Pecuária de corte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Pecuária de corte é um dos ramos de atividade que exerce o pecuarista, ou o criador de rebanho.

Existem tipos diferentes de pecuária de corte, variando de acordo com o tipo de rebanho a ser abatido como bovinos, caprinos e ovinos:

  • O abate de novilho ou garrote, exige um rebanho mais aprimorado e maior tecnologia é chamada de corte novo ou abate de novilhos.
  • De gado velho, o corte é denominado de abate velho ou gado de montaria. Não confundir com montaria de cavalgar (andar a cavalo).
  • De gado confinado ou gado preso, esse tipo de abate é usado para engorda do gado e posterior abate, quando precisa-se de carne mais nobre e em maior quantidade.
  • Seletivo, esse tipo de abate não é muito comum, pois usa-se costumeiramente, abater o animal doente e posteriormente incinerar sua carcaça. Esse tipo de abate, normalmente é realizado sob a supervisão da autoridade sanitária, pois normalmente abata-se os animais doentes e os que tiveram contato diretos, como medida de prevenção e erradicação da doença.
  • No caso dos caprinos e ovinos o abate se dá dos 4 aos 6 meses pois é o período em que se atinge um peso de caraça por volta dos 40 kg, a depender da raça ou cruzamento industrial. O abate é feito precocemente por um odor característico que se manifesta nos animais a partir do 7 mês. É uma carne de excelente qualidade com baixos níveis de colesterol LDL.

Raças[editar | editar código-fonte]

Exemplar de touro da raça Nelore
Exemplar da raça Simental
Exemplar de touro da raça Canchim

Entre as diversas raças bovinas existentes no Brasil a mais comum é a raça nelore; uma das raças zebuínas. 80% do gado brasileiro é zebuíno (proveniente da Índia). Os outros 20% são de raças européias as mais comuns são:

De todo gado zebu no Brasil, 80% é nelore. Os outros 20% são das raças:

O nelore provou ser o melhor gado para o Brasil graças a sua adaptabilidade ao clima tropical do país. As raças europeias se adaptam melhor à Região Sul. São utilizadas para o que se chama de 'cruzamento industrial' isto é, cruzamento de gado zebu com gado europeu.

No caso dos caprinos e ovinos todas as raças tem uma adaptabilidade boa aos nossos climas e são divididas por aptidão. Para corte, leite, corte e pele e corte e leite. As raças mais utilizados são:

Ovinos de corte: Dorper,Texel,Suffolk, Hampshire Down

Ovinos de dupla aptidão: Morada Nova, Somalis Brasileira, Santa Inês,Cariri

Caprinos de corte: Boer, Savana

Caprinos de leite: Pardo Alpina, Toggemburg, Alpina Britânica, Saanen, Murciana

Caprinos de dupla aptidão: Anglo Nubiana, Azul, Canindé, Marota

Mercado[editar | editar código-fonte]

O mercado da pecuária de corte é vasto, normalmente com preços manipulados pelos grandes abatedouros, é calculado por arroba (medida de 15 kg ) não confundir com @ da internet.

Os ganhos em alguns países como o Brasil atinge cifras altas de aproximadamente R$ 4 bilhões ( quatro bilhões de reais ) ou um bilhão e quinhentos mil Euros mensal para o ano de 2004. Exceto na época da entressafra, quando cai a produção a níveis bem baixo, obriga o Governo a usar os estoques estratégicos a fim de evitar o desabastecimento o preço sobe a patamares maiores.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]