Pelota valenciana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Joc de pilota", de Josep Bru i Albinyana. Quadro costumbrista de 1881.

A Pelota Valenciana, (em valenciano: Pilota Valenciana), é um desporto tradicional, variante do jogo de pelota, que pode se praticar em várias modalidades no qual se opõem um ou mais contrincantes formando duas equipas que competem lançando uma pelota, a golpeando com a mão nua, ou com ligeiras proteções.

O nome de pelota valenciana utiliza-se para distinguí-lo de outras variantes como a basca, jogada normalmente contra um muro.

História[editar | editar código-fonte]

O desporto da pelota foi amplamente praticado na Antiga Grécia e foi introduzido na Península Ibérica pelo Império Romano que o expandiram a outras regiões do império como as atuais França, Bélgica, Holanda ou Itália onde ainda perduram diferentes variedades. Naquela época jogava-se a pelota com umas normas similares ao atual jogo valenciano de llargues.

Na Coroa de Aragão foi um desporto muito popular praticado por membros da nobreza e inclusive reis (o humanista Arnaldo de Vilanova recomendou sua prática a Jaime II em 1305) conquanto este sucesso foi parte de sua posterior perda de popularidade já que para evitar problemas proibiu-se sua prática nas ruas ficando confinada a recintos fechados que só podiam manter as classes ricas. Ademais o fato de que só no Reino de Valencia existisse tradição de jogo em trinquete propiciou seu desaparecimento nos restantes territórios da Coroa de Aragão. Famoso por sua trascendencia é o bando do 14 de junho de 1391 que promulgou o Conselho Geral da Cidade de Valencia no que proibia sua prática na rua:

Devido a que por ocasião do jogo (de pelota) se diziam diversas blasfemias em ofensa de nosso senhor Deus e dos santos e diversas injurias de palavra e fato às gentes andantes e permanecientes pelas diversas ruas e praças da cidade tem novamente estabelecido e vedado que alguma pessoa privada ou estranha de qualquer condição ou lei de dez ou mais anos não possa jogar dentro dos muros de dita cidade (Valencia) ao jogo de pelota sob pena de vinte morabatins de ouro pela cada vez que o fizesse.

Trinquete.

Como se comentou esta proibição não afetou ao jogo de pelota no Reino de Valencia estando censados em meados do século XVI até treze trinquetes na capital se repetindo de maneira periódica diversos bandos proibindo seu jogo na rua. No entanto a metade do século XIX os bascos deixam de jogar cara a cara para começar a jogar a rebote num muro o que junto com a invenção do tênis, desporto similar mas de menos dureza física do que só se recebeu como influência o sistema de puntuação, limitaram a difusión da pelota a mão praticamente a Valencia e a regiões concretas de Bèlgica, Holanda, o norte de Itália e o norte de França.

Desde este momento e até metade do século XX é o que se conhece como idade de ouro da pelota valenciana devido a que se disputavam numerosas partidas nas que se apostavam ingentes somas de dinheiro e a que os jogadores eram autênticos heróis populares destacando pelotaris como Roquet de Penàguila, Bandeira, Melero, Bota, o Nene, o Paler ou o Pilotero.

Posteriormente a popularização dos desportos de massas, especialmente o futebol, a expansão urbanística que provocou o derrubo de numerosos trinquetes, o aumento da circulação automobilística que dificultou o jogo na rua e a progressiva castelhanização da sociedade devido à imigração de grande quantidade de pessoas que não viam à pelota como um desporto próprio provocou que sua situação na década dos 60 do século XX fosse quase crítica.

Mas nesse momento a pelota voltou a resurgir e pode-se dizer que foi graças a um homem Francisco Cabanes o Genovés. A figura deste mítico pelotari atraiu a numerosos aficionados de volta ao trinquete.

A este fenômeno uniu-se o processo autonômico. Esta descentralização provocou que a Federació de Pilota Valenciana se separasse da espanhola, que recolhe só as modalidades bascas, o que permitiu organizar numerosos torneios oficiais que incrementaram o interesse das partidas e uma maior professionalização do desporto. Ademais as novas instituições públicas apostaram decididamente por ele, retrasmitindo numerosas partidas, contando com um programa semanal na televisão pública valenciana, incluindo notícias nos telediarios, oferecendo recursos didáticos para sua introdução na matéria de educação física e promulgando um regulamento pela qual qualquer colégio ou instituto valenciano de nova construção deva incluir uma instalação para a prática da pelota.

Por isso, se pode dizer que atualmente a pelota vive um período de recuperação como nunca dantes se tinha conhecido e sem dúvida o futuro adquire boas expectativas.

