Paulo Skaf

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo parece estar escrito em formato publicitário.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{spam}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2014).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.


Paulo Skaf
Paulo Skaf
Candidato ao Governo de São Paulo nas eleições de 2014
Presidente licenciado da Fiesp
Vida
Nascimento 7 de Agosto de 1955 (58 anos)
São Paulo - SP
Dados pessoais
Partido PMDB
Profissão Empresário, Político

Paulo Antônio Skaf (São Paulo, 7 de agosto de 1955) é um empresário e político brasileiro, candidato oficial ao governo de São Paulo pelo PMDB.

Atualmente é presidente licenciado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)[1] , do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)[2] , Serviço Social da Indústria (Sesi-SP)[3] , Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP)[4] e Instituto Roberto Simonsen (IRS)[5] , desde setembro de 2004, sendo reeleito, por mais quatro anos, em abril de 2011[6] .

Nascido no bairro da Vila Mariana, Zona Sul da cidade São Paulo, Skaf é casado com Luzia Helena Pamplona de Menezes com quem tem 5 filhos e 3 netos.[7]

Sua trajetória política e profissional teve início no colégio quando exerceu função de líder em grêmios estudantis. Mais tarde atuou em entidades empresariais de peso como a Confederação Nacional da Indústria (CNI)[8] , o Sinditêxtil, a Abit[9] e o Sebrae.

Trajetória empresarial

No ano de 1970, Paulo Skaf,com 17 anos, tornou-se sócio da tecelagem do pai no bairro da Mooca, em São Paulo.[7]

Apesar dos contratempos, Paulo Skaf marcou posição como líder do setor têxtil. Assim, em agosto de 1998, obteve votos suficientes para presidir a Associação Brasileira da Indústria Têxtil, a Abit. Na ocasião, assumiu uma associação que representa 30 mil empresas, 1,5 milhão de trabalhadores, com um faturamento na casa dos 22 bilhões de dólares[10] .

Na última década, Skaf se notabilizou pela defesa dos princípios da indústria e dos empresários, assim como por estar ao lado de projetos vinculados à educação. Com isso, a partir de 2004, quando foi eleito presidente da Fiesp, Paulo Skaf protagonizou embates ferrenhos contra a CPMF[11] (taxação que foi abolida em 2007)[12] , do mesmo modo que passou a priorizar a educação como porta de entrada para o emprego dos jovens – neste último caso, investindo na capacitação de jovens a partir dos programas do Sesi e do Senai, instituições que ainda preside[13] .

Trajetória política

A carreira política de Paulo Skaf remonta à década de 1970, quando, ainda jovem, Skaf decidiu ingressar no Centro Preparatório de Oficiais de Reserva de São Paulo (CPOR/SP)[14] . “Minha vocação sempre foi a de servir o Brasil”[15] , disse, certa vez, em entrevista. Assim, além dos negócios, Paulo Skaf se destacou pela sua liderança como dirigente de entidades do setor, como o Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem do Estado de São Paulo (Sinditêxtil) e a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT).

Em 27 de setembro de 2004, assumiu a Presidência da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Também assumiu o Ciesp, o Sesi-SP, o Senai-SP e o Instituto Roberto Simonsen (IRS), além de ser o primeiro vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Também foi membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) da Presidência da República[16] .

Na Fiesp, sua gestão foi marcada por várias conquistas que buscam o crescimento sustentado do Brasil. O foco sempre foi lutar e obter as reformas estruturais, capazes de oferecer à sociedade serviços públicos com qualidade, em especial nas áreas da educação[17] , saúde e segurança. Assim, à frente da instituição, Skaf inovou com medidas como a implantação da educação em tempo integral[18] e a articulação do ensino médio com o técnico[19] . Atualmente, o Sesi é a maior rede de ensino privado do País. Em 2009, foi contabilizado 1,2 milhão de matrículas no Senai-SP e 120 mil no ensino regular do Sesi-SP[20] . Afora isso, Skaf também atuou no sentido de desonerar impostos[21] , desburocratizar processos, aumentar investimentos na infraestrutura, ampliar mercados externos (criou a “Diplomacia Empresarial)[22] ”.

CPMF

Outro ponto marcante da trajetória de Paulo Skaf foi o combate à CPMF[23] . Instituída como taxação provisória a partir de 1997, o imposto foi abolido somente em 2007, após disputa acirrada no Senado. Em São Paulo, Skaf dedicou-se a acabar com o imposto, tanto nas entrevistas aos meios de comunicação quanto em debates sobre o tema, junto a órgãos públicos e privados. No dia 24/10/2007, Paulo Skaf, como presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), encaminhou aos empresários uma carta dizendo os motivos pelos quais a CPMF deveria ser extinta. Na carta, Skaf dizia: “É uma contribuição supérflua e inoportuna”. A carta também afirmava que a verba para os programas sociais do governo já estavam garantidas para 2008.[24] Essa carta não foi a única ação. A Fiesp, liderada pelo presidente, conseguiu mais de 1 milhão de assinaturas entre visitas, mobilizações e através do site www.soucontraacpmf.com.br (atualmente fora do ar). Em declarações para a imprensa, Paulo Skaf rebatia as críticas citando Dom Quixote, de Cervantes: "O sonho de um é apenas um sonho. O sonho de muitos é realidade."[25] Na madrugada do dia 13/12/2007, Skaf comemorou o fim da CPMF, decidida pelo Senado, que acabou por cumprir a lei que determinava o fim do imposto em 31 de dezembro de 2007 e impediu sua renovação em 2008. Em nota oficial da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Skaf disse que com a derrota do governo, "quem venceu foi o Brasil".[26]

