Pedra Azul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Município de Pedra Azul
Pedra Azul - Minas Gerais

Pedra Azul - Minas Gerais
Bandeira desconhecida
Brasão de Pedra Azul
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 1 de junho de 1912
Gentílico pedrazulense
Prefeito(a) Daniel Pires de Oliveira Costa (PR)
(2013–2016)
Localização
Localização de Pedra Azul
Localização de Pedra Azul em Minas Gerais
Pedra Azul está localizado em: Brasil
Pedra Azul
Localização de Pedra Azul no Brasil
16° 00' 18" S 41° 17' 49" O16° 00' 18" S 41° 17' 49" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Jequitinhonha IBGE/2008 [1]
Microrregião Pedra Azul IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Medina, Almenara, Jequitinhonha, Divisa Alegre, Águas Vermelhas, Cachoeira de Pajeú, Divisópolis, Encruzilhada-(Bahia).
Distância até a capital 720 km
Características geográficas
Área 1 618,686 km² [2]
População 24 612 hab. Estimativa IBGE/2013[3]
Densidade 15,2 hab./km²
Altitude 617,51 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,66 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 274,836 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 11,526 94 IBGE/2010[5]
Página oficial
Prefeitura pedraazul.mg.gov.br

Pedra Azul é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, localizado no nordeste do estado, na região do vale do rio Jequitinhonha. Sua população em 2013 está estimada em 24.612 habitantes. De acordo com o censo 2010, a população residente urbana era de 21.006 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Centro Histórico de Pedra Azul - MG (27)

O português Manuel José Botelho foi o fundador da fazenda Pau d'Óleo em 1833, originando o primeiro povoamento no município, embora em 1730, o coronel português Quaresma Delgado, atravessando o Norte de Minas, tenha dado conta da existência de uma venda na área do atual município de Pedra Azul. A seguir, o povoado que surgiu nas redondezas recebeu o nome de Nossa Senhora da Conceição da Boca da Caatinga, sendo este o primeiro nome de Pedra Azul[6] . O início do povoamento se deu ao fato de no ano de 1833 ter ocorrido uma grande queimada que durou cerca de 60 dias, dando aquele ano o nome de "Ano da Fumaça". A queimada abriu grandes clareiras na mata, o que possibilitou aos fazendeiros iniciarem a instalação de fazendas naquela região. O primeiro nome do povoado também se deve a esta queimada pois faz alusão ao surgimento da caatinga nos lugares queimados, onde antes existira a mata atlântica.

Devido a influência de seus moradores, em 1880 o povoado foi elevado a distrito de Caatingas e em 1891 foi criado o conselho distrital de Caatingas que por sua vez, em 1892, mudou o nome para distrito de Fortaleza devido aos paredões que cercam a cidade.

Naquela época, a pecuária se destacava na economia sendo comum o comerciante Teopompo de Almeida conduzir cerca de 20000 cabeças de vaca, fazendo com que ficasse conhecido como "Rei da Boiada" em cidades como Uberaba, Vitória da Conquista, Itabuna, Feira de Santana e outras.

Posteriormente, já com a implantação do sistema republicano no país, o alferes Cassiano dos Reis, primeiro presidente do Conselho de Caatinga, diligencia para que esse nome seja mudado para Fortaleza.

Em 1 de junho de 1912, houve a elevação do distrito de Fortaleza a município, e em 1943 o nome da cidade foi mudado para Pedra Azul. O novo nome foi sugerido pelo pedrazulense e imortal da Academia Mineira de Letras Nelson de Faria[7] [8] .

A descoberta das águas marinhas[editar | editar código-fonte]

Em 1927, uma descoberta alterou os rumos da cidade, pois nesse ano foi descoberto um bamburro de águas marinhas na fazenda Laranjeira de propriedade do empresário e político João de Almeida (político de Minas Gerais), pelo funcionário Lourenço da Santa Rosa, contratado para abrir trincheiras.

O bamburro de águas marinhas tornou João de Almeida um dos homens mais ricos do Brasil, pois em seu auge, chegou a ter mais de 300 homens trabalhando diuturnamente e extrair durante os primeiros cinco anos mil quilos da pedra preciosa, o que nos valores atuais equivaleria a R$ 80.000.000,00 (oitenta milhões de reais).

João de Almeida, então, construiu o Ginásio Pedra Azul – GPA, instituição de ensino para onde se dirigiam os estudantes do Norte e Leste de Minas Gerais e Sul da Bahia para concluírem o ensino médio, sendo considerada durante duas décadas a melhor instituição de ensino da região.