Instalações[editar | editar código-fonte]

A pelota valenciana pode disputar-se em diferentes lugares.

  • Trinquete: Sem lugar a dúvidas é o campo mais característica deste desporto. É um recinto fechado de forma rectangular dentre quarenta e sessenta metros de longo e entre nove e onze de largo. As duas paredes mais longas, denominadas muralhas, têm uma altura parecida ao largo do recinto. Uma das duas muralhas conta com um elemento singular, escala-a. Esta escada consta de quatro degraus dos quais o primeiro é mais alto que o resto, contando com uma altura de um metro aproximadamente e um largo dentre dois metros e médio e três. Estes degraus são aproveitados pelo público para sentar-se e presenciar a partida.
  • Rua: Tradicionalmente disputaram-se partidas na rua, contando a cada povo com uma rua especialmente adequada para isso. Esta rua devia de ser plana e contava com umas dimensões um pouco menores que as de um trinquete. Com o aumento da circulação dificultou-se esta prática pelo que se construíram diversas ruas artificiais denominadas carrer da pilota nas que se imitam até nos mais pequenos detalhes as naturais incluindo por tanto janelas, balcones ou portas. Existem ruas artificiais entre outras nas localidades de Monserrat, Torrente, Beniparrell, A Eliana, Meliana, Foyos, Albuixech, Chirivella, Calpe ou Benidorm.
  • Frontón: De características similares ao frontón basco ou ao de frontenis mas com uma longitude menor (regulamentarmente entre 20 e 30 m de longo) está ganhando popularidade nos últimos tempos devido à dificuldade de disputar partidas na rua ou nos trinquetes.
  • Galotxeta: Este recinto de vinte metros de longo por três e médio de largo utiliza-se para jogar a modalidade de "Galotxetes" na localidade de Monóvar.

Modalidades[editar | editar código-fonte]

Como se comentou existem diversas modalidades de pelota valenciana ainda que se podem dividir em dois grandes blocos, estilo direto e estilo indirecto:

Estilo direto[editar | editar código-fonte]

Cena de uma partida de Pelota Valenciana em sua variante Llargues, na localidade de San Juan de Alicante

As equipas estão enfrentadas, enviando a pelota ao extremo contrário do campo de jogo.

Modalidades de estilo direto:

  • Escala i corda: Sem dúvida a modalidade reina pelo que conta com o maior número de jogadores profissionais. Disputa-se em trinquete ao que se acrescenta uma sensata no médio do campo a uma altura aproximada de dois metros. Enfrentam-se duas equipas de um, duas ou três jogadores. É um jogo ao ar, permitindo-se só um bote da pelota dantes da devolver ao campo rival ainda que os botes nas escadas não são contandos. O jogo consiste em devolver a pelota ao rival acima da sensata, cometendo-se falta quando a pelota não chega ao outro campo, o faz por embaixo ou impacta numa parte do corpo diferente da mão. Para conseguir um jogo segue-se uma notación similar à do tênis, 15, 30, val e joc
  • Galotxa: É um jogo similar ao de escala i corda diferenciándose em que se disputa numa rua natural, ou uma rua artificial, se adaptando as regras ao campo, mas mantendo o mesmo espírito.
  • Llargues: Nesta modalidade ao ar jogada na rua permite-se só um bote. Disputa-se entre equipas de três, quatro ou cinco pelotaris. Para conseguir um tanto há que conseguir que a pelota bote para além de uma linha conhecida como da falta (situada em torno de trinta ou quarenta metros da do saque) ou que supere uma linha posterior conhecida como do 'quinze' (quinze) situada a uma distância aproximada de 70 m.
  • Raspall: É a outra modalidade que conta com jogadores profissionais. Joga-se em trinquete ou na rua e deve seu nome ao fato que o pelotari pode raspar o solo com a mão para devolver a pelota, já que inclui dois golpes específicos: "raspar" (golpear a pelota a ras do solo de maneira que esta rode) e "enganxar" (golpear a pelota a ras do solo de forma que esta se eleve). Nesta modalidade a pelota vai freqüentemente rodando pelo solo. Para conseguir um ponto tem-se de conseguir que a pelota supere a linha de tanto que tem o rival por trás dele ou tocar o fundo do trinquete. É a modalidade mais dura fisicamente.
  • Galotxetes: Esta modalidade joga-se na galotxeta um diminuto campo entre um ou dois jogadores por equipa. Disputa-se ao ar, conseguindo-se um tanto a cada vez que se introduz a pelota num dos cajones (buracos) do rival, ou não conseguem passar a sensata.
  • Jogo internacional: Denomina-se assim à modalidade que se joga em mundiais e europeus, sendo similar a llargues mas com diversas variantes, já que na cada país se joga de forma diferente, com o fim de jogar a uma modalidade comum.