Outras conquistas

Foi também durante sua gestão que a Fiesp liderou a campanha para aprovação de duas conquistas de peso: a criação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa[27] e a desoneração de impostos sobre produtos derivados da farinha de trigo, o que acarretou a diminuição do preço de itens como pão e macarrão.

Em 2009, uma das ações mais bem sucedidas foi ter pressionado os bancos públicos a reduzirem, em até 30%, os spreads[28] , facilitando o crédito e, assim, gerando emprego e produção. Outro destaque foi a liderança da Fiesp na defesa do recebimento, pelos exportadores, dos créditos referentes ao ressarcimento legal do IPI[29] previsto nas vendas ao Exterior.

Política

Nas Eleições de 2010, Paulo Skaf canditou-se pelo PSB para governador do Estado de São Paulo. Apesar da legenda socialista, Skaf apresentava propostas neoliberais como, por exemplo, cobrança de mensalidades nas universidades públicas[30] . Com 4,56% dos votos, classificou-se em 4º lugar, atrás de Geraldo Alckmin, Aloizio Mercadante e Celso Russomano.

Após convite de Michel Temer, Skaf saiu do PSB no início de 2011 e filiou-se ao PMDB paulista[31] .

Ligações externas

Referências

  1. http://www.fiesp.com.br/fiesp/diretoria-eleita.aspx
  2. http://www.ciesp.com.br/ciesp/
  3. http://www.sesisp.org.br/home/2006/institucional/conselhoNom.asp
  4. http://www.sp.senai.br/Senaisp/Institucional/125/0/Conselho-Regional
  5. http://www.fiesp.com.br/irs/conselho-adm.aspx
  6. http://g1.globo.com/economia/noticia/2011/04/paulo-skaf-e-reeleito-por-mais-quatro-anos-na-fiesp.html
  7. a b "Os 60 mais poderosos Paulo Skaf" Título não preenchido, favor adicionar. Ultimo Segundo IG. Página visitada em 21 de março de 2014.
  8. http://www.cni.org.br/portal/data/pages/FF80808121B517F40121B54C10CB4729.htm
  9. http://abit.org.br/site/navegacao.asp?id_menu=1&id_sub=5&idioma=PT
  10. http://www.abit.org.br/site/texbrasil/default.asp?id_menu=2&idioma=PT
  11. http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200708041351_JBO_39352449
  12. http://economia.ig.com.br/fiesp+declara+guerra+a+volta+da+cpmf/n1237822201344.html
  13. http://www.sesisp.org.br/home/2006/news/news.asp?cdgn=1615
  14. http://www.cporsp.ensino.eb.br/
  15. http://www.revistaviverde.com.br/edicao/005edicao.pdf
  16. http://www.cdes.gov.br/galeria_conselho/2010/
  17. http://www.sp.senai.br/Senaisp/Noticias/27/1225/Paulo-Skaf-inaugura-escola-do-Sesi-SP-em-Cruzeiro-e-anuncia-novos-investimentos-na-cidade.html
  18. http://www.dgabc.com.br/News/5751805/escolas-do-sesi-terao-periodo-integral-a-partir-de-2011.aspx
  19. http://www.fiesp.com.br/sindicato/sindicarnes_08/noticias/2011/04/paulo-skaf-reeleito.ntc
  20. http://www.sesisp.org.br/educacaoquetransforma/numeros.asp
  21. http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,AA1261533-9356,00.html
  22. http://www.mundori.com.br/home/view.asp?paNoticia=189
  23. http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u341421.shtml
  24. http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u339287.shtml
  25. http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/5526_DA+PARA+DESACELERAR+O+IMPOSTOMETRO
  26. http://oglobo.globo.com/pais/mat/2007/12/13/327581957.asp
  27. http://www2.camara.gov.br/tv/materias/CAMARA-HOJE/172800-PRESIDENTE-DA-FIESP-PEDE-URGENCIA-NA-VOTACAO-DA-LEI-GERAL-DA-MICRO-E-PEQUENA-EMPRESA.html
  28. http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/depois-da-selic-agora-vem-o-spread/32243/
  29. http://www.dgabc.com.br/News/5755252/skaf-defende-acordo-sobre-credito-premio-do-ipi.aspx
  30. http://www.jornaldocampus.usp.br/index.php/2010/09/entrevista-paulo-skaf-mensalidade-ensino-publico-gratuito/
  31. http://noticias.r7.com/brasil/noticias/michel-temer-diz-que-skaf-fara-parte-da-cupula-do-pmdb-20110513.html