Pedro de Alcântara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
São Pedro de Alcântara
Pintura do século XVII de Luca Giordano retratando a aparição de São João Capistrano a São Pedro de Alcântara
Frade Franciscano
Nascimento 1499 em Alcântara
Morte 18 de outubro de 1562 em Arenas de San Pedro
Veneração por Igreja Católica
Beatificação 18 de abril de 1622, Roma por Papa Gregório XV
Canonização 28 de abril de 1669, Roma por Papa Clemente IX
Principal templo Catedral de São Pedro de Alcântara
Festa litúrgica 18 de outubro
19 de outubro (Calendário hagiológico
Atribuições cruz
Padroeiro Brasil[1]
Casa Imperial do Brasil
Diocese de Coria-Cáceres
Estremadura
Adoradores noturnos
Petrópolis
San Pedro Alcántara
Alcántara
Gloriole.svg Portal dos Santos
Commons
O Commons possui multimídias sobre Pedro de Alcântara

São Pedro de Alcântara, de nome de batismo Juan de Garabito y Vilela de Sanabria (Alcântara, 1499Arenas de San Pedro, 18 de outubro de 1562), foi um frade franciscano espanhol que fez grandes reformas na sua ordem religiosa, a Ordem dos Capuchinhos, no Reino de Portugal.

Nasceu no seio de uma família nobre. Estudou direito na Universidade de Salamanca, mas abandonou os estudos e tomou uma vida religiosa em 1515 no Convento de San Francisco de los Majarretes, perto de Valência de Alcântara, onde tomou o nome de frade Pedro de Alcântara. Foi ordenado em 1524, com 25 anos.[2]

Viajou até Portugal em 1539 para ajudar o seu parente Martín de Santa Maria Benavides a reformar uma das províncias franciscanas. De 1542 a 1544, foi guardião e mestre de noviços em Palhais. Com a morte de Martín, em 1546, foi Pedro de Alcântara quem deu seguimento a seu trabalho, sendo, por isso, muito apreciado pelo rei Dom João III.

Logo estabeleceu-se na Serra da Arrábida e, aí, ajudou a fundar uma série de mosteiros para os chamados Arrábidos (ou Capuchos, noutras zonas do país), nomeadamente o chamado Convento de Nossa Senhora da Arrábida. Escreveu toda a regra da comunidade lá perto, em Azeitão.

Em 1555, iniciou a reforma da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos mediante as regras "alcantarinas", hoje conhecidas como de "Estrita Observância". Mais tarde, foram os Arrábidos que foram colocados no Convento de Mafra por Dom João V. Acabaram por ser expulsos de Portugal quando da implantação do liberalismo no país, sendo, então, reintegrados na Ordem de São Francisco.[2]

Em 1557, estava no Reino de Portugal que tanto amava[3] .

Era notável pregador e místico, amigo e confessor de Santa Teresa de Jesus a quem terá ajudado, em 1559, na tarefa de reforma da Ordem dos Carmelitas, a par de São João da Cruz. Escreveu o "Tratado da Oração e Meditação" que terá sido lido por São Francisco de Sales.

Veneração[editar | editar código-fonte]

São Pedro, Sepulcro do Monastério Franciscano, Washington, Estados Unidos.

Diz-se também que Pedro dormiu muito pouco e que ele sempre dormia sentado. Porque ele estava a maior parte do tempo acordado, enquanto seus irmão frades estavam dormindo, ele é o santo padroeiro dos adoradores noturnos.[4]

Legado[editar | editar código-fonte]

Foi beatificado em Roma pelo Papa Gregório XV em 18 de Abril, 1622, e canonizado pelo papa Clemente IX 28 de abril de 1669.

A festa litúrgica de São Pedro é comemorado em 18 de outubro, um dia após sua morte.[5] Por ser a festa de São Lucas Evangelista celebrada em 18 de Outubro, o dia da festa de São Pedro foi a princípio atribuído a 19 de outubro, quando em 1670 foi incluído no calendário católico romano de santos. Devido à importância supostamente limitada da festa de São Pedro em todo o mundo, essa foi removida em 1969 do Calendário Geral, deixando-a para ser incluída nos calendários locais se assim for desejado.[6] Mas a inclusão de São Pedro de Alcântara, no Martirológio Romano como um dos santos de 18 de outubro significa que, a ele ainda se pode ser dada as honras oficiais em toda parte[5] e católicos tradicionalistas ainda continuam a usar as versões anteriores a 1970 do Calendário Geral Romano, como permitido pelo Papa Bento XVI em sua Carta Apostólica Summorum Pontificum (que estabelece os livros litúrgicos de 1962 como uma forma extraordinária do Rito Romano).

São Pedro de Alcântara é o padroeiro da Adoração do Santíssimo Sacramento Noturna. Em 1826, foi nomeado padroeiro do Brasil,[7] e em 1962 (o quarto centenário da sua morte), da região espanhola de Extremadura. Ele também é venerado como padroeiro de várias paróquias nos Estados Unidos e Filipinas. A cidade de São Pedro de Alcántara, na província de Málaga foi assim nomeada em homenagem a ele.

Referências

  1. São Pedro de Alcântara. Página acessada em 4 de março de 2014.
  2. a b "St. Peter of Alcantara", Saint of the Day, Leonard Foley. Página acessada em 4 de março de 2014.
  3. Martinho de Santa Maria, evangelizo.org, 19 de Outubro de 2011
  4. "St. Peter of Alcantara", Saints Resource, RCL Benziger
  5. a b Martyrologium Romanum (Libreria Editrice Vaticana 2001 ISBN 88-209-7210-7)
  6. "Calendarium Romanum" (Libreria Editrice Vaticana, 1969), p. 143
  7. O “Padroeiro do Brasil”, São Pedro de Alcântara Franciscanos. Página acessada em 4 de março de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pedro de Alcântara
Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um santo, um beato ou um religioso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.