Pedro Mantorras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Mantorras
Informações pessoais
Nome completo Pedro Manuel Torres
Data de nasc. 18 de Março de 1982 (32 anos)
Local de nasc. Luanda,  Angola
Nacionalidade Angola Angolano
Altura 1,78
Destro
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Avançado
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1999-2001
2001-2011
Portugal Alverca
Portugal Benfica
0034 0000(9)
0127 000(31)
Seleção nacional
2001-2011 Flag of Angola.svg Angola 0029 0000(4)

Pedro Manuel Torres, conhecido como Mantorras (Luanda, 18 de Março de 1982), é um ex-futebolista angolano e atual embaixador do Sport Lisboa e Benfica.

Mantorras jogava no Sport Lisboa e Benfica. Também jogou no Alverca e na Selecção Angolana de Futebol. Durante o auge da sua carreira teve uma lesão grave no joelho direito, o que fez com que tivesse algumas limitações a nível de tempo em jogo. Esta lesão fez com que o jogador se tivesse de retirar com 29 anos.

Durante os dez anos que foi jogador do Benfica foi um dos jogadores mais acarinhados pela massa associativa benfiquista.

Mantorras esteve no Mundial de 2006 na Alemanha com a selecção de Angola onde defrontou a selecção Portuguesa. A sua selecção foi eliminada na fase de grupos, sem que o Mantorras tenha marcado qualquer golo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Pedro Mantorras iniciou a sua carreira de jogador de futebol profissional em Angola no Progresso do Sambizanga, chamou a atenção de alguns clubes. Estagiou no Barcelona,clube onde não ficou apenas porque só existia lugar para mais um extra comunitário,o Nigeriano Babangida (outra grande promessa do futebol africano,que também estagiava no Barcelona naquela altura),ficou no plantel,mas o treinador referiu que Mantorras ia ter uma brilhante carreira. Depois dessa curta experiência,vai para Portugal,onde estagiou em 1999 na Académica de Coimbra na então 2ª Liga. A sua qualidade era reconhecida, mas por algum motivo não permaneceu em Coimbra. Surge então a oportunidade no Alverca, onde assinou contrato e brilhou no clube que então estava na 1ª Liga Portuguesa. Apesar do forte interesse do AC Milan foi transferido para o Benfica com apenas 19 anos de idade, após ter dado nas vistas no decorrer do campeonato, particularmente num jogo contra o Sporting que terminou com a vitória da sua equipa e com uma grande exibição da sua parte. Ele terminou com a carreira de um suplente que terminou com um "hat-trick" seu e com uma surpreendente goleada de 4-1 para o Alverca (sensação no campeonato).

O auge da carreira de Pedro Mantorras ocorreu na sua primeira época no Benfica, chegando a estar referenciado pelo Barcelona, segundo um dos seus directores na altura, Luís Filipe Vieira (actual presidente do Benfica) pedia 18 milhões de contos (aproximadamente 90 Milhões de euros) pelo seu passe. Durante este período dourado para o avançado benfiquista, este teve uma grave lesão no joelho direito, o que fez com que tivesse algumas limitações a nível de tempo em jogo.

Nos anos após a lesão era difícil que o angolano jogasse mais que 15 minutos seguidos. No entanto esses poucos minutos que entra em campo chegavam a ser os mais empolgantes de todo o jogo, não só devido ao entusiasmo que o angolano transmitia ao jogo através da sua entrega, mas também pelo facto de a sua simples entrada levar os adeptos do seu clube a uma explosão de alegria e de exultação, devido ao enorme carinho que os adeptos lhe nutrem desde a sua primeira época de águia ao peito, devido às grandes exibições protagonizadas por ele enquanto ainda beneficiava do seu perfeito estado físico.