Estilo indirecto[editar | editar código-fonte]

As duas equipas enfrentam-se lançando a pelota contra um elemento (muro), chamado frontón. Após que a pelota rebote lhe toca atirar à equipa contrária.

Modalidades de estilo indirecto:

  • Frontón: Esta modalidade se diferença do frontón basco nas dimensões do campo e as características da pelota. A cada jogador golpeia a bola de maneira alterna devendo impactar esta no frontis acima de uma raya situada a uma altura de médio metro e botando dentro dos limites estabelecidos no campo.
  • Frare: Esta modalidade conta com umas regras similares às do frontón diferenciando-se em que se disputa num campo com dimensões um pouco menores.

De todas estas modalidades a mais estendida é a de escala i corda que junto com a de raspall é a única que conta com jogadores profissionais. Populares também são a galotxa nas províncias de Castellón e Valencia; e em toda a província de Alicante a modalidade a llargues. O jogo em frontón está ganhando adeptos devido à grande quantidade de instalações diponiveis e aos diversos desafios que enfrentaram nos últimos anos a pelotaris valencianos e bascos. Por último as galotxetes e o frare encontram-se a cada uma delas restringidas praticamente a uma população.

Material[editar | editar código-fonte]

Pelotas[editar | editar código-fonte]

Existem diversos tipos de pelota segundo a modalidade:

  • Pelota de badana: Esta pelota tem uma coberta de pele de ternera e está recheada de borracha. Usa-se por seu escasso preço em partidas de aficionados e em partidas na rua e por sua ligereza para o treinamento de jovens. Tem um peso máximo de 39 g e um diámetro máximo de 38 mm.
  • Pelota de trapo: Esta pelota tem um centro de borracha e esta recoberta por tiras de trapo. É utilizada na modalidade de galotxetes e conta com um peso dentre 50 e 96 g e um diámetro de 6 ou 7 cm.
  • Pelota de vaqueta: está formada por oito triángulos de pele de pescoço de vaca cosidos entre si e recheada de borracha para conseguir o peso oficial que tem a modalidade de adultos é dentre 40 e 42 g e um diámetro de 42 mm. São fabricadas de maneira artesanal e por tanto são muito apreciadas tendo um preço muito elevado de no mínimo 30 euros. Utiliza-se na modalidade de escala i corda, raspall e galotxa.
  • Pelota de Tec: Está composta de um núcleo de madeira recubierto de apaga e forrada com pele de cabra. utiliza-se para o frontón valenciano e tem um peso dentre 36 e 50 g e umas dimensões dentre 40 e 50 mm de diámetro.

Luvas[editar | editar código-fonte]

Utilizam-se para proteger as mãos à hora de golpear a pelota. São de pele de cordeiro e não cobrem os dedos. Estão formados por um triángulo de pele destinado a cobrir a palma da mão contando com uma sujeição à altura das juntas. Para sujeitá-los atam-lhos à mão com um par de sensatas enlaçadas. Devido a seu ligereza não oferecem suficiente proteção pelo que normalmente se acrescentam naipes, ferros de aço ou esponjas embaixo deles os cobrindo posteriormente com esparadrapo. Geralmente esta proteção utiliza-se também nos dedos.

Dedales[editar | editar código-fonte]

Os dedales (em valenciano didalets), utilizam-se para jogar a raspall. Estão fabricados com pele ou intenstino de porco. Para colocá-los acrescenta-se um pouco de algodón para ajustar a forma do dedal à do dedo.

Apostas[editar | editar código-fonte]

Os espectadores do jogo podem apostar a qualquer das duas equipas, e o trinquete e o marxador se embolsan ambos uma comissão das apostas.

Componente social[editar | editar código-fonte]

As partidas de pelota, os trinquetes e todo aquilo relacionado com a pelota sempre utilizaram o valenciano como língua predominante, inclusive aos anos da ditadura de Franco. Pelo que foi um refúgio para a língua própria que serviu para manter seu uso. Por isso alguns valencianos o consideram seu desporto nacional. A língua valenciana incorporou diferentes expressões da pelota, destacando sem lugar a dúvidas vai de bo frase que se utiliza para indicar que se dá por finalizado o esquentamento e começa a partida propriamente dita e que em língua castelhana significa que algo vai em sério.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Pelota valenciana