Paulo Goulart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo Goulart
Nome completo Paulo Afonso Miessa
Nascimento 9 de janeiro de 1933
Ribeirão Preto, SP, Brasil
Morte 13 de março de 2014 (81 anos)
São Paulo, SP, Brasil
Ocupação Ator
Cônjuge Nicette Bruno
Outros prêmios
Troféu APCA - Melhor ator
  • 1974: Orquestra de Senhoritas

Prêmio Molière - Melhor ator

  • 1974: Orquestra de Senhoritas

Paulo Goulart, nome artístico de Paulo Afonso Miessa[1] (Ribeirão Preto, 9 de janeiro de 1933São Paulo, 13 de março de 2014) foi um autor e ator brasileiro. Considerado um dos maiores talentos do teatro brasileiro. Goulart deixou sua marca na televisão e no cinema. Em 1974, ganhou o troféu APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e o Prêmio Molière de Melhor Ator, por sua atuação em Orquestra de Senhoritas, de Jean Anouilh, com direção de Luís Sérgio Person. Em 2006, a família Goulart foi homenageada na 18ª edição do Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro. Paulo Goulart, Nicette Bruno e seus filhos Beth Goulart, Bárbara Bruno e Paulo Goulart Filho receberam um troféu especial, pela união e trabalho desenvolvidos nos palcos em mais de 20 anos de carreira.[2] Em 2014, Paulo foi homenageado na 26º edição do Prêmio Shell de Teatro de São Paulo.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Paulo Afonso Miessa nasceu em Ribeirão Preto, São Paulo, em 9 de janeiro de 1933. Iniciou sua vida profissional como operador e locutor em uma rádio fundada por seu pai, em Olímpia, São Paulo. O ator chegou a estudar Química Industrial no Liceu Eduardo Prado. Recebeu o sobrenome artístico (Goulart) do tio radialista Airton Goulart. Paulo estreou como ator nas radionovelas em 1951. Seu primeiro papel na TV Tupi foi em um programa humorístico em que contracenava com Amácio Mazzaropi. Um anos depois, saiu da Rádio Tupi e TV Tupi, indo para a TV Paulista para integrar o elenco da novela Helena, de Manoel Carlos. Fez sua estreia no teatro ainda em 1952, na peça Senhorita Minha Mãe, de Louis Verneuil, dirigida por Abelardo Figueiredo e, no mesmo ano, em Amor Versus Casamento, de Maxwell Anderson, direção de Rubens Petrille de Aragão.[4]

Paulo Goulart viveu com a atriz Nicette Bruno por 60 anos, conhecendo-a em 1952 e casando em 1954. Sua esposa, Nicette Bruno (7 de janeiro de 1933), é 2 dias mais velha que o ator. Ambos professam seguir os ensinos do Espiritismo há décadas, juntamente com seus filhos.[5] O casal fundou, em 1953, a companhia Teatro Íntimo Nicette Bruno (Tinb).[6] Paulo e Nicette moraram em Curitiba no início dos anos de 1960, quando foram convidados por Cláudio Corrêa e Castro para lecionar teatro e fazerem parte do primeiro grupo do recém criado Teatro de Comédia do Paraná.[7] Seus filhos são as atrizes Beth Goulart e Bárbara Bruno e o ator e dançarino Paulo Goulart Filho. Também era avô das atrizes Vanessa Goulart e Clarissa Mayoral.[8]

No cinema, ele estreou em 1954, na comédia Destino em apuros, de Ernesto Remani. De 1966 a 1969 passa a se dedicar à TV Excelsior, na qual faz novelas como As Minas de Prata (1966), Os Fantoches (1967), A Muralha (1968) e Vidas em Conflito (1969). Sua primeira novela na Globo foi A Cabana do Pai Tomás (1969), mas atuou também na programação do SBT, Record e TV Bandeirantes.[9]

Em 1975, iniciou-se como autor, escrevendo Nós Também Sabemos Fazer, peça que dirige ele próprio no mesmo ano. É de sua autoria também os espetáculos Mãos ao Alto, São Paulo! (1980), O Infalível Dr. Brochard (1983) e Look Book Hip House (1990), texto feito em parceria com a filha Bárbara Bruno.[9] Um teatro do Esporte Clube Banespa leva seu nome desde 2005.[10]

Seus últimos trabalhos no cinema foram Giovanni Improtta (2013), O Tempo e o Vento (2012), Nosso Lar (2010) e a sua última novela foi Morde & Assopra em 2011, ano que já sofria do câncer. Seu último papel na TV foi na série Louco por Elas em 2012 desde então ficou sem fazer mais novelas e começou cuidar de si mesmo na luta contra o câncer. Faleceu em 13 de março de 2014 aos 81 anos em decorrência de um câncer iniciado no mediastino.[11] O corpo do ator foi velado no Teatro Municipal de São Paulo nos dias 13 e 14 de março, e no dia 14 de março foi sepultado no Cemitério da Consolação, também em São Paulo.[12]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Dublagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Conheça os nomes reais dos famosos Terra
  2. Família Goulart é homenageada no Prêmio Shell ofuxico. (Abril, 2006).
  3. Paulo Goulart é homenageado durante Prêmio Shell de Teatro UOL entretenimento. (Março, 2014).
  4. Paulo Goulart atuou na TV, cinema e teatro; veja resumo da carreira (em português). Globo.com. G1 (13 de março de 2014). Página visitada em 13 de março de 2014.
  5. Eles são espíritas. IstoÉGente (29 de abril de 2002).
  6. NICETTE BRUNO MemóriaGlobo.
  7. Paulo Goulart e Nicette Bruno viveram em Curitiba na década de 60 - Casal trabalhou no Teatro de Comédia do Paraná Site Bem Paraná
  8. Morre em São Paulo o ator Paulo Goulart (em português). Terra. Jornal do Brasil (13 de março de 2014). Página visitada em 13 de março de 2014.
  9. a b Fãs, família e amigos se despedem de Paulo Goulart Veja. (Março, 2014).
  10. Galeria da Fama - Paulo Goulart. Memorialdafama.
  11. Famosos comentam a morte de Paulo Goulart (em português). Globo.com. G1 (13 de março de 2014). Página visitada em 13 de março de 2014.
  12. Velório de Paulo Goulart será no Theatro Municipal, em São Paulo UOL entretenimento. (Março, 2014).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Elaine Guerini. Nicette Bruno e Paulo Goulart: tudo em familia. 1ª ed. [S.l.]: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. 256 p. 12.0.812.953

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Paulo Goulart