Paulo Skaf

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo parece estar escrito em formato publicitário.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{spam}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2014).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.


Paulo Skaf
Paulo Skaf
Candidato ao Governo de São Paulo nas eleições de 2014
Presidente licenciado da Fiesp
Vida
Nascimento 7 de Agosto de 1955 (59 anos)
São Paulo - SP
Dados pessoais
Partido PMDB
Profissão Empresário, Político

Paulo Antônio Skaf (São Paulo, 7 de agosto de 1955) é um empresário e político brasileiro, candidato oficial ao governo de São Paulo pelo PMDB.[1]

Atualmente é presidente licenciado da [[FIESP|Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), (Sesi-SP), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP) e Instituto Roberto Simonsen (IRS)[1] , desde setembro de 2004, sendo reeleito, por mais quatro anos, em abril de 2011[2] .

Nascido no bairro da Vila Mariana, Zona Sul da cidade São Paulo, Skaf é casado com Luzia Helena Pamplona de Menezes com quem tem 5 filhos e 3 netos.[3]

Sua trajetória política e profissional teve início no colégio quando exerceu função de líder em grêmios estudantis. Mais tarde atuou em entidades empresariais de peso como a Confederação Nacional da Indústria (CNI)[4] , o Sinditêxtil, a Abit e o Sebrae.

Trajetória empresarial

No ano de 1970, Paulo Skaf,com 17 anos, tornou-se sócio da tecelagem do pai no bairro da Mooca, em São Paulo.[3]

Apesar dos contratempos, Paulo Skaf marcou posição como líder do setor têxtil. Assim, em agosto de 1998, obteve votos suficientes para presidir a Associação Brasileira da Indústria Têxtil, a Abit. Na ocasião, assumiu uma associação que representa 30 mil empresas, 1,5 milhão de trabalhadores, com um faturamento na casa dos 22 bilhões de dólares.

Na última década, Skaf se notabilizou pela defesa dos princípios da indústria e dos empresários, assim como por estar ao lado de projetos vinculados à educação. Com isso, a partir de 2004, quando foi eleito presidente da Fiesp, Paulo Skaf protagonizou embates ferrenhos contra a CPMF[5] (taxação que foi abolida em 2007)[6] , do mesmo modo que passou a priorizar a educação como porta de entrada para o emprego dos jovens – neste último caso, investindo na capacitação de jovens a partir dos programas do Sesi e do Senai, instituições que ainda preside[7] .

Trajetória política

A carreira política de Paulo Skaf remonta à década de 1970, quando, ainda jovem, Skaf decidiu ingressar no Centro Preparatório de Oficiais de Reserva de São Paulo (CPOR/SP)[8] . “Minha vocação sempre foi a de servir o Brasil”[9] , disse, certa vez, em entrevista. Assim, além dos negócios, Paulo Skaf se destacou pela sua liderança como dirigente de entidades do setor, como o Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem do Estado de São Paulo (Sinditêxtil) e a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT).

Em 27 de setembro de 2004, assumiu a Presidência da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Também assumiu o Ciesp, o Sesi-SP, o Senai-SP e o Instituto Roberto Simonsen (IRS), além de ser o primeiro vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Também foi membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) da Presidência da República[10] .

Na Fiesp, sua gestão foi marcada por várias conquistas que buscam o crescimento sustentado do Brasil. O foco sempre foi lutar e obter as reformas estruturais, capazes de oferecer à sociedade serviços públicos com qualidade, em especial nas áreas da educação[11] , saúde e segurança. Assim, à frente da instituição, Skaf inovou com medidas como a implantação da educação em tempo integral[12] e a articulação do ensino médio com o técnico[13] . Atualmente, o Sesi é a maior rede de ensino privado do País. Em 2009, foi contabilizado 1,2 milhão de matrículas no Senai-SP e 120 mil no ensino regular do Sesi-SP[14] . Afora isso, Skaf também atuou no sentido de desonerar impostos[15] , desburocratizar processos, aumentar investimentos na infraestrutura, ampliar mercados externos (criou a “Diplomacia Empresarial)[16] ”.

CPMF

Outro ponto marcante da trajetória de Paulo Skaf foi o combate à CPMF[17] . Instituída como taxação provisória a partir de 1997, o imposto foi abolido somente em 2007, após disputa acirrada no Senado. Em São Paulo, Skaf dedicou-se a acabar com o imposto, tanto nas entrevistas aos meios de comunicação quanto em debates sobre o tema, junto a órgãos públicos e privados. No dia 24/10/2007, Paulo Skaf, como presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), encaminhou aos empresários uma carta dizendo os motivos pelos quais a CPMF deveria ser extinta. Na carta, Skaf dizia: “É uma contribuição supérflua e inoportuna”. A carta também afirmava que a verba para os programas sociais do governo já estavam garantidas para 2008.[18] Essa carta não foi a única ação. A Fiesp, liderada pelo presidente, conseguiu mais de 1 milhão de assinaturas entre visitas, mobilizações e através do site www.soucontraacpmf.com.br (atualmente fora do ar). Em declarações para a imprensa, Paulo Skaf rebatia as críticas citando Dom Quixote, de Cervantes: "O sonho de um é apenas um sonho. O sonho de muitos é realidade."[19] Na madrugada do dia 13/12/2007, Skaf comemorou o fim da CPMF, decidida pelo Senado, que acabou por cumprir a lei que determinava o fim do imposto em 31 de dezembro de 2007 e impediu sua renovação em 2008. Em nota oficial da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Skaf disse que com a derrota do governo, "quem venceu foi o Brasil".[20]

Outras conquistas

Foi também durante sua gestão que a Fiesp liderou a campanha para aprovação de duas conquistas de peso: a criação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa[21] e a desoneração de impostos sobre produtos derivados da farinha de trigo, o que acarretou a diminuição do preço de itens como pão e macarrão.

Em 2009, uma das ações mais bem sucedidas foi ter pressionado os bancos públicos a reduzirem, em até 30%, os spreads[22] , facilitando o crédito e, assim, gerando emprego e produção. Outro destaque foi a liderança da Fiesp na defesa do recebimento, pelos exportadores, dos créditos referentes ao ressarcimento legal do IPI[23] previsto nas vendas ao Exterior.

Política

Nas Eleições de 2010, Paulo Skaf canditou-se pelo PSB para governador do Estado de São Paulo. Apesar da legenda socialista, Skaf apresentava propostas neoliberais como, por exemplo, cobrança de mensalidades nas universidades públicas[24] . Com 4,56% dos votos, classificou-se em 4º lugar, atrás de Geraldo Alckmin, Aloizio Mercadante e Celso Russomano.

Após convite de Michel Temer, Skaf saiu do PSB no início de 2011 e filiou-se ao PMDB paulista[25] .

Ligações externas

Referências

  1. a b "PMDB oficializa Paulo Skaf como candidato ao governo de São Paulo" Último Segundo. Página visitada em 18 de Agosto de 2014.
  2. "Paulo Skaf é reeleito por mais quatros anos na Fiesp" G1. Página visitada em 18 de Agosto de 2014.
  3. a b "Os 60 mais poderosos Paulo Skaf" Título não preenchido, favor adicionar Ultimo Segundo IG. Página visitada em 21 de março de 2014.
  4. "Estrutura da CNI" CNI. Página visitada em 18 de Agosto de 2014.
  5. http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200708041351_JBO_39352449
  6. http://economia.ig.com.br/fiesp+declara+guerra+a+volta+da+cpmf/n1237822201344.html
  7. http://www.sesisp.org.br/home/2006/news/news.asp?cdgn=1615
  8. http://www.cporsp.ensino.eb.br/
  9. http://www.revistaviverde.com.br/edicao/005edicao.pdf
  10. http://www.cdes.gov.br/galeria_conselho/2010/
  11. http://www.sp.senai.br/Senaisp/Noticias/27/1225/Paulo-Skaf-inaugura-escola-do-Sesi-SP-em-Cruzeiro-e-anuncia-novos-investimentos-na-cidade.html
  12. http://www.dgabc.com.br/News/5751805/escolas-do-sesi-terao-periodo-integral-a-partir-de-2011.aspx
  13. http://www.fiesp.com.br/sindicato/sindicarnes_08/noticias/2011/04/paulo-skaf-reeleito.ntc
  14. http://www.sesisp.org.br/educacaoquetransforma/numeros.asp
  15. http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,AA1261533-9356,00.html
  16. http://www.mundori.com.br/home/view.asp?paNoticia=189
  17. http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u341421.shtml
  18. http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u339287.shtml
  19. http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/5526_DA+PARA+DESACELERAR+O+IMPOSTOMETRO
  20. http://oglobo.globo.com/pais/mat/2007/12/13/327581957.asp
  21. http://www2.camara.gov.br/tv/materias/CAMARA-HOJE/172800-PRESIDENTE-DA-FIESP-PEDE-URGENCIA-NA-VOTACAO-DA-LEI-GERAL-DA-MICRO-E-PEQUENA-EMPRESA.html
  22. http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/depois-da-selic-agora-vem-o-spread/32243/
  23. http://www.dgabc.com.br/News/5755252/skaf-defende-acordo-sobre-credito-premio-do-ipi.aspx
  24. http://www.jornaldocampus.usp.br/index.php/2010/09/entrevista-paulo-skaf-mensalidade-ensino-publico-gratuito/
  25. http://noticias.r7.com/brasil/noticias/michel-temer-diz-que-skaf-fara-parte-da-cupula-do-pmdb-20110513.html