Pelycosauria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómica"Pelycosauria"
Ocorrência: Carbonífero Superior - Permiano Superior 308–271 Ma
Esqueleto montado de Dimetrodon milleri

Esqueleto montado de Dimetrodon milleri
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Synapsida
(sem classif.) "Pelycosauria" *
Cope, 1878
Famílias e gêneros
ver texto

"Pelycosauria" (aportuguesado para pelicossauros) é um grupo parafilético (grado) da classe Synapsida historicamente referido como uma ordem. É composto por formas basais de sinapsídeos de tamanho médio a grande (até 3 metros ou mais). Os pelicossauros são ancestrais distantes dos mamíferos, já que deles descenderam os ancestrais imediatos dos mamíferos, os terapsídeos.

Os pelicossauros surgiram no período Carbonífero e desapareceram ao final do período Permiano, quando houve o maior evento de extinção da história da Terra. Chegaram a existir algumas famílias. Destacam-se Edaphosauridae, mais antiga, formada basicamente por animais herbívoros e Sphenacodontidae, mais recente, formada basicamente por animais carnívoros. Alguns representantes de ambas as famílias tinham uma curiosa estrutura em forma de vela nas costas, consistindo de espinhas dorsais muito compridas. Acredita-se que essa estrutura tinha função termoregulatória: os raios de Sol aqueceriam o sangue circulante nessa vela, permitindo aos animais uma adaptação melhor ao ambiente. Seria uma das primeiras tentativas de homeotermia conhecidas.

Os pelicossauros tinham também algumas características físicas que ainda podem ser percebidas nos mamíferos: um princípio de heterodontia (dentes diferentes, adaptados a funções diferentes) e uma rotação dos ossos das patas para uma posição mais vertical sob o corpo, com os cotovelos voltados para trás e os joelhos voltados para a frente, da mesma forma como nos mamíferos atuais.

Os gêneros mais conhecidos de pelicossauros são Edaphosaurus e Dimetrodon. Ambos são identificados popularmente como dinossauros, mas na verdade não pertencem a esse grupo. Viveram muito antes do surgimento dos primeiros dinossauros e pertenceram a uma linhagem de répteis diferente.

Eothrys, um pelicossauro primitivo
Cotylorhynchus sp.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Pelycosauria foi descrita por Edward Drinker Cope em 1878 como uma subordem de Rhynchocephalia.[1] Em 1923, Franz von Nopsca elevou o grupo à ordem dentro da classe Reptilia.[2] Alfred Sherwood Romer e Llewellyn Ivor Price, em 1940, mantiveram a categoria de ordem, mas rearranjaram-na dentro da Synapsida.[3]

Romer e Price realizaram a primeira revisão dos pelicossauros em 1940, dividindo-o em três grupos principais: Ophiacodontia, Edaphosauria e Sphenacodontia.

Sistemática[editar | editar código-fonte]

Filogenia[editar | editar código-fonte]

Cladograma baseado em Laurin (1993):[4]

Synapsida
Caseasauria

Eothyrididae



Caseidae



Eupelycosauria

Varanopseidae


       

Ophiacodontidae


       

Edaphosauridae


Sphenacodontia

Haptodus


       

Palaeohatteria


       

Pantelosaurus


       

Cutleria


Sphenacodontoidea

Sphenacodontidae



Therapsida











Cladograma baseado em Benson (2012):[5]



Tseajaia campi



Limnoscelis paludis


Amniota


Captorhinus spp.



Protorothyris archeri



Synapsida


Ophiacodontidae



Varanopidae





Caseasauria




Ianthodon schultzei




Edaphosauridae


Sphenacodontia

Haptodus garnettensis




Pantelosaurus saxonicus




Therapsida



Sphenacodontidae











Referências

  1. COPE, E.D.. (1878). "Descriptions of extinct Batrachia and Reptilia from the Permian formations of Texas". Proceedings of the American Philosophical Society 17: 505-530.
  2. NOPSCA, B.F.. (1923). "Die Familien der Reptilien [The families of reptiles]". Forschritte der Geologie und Palaeontologie Verlag von Gebrüder Borntraeger, Berlin 2: 1-210.
  3. ROMER, A.S.; PRICE, L.I.. (1940). "Review of the Pelycosauria". Geological Society of America Special Paper 28: 1-538.
  4. LAURIN, M.. (1993). "Anatomy and relationships of Haptodus garnettensis, a Pennsylvanian synapsid from Kansas". Journal of Vertebrate Paleontology 13: 200-229.
  5. BENSON, R.J.. (2012). "Interrelationships of basal synapsids: cranial and postcranial morphological partitions suggest different topologies". Journal of Systematic Paleontology 10 (4): 601-624. DOI:10.1080/14772019.2011.631042.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Pelycosauria
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pelycosauria
Ícone de esboço Este artigo sobre sinapsídeos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.