A sua saída ou eventual despedida antecipada dos relvados foi equacionada pois este não tinha qualquer hipóteses de competir com o actual role de avançados ao dispor do Benfica. Mesmo assim, o discurso do futebolista manteve-se sempre fiel ao clube do seu coração e chegou mesmo a anunciar que continuaria a representar o Benfica mesmo que não lhe fosse pago qualquer salário. Apesar de continuar sempre disponível para ser chamado pelo treinador, passou a ocupar muito do seu tempo de serviço ao Benfica em campanhas internacionais de contacto com adeptos, especialmente em África.

No início de 2011, depois de 10 anos ao serviço das águias e com quatro operações já realizadas ao joelho, Mantorras “decidiu que chegara o tempo de parar de lutar contra o sofrimento”, dirigindo-se ao Tribunal de Trabalho de Lisboa para requerer uma pensão por invalidez, alegando incapacidade física permanente. Na altura, o presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, salientou a coragem de Mantorras enquanto jogador: “O Pedro é um exemplo de entrega, de sacrifício, de superação. É um exemplo de optimismo e de persistência. Alguém que nunca deixou de lutar, que sempre superou as dificuldades por que passou. Acompanhei a sua luta, sei da sua capacidade de resistir, de nunca deixar de acreditar. Foi por isso que, apesar de tudo, se conseguiu manter no futebol”. Por fim, o presidente dos encarnados disse que Mantorras “nunca deixará o Benfica”, já que faz parte “da casa, da nossa história” do clube da Luz que, a seu tempo, lhe faria “uma despedida formal, com a dignidade e o carinho que o Pedro merece”. Terminou desta maneira, uma luta constante contra as adversidades e limitações que a lesão trouxe a Mantorras e que o impediram de se tornar numa referência do futebol mundial.

Homenagem e despedida[editar | editar código-fonte]

No dia 5 de Junho de 2012, o ex-avançado foi homenageado pelo presidente do Sport Lisboa e Benfica Luis Filipe Vieira, sendo anunciado também que o jogo de despedida do angolano ia ter lugar no dia 18 de Julho do mesmo ano. Pedro Mantorras passou desde então a ser "embaixador do Benfica”, continuando a representar o clube nos quatro cantos do Mundo. Desta forma, o angolano ficará para sempre ligado ao clube que representou durante 10 anos e às conquistas que se foram obtendo ao longo desta década.

A despedida de Mantorras realizou-se no dia 18 de Julho de 2012 no Estádio da Luz, num jogo de beneficência intitulado "Um Gesto Contra a Fome", organizado pelas fundações Benfica e Luís Figo com a receita a ser revertida para a ACNUR, agência da ONU para os refugiados.[1] embora outras fontes refiram que a mesma será dividida entre esta organização e as fundações "Benfica" e "Luís Figo".[2]

Com o pontapé de saída a ser dado por Eusébio, alinharam neste jogo, diversas estrelas do futebol, a maior parte já retiradas, tais como: Figo, Ronaldo, o fenómeno, Futre, Davids, Toldo, Michel Salgado, Belletti, Cannavaro, Dwight Yorke, Fernando Couto, Fernando Meira, Dimas, Petit, Luís Boa Morte, Pauleta pela Fundação Figo.[2] [3]

Pelo Benfica para além dos jogadores do actual plantel, alinharam, Rui Costa (que jogou pelas duas equipas) e o próprio Mantorras autor de um dos golos. Outras personalidades do mundo do espectáculo juntaram-se à festa jogando alguns minutos: Fernando Mendes pela equipa de Figo e Ricardo Araújo Pereira e Pedro Ribeiro pelo Benfica.

As equipas foram treinadas por Jorge Jesus pelo Benfica e Eriksson pela equipa de Figo sendo o resultado final de 5-1 para o Benfica. Marcaram Rodrigo Mora (2), Hugo Vieira, Ola John e o próprio Mantorras pelo Benfica e Dwight Yorke pelos "Amigos de Figo".

Títulos[editar | editar código-fonte]

Benfica

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Bandeira de AngolaSoccer icon Este artigo sobre um futebolista angolano, integrado no Projecto Angola é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências