Pedra de raio (folclore)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Maio de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Imagem de um biface do Paleolítico Inferior.

Pedra de raio ou pedra de trovão é o nome que em Portugal se dá aos instrumentos de pedra pré-históricos, principalmente bifaces, aos cristais de rocha muitas vezes encontrados nas raízes das árvores, às cunhas de ferro e aos meteoritos. As pedras de raio também podem ser redondas. Às pedras mais pequenas dá-se o nome de pedra de corisco. A pedra de raio era usada para afugentar os raios do trovão e punha-se em cima do telhado ou dentro de casa para protecção.

Segundo a crença popular em Portugal, o raio é uma pedra que cai e se afunda sete varas ou braças, cada ano sobe uma braça, e leva sete anos a vir à superfície. Quando a pedra cai dá muitos saltos no chão, deixando a terra esgadanhada.

A crença nas pedras de raio, encontra-se espalhada pela Europa, Asia, Polinésia, e diversos outros locais do mundo.

"Relacionada com o raio temos
a superstição das ceraunias,
que os Lusitanos julgavam
serem boas para preservar
dos efeitos das trovoadas."
~Leite de Vasconcelos

No sul de Portugal, os dentes de tubarão, fossilizados, também “são tidos como pedras de raio”. No Brasil os meteoritos são chamados de pedras de raio.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Portugal é um esboço relacionado ao Projeto Portugal. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.