Pedreira Paulo Leminski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Pedreira Paulo Leminski é um local de espetáculos ao ar livre localizada no bairro do Abranches, na cidade de Curitiba, capital do estado brasileiro do Paraná e aberto para shows desde 1990[1] .

Possuindo 103,5 mil e com um palco de 480 m², tem capacidade para até trinta mil pessoas e seu nome é uma homenagem ao poeta curitibano Paulo Leminski. No passado, o local foi uma pedreira municipal e usina de asfalto e na atualidade , mantém estes aspectos, pois é cercado por um paredão de rocha de trinta metros.

Grandes shows e disputa judicial[editar | editar código-fonte]

Durante o aniversário de trezentos anos da cidade, a Pedreira foi palco do tenor José Carreras, acompanhado pela Orquestra Sinfônica Brasileira. Outros artistas renomados já passaram pelo palco, como: AC/DC, Paul McCartney, Bon Jovi, David Bowie, The Killers[2] , Pearl Jam, No Doubt, Sepultura, Milton Nascimento, Roberto Carlos, Iron Maiden[3] , INXS, Pixies e Ramones. Outros eventos que ocorreram no local, incluem o TIM Festival de 2007[2] e o Ruffles Reggae.

Em julho de 2008, a realização de grandes eventos no local foi proibida devido a obtenção de uma liminar em Ação Civil Pública interposta pelo Ministério Público do Paraná[4] , a partir de uma solicitação dos moradores da região que alegavam desrespeito ao horário dos espetáculos e badernas causadas por seus frequentadores nestes eventos.

A partir de outubro de 2011 o local foi autorizado, pela justiça, a realizar eventos culturais e shows[5] , mas foi imediatamente cassada pelo Ministério Público, com a alegação de risco de segurança e falta de estrutura complementar para estes eventos.

Após uma disputa judicial entre os "vizinhos do espaço" e a prefeitura municipal, que ocorria desde 2008, houve uma conciliação e um acordo, que incluíam uma reforma e novas adaptações que respeitem algumas restrições de uso da pedreira para shows e desta forma, a pedreira foi liberada em setembro de 2013. Com as reforma executadas, que custaram R$ 17 milhões, a pedreira foi re-inaugurada em março de 2014[6] , nas festividades de aniversário da cidade, e durante a Copa do Mundo de 2014, o local foi palco da FIFA Fan Fest[7] .

Complexo[editar | editar código-fonte]

Ao lado da pedreira está a Ópera de Arame, que foi inaugurado em 1992, justamente para ser um dos palcos do primeiro Festival de Teatro de Curitiba. A "Pedreira" e a "Ópera" formam o Parque das Pedreiras.

Referências

  1. Pedreira / Ópera de Arame Prefeitura Municipal de Curitiba. Visitado em 6 de janeiro de 2007.
  2. a b . Arctic Monkeys, Björk, Hot Chip e The Killers chegam a Curitiba para shows na Pedreira Gazeta do Povo (30 de outubro de 2007). Visitado em 22 de outubro de 2008.
  3. Juliana Girardi e João Rodrigo Maroni (5 de março de 2008). Iron Maiden leva 20 mil pessoas à Pedreira Gazeta do Povo. Visitado em 22 de outubro de 2008.
  4. Paola Carriel (26 de julho de 2008). Shows são proibidos na Pedreira Gazeta do Povo. Visitado em 23 de outubro de 2008.
  5. Pedreira reabre Portal Paraná-online
  6. Pedreira Paulo Leminski é enfim liberada Jornal Gazeta do Povo
  7. FIFA FAN FEST™ em Curitiba - Fan Fest terá 70 atrações locais e quatro nacionais na Pedreira Paulo Leminski Site Copa 2014 - Prefeitura de Curitiba

Ver também[editar | editar código-fonte]