Península Itálica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A península Itálica ou península Apenina e sua forma característica de "bota"

A península Itálica ou península Apenina é uma das maiores penínsulas da Europa, medindo 1000 km dos Alpes, ao norte, ao centro do mar Mediterrâneo, ao sul.

Em forma de bota (em italiano, Lo Stivale) e situada no sul da Europa, consiste de três estados:

O nome Apenina vem da cordilheira dos Apeninos. A península é circunscrita pelo mar Lígure e pelo mar Tirreno a oeste, pelo mar Jónico a sul e pelo mar Adriático a leste. A parte interna da península é montanhosa (montes Apeninos), a parte norte é mais plana e as costas apresentam geralmente falésias.

Por tradição popular, sua extensão geográfica é impropriamente definida a partir da vertente meridional dos Alpes. Na realidade, a península, no sentido geográfico estrito, inicia-se nos Apeninos tosco-emilianos. praticamente com um linha imaginária que vai de Gênova a Veneza e se estende até o extremo meridional do cabo de Spartivento, na Calábria. Tem, assim, uma extensão de cerca de 1000 quilômetros na direção noroeste - sudeste. As ilhas maiores (Sicília, Sardenha e Córsega) não são geralmente consideradas partes da península. Desde o tempo do imperador romano Augusto (século I d.C.), o limite norte da península foi considerado a vertente meridional dos Alpes, mas geograficamente o limite coincide com uma linha do rio Magra até o rio Rubicão ao norte dos Apeninos Toscano-Emilianos, o que exclui o vale do rio Pó e a vertente meridional dos Alpes.[1] [2]

O clima é em geral do tipo mediterrânico, embora na parte continental seja moderadamente do tipo continental.

História[editar | editar código-fonte]

Diversos estados sucederam-se na península Itálica, destacando-se os de maior duração e que tiveram controle sobre toda a península:

Durante a República Romana da antiguidade, a Itália constituía o território de Roma (ager romanus) e então não era uma província. Durante o principado de Augusto, a Itália foi sub-dividida em onze regiões:

Os habitantes livres da península eram todos cidadãos romanos e não pagavam o imposto fundiário (ius italicum). Tal imposto era reservado aos cidadãos dos territórios provinciais, territórios considerados propriedade do povo romano.

Outros estados tiveram sua origem e capital na península Itálica, mas deviam seu poder político e econômico aos territórios que controlavam com seu comércio e suas marinhas, como as repúblicas marítimas, de Veneza, Gênova, Pisa e Amalfi.

Divisão política atual[editar | editar código-fonte]

País/
Território
População[3] Área
(km²)
Proporção Descrição
Flag of Itália Itália 26 140 000 131 275 99.9478% Ocupa a maior parte da península
Flag of San Marino San Marino 31 887 61,2 0.0518% É um enclave no nordeste da península
Flag of Vaticano Vaticano 829 0,64 0.0004% É um enclave em Roma

Referências

  1. De Agostini Ed., L'Enciclopedia Geografica - Vol. I - Italia, 2004, p.78
  2. Touring Club Italiano, Conosci l’Italia - Vol. I: L’Italia fisica, 1957
  3. População inclui somente os habitantes da península propriamente dita (excluindo o Norte da Itália, Sicília, Sardenha, San Marino e Vaticano).

Ver também[editar | editar código-fonte]