Pele de galinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A pele de galinha é uma manifestação da pele humana como reação ao frio, às emoções ou irritação da pele, fundamentalmente devida ao complexo pilomotor. A contração do músculo eretor do pelo deixa o folículo ereto, abaixando a região na base do pele de modo que a pele ao redor parece mais alta.[1]


Camada subcutânea[editar | editar código-fonte]

Pele de galinha

Esta camada realiza as funções de alimentação, desassimilação e intercâmbio calórico. É a "zona metabólica" onde se encontram as glândulas sudoríparas, o tecido adiposo, os folículos pilosos (sede de uma intensa proliferação) e uma musculatura fina, que quando se contrai produz a chamada "pele de galinha" e que habitualmente provoca a ereção dos pelos do corpo.

Este fenómeno é produzido por um diminuto grupo muscular chamado musculus erector pili ou músculo horripilador, situado junto ao folículo piloso. A pele de galinha produz-se por estímulos como o frio ou uma emoção. Daí, o músculo arrector contrai-se e o pêlo eriça-se, fenómeno que se chama o reflexo pilomotor.

Também se chama assim à queratose que é a acumulação de queratina nos folículos em forma de protuberâncias. Tal pode provocar problemas estéticos embora não seja obnóxia para a saúde. É de origem genética, e suspeita-se que alguns alimentos a agravem, bem como o clima seco.

Referências

  1. Frederic H. Martini; Michael J. Timmons; Robert B. Tallitsch (2009). Anatomia Humana - 6.ed.: Coleção Martini. p. 801. ISBN 978-85-363-2029-8.
Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.