Em 1942, impulsionou as obras de construção da Igreja Matriz da cidade, iniciadas em 1933 e concluídas na década de 60, sendo a obra uma novidade na época devido a sua magnitude. Impulsionou a construção do Hospital Ester Faria de Almeida – HEFA, inaugurado em 1937. Construiu também, quarteirões de pontos comerciais e se elegeu deputado por três vezes.

Pedra Dom Pedro[editar | editar código-fonte]

A Pedra Dom Pedro é a maior pedra de água-marinha encontrada no mundo[9] , foi encontrada em Pedra Azul na década de 1980, pesando 45 quilos e foi para a Alemanha em 1992, sendo esculpida em forma de obelisco pelo artista Bernd Münsteiner. O obelisco possui 35 cm de altura e pesa cerca de 2 quilos. Encontra-se em exibição permanente no museu de história natural Smithsonian, em Washington e estima-se que atrairá tantos visitantes quanto a joia mais famosa do seu acervo, o diamante Hope, encontrado na Índia.[10]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Pedra Azul é uma cidade turística, inscrita no site Descubra Minas. Entre os atrativos turísticos se encontra seu acervo arquitetônico urbano e a escalada nas montanhas rochosas Pedra Cabeça Torta, Pedra da Conceição, Pedra da Montanha, Pedra da Rocinha e Toca dos Caboclos.

Acervo arquitetônico urbano[editar | editar código-fonte]

Igrejinha do Santuário - Centro Histórico de Pedra Azul - MG

A cidade possui um centro histórico tombado em sua totalidade pelo Patrimônio Histórico. As construções são em estilo eclético datadas nas primeiras décadas do século 20. Entre as construções, na praça, existe a Igrejinha do santuário com uma escultura de Nossa Senhora.

Pedra Cabeça Torta[editar | editar código-fonte]

Considerado o ponto mais alto da cidade, pode ser vista da cidade apesar de estar a mais de 10 km de distância.

Pedra da Conceição[editar | editar código-fonte]

Considerada símbolo da cidade, esta pedra oferece uma vista vasta, tanto da cidade como dos aglomerados rochosos vizinhos. Para ter acesso ao topo, é necessário subir uma escadaria com 523 (quinhentos e vinte e três) degraus.

Pedra da Montanha[editar | editar código-fonte]

Possui uma ampla vista da cidade e das outras pedras ao redor. É uma das mais fáceis de ser escalada, por não ser tão íngreme em alguns pontos.

Pedra da Rocinha e Toca dos Caboclos[editar | editar código-fonte]

Pedra da Rocinha - Pedra Azul - MG

Este local tem fácil acesso e fácil escalada e em seu topo existe a Toca dos Caboclos que possui pinturas rupestres.[11]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura mínima registrada em Pedra Azul foi de 8,7 ºC, ocorrida no dia 17 de junho de 1974. Já a máxima foi de 37,8 ºC, observada dia 4 de novembro de 2008. O maior acumulado de chuva registrado na cidade em 24 horas foi de 132,8 mm, em 2 de janeiro de 2002.[12]

Centro Histórico de Pedra Azul[editar | editar código-fonte]

Centro Histórico de Pedra Azul - MG (22)

Cidade antiga, possui grande quantidade de casarões construídos por volta dos anos 1900, sendo vários deles tombados pelo patrimônio histórico e possui um centro histórico inteiramente tombado e reconhecido pelo IEPHA.

Cidadãos notórios[editar | editar código-fonte]

Políticos[editar | editar código-fonte]

Cantores e compositores[editar | editar código-fonte]

Comediantes[editar | editar código-fonte]

Executivos[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Tales Bandeira Arrudas (líder estudantil)

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Bicho de Pedra Azul (O Bicho da Fortaleza)

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Sítio do município, acessado em 25 de dezembro de 2009.
  7. Silva, Eder Machado. Terras de Fortaleza - Gênese Política e Social do Município de Pedra Azul/MG. 1 – Literatura Brasileira – história. Pedra Azul / Minas Gerais, junho de 2008.
  8. IBGE. Histórico Pedra Azul - MG - Enciclopédia dos Municípios Brasileiros - Volume XXVI em 1959. Página visitada em 17 de julho de 2013.
  9. Gemstones: Dom Pedro Aquamarine Crystal
  10. Info Abril. Histórias da Cidade. Página visitada em 8 de janeiro de 2013.
  11. Descubra Minas. Destino Pedra Azul. Página visitada em 23 de Abril de 2013.
  12. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - Minas Gerais. Página visitada em 3 de janeiro de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.