Paulo Gonzo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alberto Ferreira Paulo (Lisboa, 1 de novembro de 1956), mais conhecido pelo nome artístico de Paulo Gonzo, é um conhecido cantor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi fundador do grupo Go Graal Blues Band. Em 1984 começa uma carreira a solo, a par do seu trabalho na banda, lançando em 1986 um álbum de covers. Em 1992 resolve lançar o seu primeiro disco cantado em português, Pedras da Calçada, que é um enorme sucesso, em grande parte devido ao tema Jardins Proibidos. De então até ao presente vai alternando as edições cantadas em inglês e português. Em Novembro de 1993 é publicada a colectânea "My Best" com os seus maiores sucessos em inglês.

O álbum Fora d'Horas, com produção de Frank Darcel, é editado em 1995. O disco inclui letras de Pedro Abrunhosa ("Lugares" e "Acordar"), Rui Reininho e Pedro Malaquias.

Nos Prémios Blitz vence o prémio de melhor voz masculina sendo também nomeado para melhor artista masculino.

Em 1997, Paulo Gonzo lança a compilação "Quase Tudo" que conseguiu a proeza de ser Sêxtupla Platina. Os maiores sucessos deste disco são uma nova versão de "Jardins Proibidos" com a participação de Olavo Bilac e "Dei-te Quase Tudo".

Em 1998 é editado o álbum "Suspeito" com produção de Frank Darcel e com uma participação especial de James Cotton (ex-trompetista de Miles Davis). É continuada a parceria de Paulo Gonzo com o letrista Pedro Malaquias e com Rui Reininho (em "Eco Aqui" e na adaptação de "These Foolish Things"). Outros temas são "Pagava P'ra Ver", "Ser Suspeito" e "Fogo Preso". O disco atinge o galardão de Platina.

"Ao Vivo Unplugged", gravado ao vivo nos Estúdios Valentim de Carvalho, é editado em 1999. O disco revisita uma grande parte do percurso a solo de Paulo Gonzo. Como convidados aparecem o pianista Bernardo Sassetti, Rui Reininho participa em "Coisas Soltas", Tim participa na versão acústica de "Chuva Dissolvente" e Zé Pedro toca em "Curva Fatal".

O álbum "Mau Feitio", gravado na Bélgica, é editado em 2001. Tito Paris e African Voices são alguns dos convidados do disco.

Por ocasião do Campeonato Mundial de Futebol da Coreia e Japão, de 2002, lança o single "Mundial". O tema foi incluído na compilação oficial do Campeonato do Mundo de Futebol de 2002.

Ainda em 2002 é lançado um single com "Somos Benfica", o hino que Paulo Gonzo compôs em parceria com António Melo e Rui Fingers.

Em julho de 2003 é reeditado o disco "Ao Vivo Unplugged" com a inclusão de um DVD.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • So Do I/Versão Instrumental (Single, Materfonis, 1985)
  • Somewhere in the Night (Single, Materfonis, 1985)
  • Somewhere in the Night (Máxi, CBS, 1986)
  • Ridiculous Love (Single, CBS, 1986)
  • These Arms Of Mine/Missing (Single, CBS, 1986)
  • Stay/All Over The World (Single, CBS, 1987)
  • My Girl/She Knocks Three Times (Máxi, CBS, 1988)
  • My Girl/She Is My Song (Single, CBS, 1988)
  • Can´t Be With You Tonight/If You Love Me (Máxi, CBS, 1989)
  • Caprichos da Lua (Single, Sony Music, 1992)
  • Jardins Proibidos (Single, Sony Music, 1993)
  • Acordar (Single, Sony Music, 1995)
  • Mundial (Single, Sony Music, 2002)
  • S.L.B. (Somos Benfica) (Single, Sony Music, 2002)

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • Três Histórias à Lareira (1997) - Tema dos Povos Estranhos
  • Voz & Guitarra (1997) - Pedras da Calçada / Só
  • Noites Longas (1998) - Acordar (Alex S Sushi Style Mix)
  • XX Anos XX Bandas (1999) - Chuva Dissolvente

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.