Pedro Egídio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Egídio
Pedro Egídio, retrato de Quentin Matsys (1466-1529).
Nascimento 28 de Julho de 1486
Antuérpia, Flandres
Morte 11 de Novembro de 1533 (47 anos)
Antuérpia, Flandres
Nacionalidade Bélgica Flamengo
Cônjuge Cornelia Sandrien, Maria Denis Adriaensdochter, Kathelijne Draeckx[1]
Ocupação Magistrado de Antuérpia[2]

Pieter Gillis (28 de Julho de 1486 – 6 ou 11 de Novembro de 1533), conhecido pelo nome aportuguesado Pedro Egídio[3] ou, por vezes, pelo latinizado Petrus Ægidius, foi um humanista do Renascimento, editor e magistrado na cidade de Antuérpia, no início do século XVI.[1] É conhecido por travar amizades com Rodolfo Agrícola, Erasmo de Roterdão e Tomás Morus.

O livro Utopia, de Tomás Morus, apesar de uma obra de ficção, inclui Pedro Egídico como uma personagem no Livro Primeiro. Morus dedicou a Utopia a Egídio, que pode ter sido quem desenhou o Alfabeto dos Utopianos, incluido com a terceira edição do livro (1518). Os dois conheceram-se quando Morus foi obrigado a deslocar-se à Antuérpia no decurso do seu serviço diplomático para a Coroa inglesa.[2]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Centrum Pieter Gillis, Universidade da Antuérpia (em holandês)
  2. a b William Holden Hutton, Sir Thomas More, London: Methuen & Co., 1895 (disponível através do Google Books)
  3. Morus, Tomás; José Marinho (trad.). A Utopia: De Optimo Reipublicæ Statu Deque Nova Insula Utopia (em português). Col.: Filosofia & Ensaios. 15.ª. ed. Lisboa: Guimarães Editores, 2009. p. 7. ISBN 978-972-665-583-1.