pectore em 18 de Dezembro de 1769, acabando por revelar o seu nome em 29 de Janeiro de 1770; contudo, a notícia chegou a Lisboa já este havia falecido.

Referências

  1. Freund, Thomas. Pombalmythen in der portugiesischen Literatur (em alemão). Köln: Klein, 1988. p. 14-15. ISBN 3-9261-3504-2
  2. 1699-1750. Página visitada em 06.mai.2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]