Pensamento único

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Pensamento único é uma expressão cunhada pelo filósofo alemão Arthur Schopenhauer em 1819 para definir o pensamento que se sustenta a si mesmo, constituindo uma unidade lógica independente, sem ter que se referir a outros componentes de um sistema de pensamento. Em 1964, Herbert Marcuse, filósofo Freudiano-Marxista e membro da corrente crítica denominada Escola de Frankfurt, descreveu um conceito similar que chamou de "pensamento unidimensional", dentro do contexto da crítica à ideologia da sociedade tecnológica avançada. Para Marcuse, este tipo de pensamento é resultante de "fechamento do universo do discurso" imposto pela classe política dominante e pelos meios de comunicação de massa. Mais recentemente, num sentido similar, o jornalista franco-espanhol Ignacio Ramonet cunhou o termo pensée unique para descrever a supremacia do neoliberalismo enquanto ideologia dominante na última década do século XX.

Referências[editar | editar código-fonte]

La Pensée unique, com Jean Foyer, Jean-Pierre Thiollet e alguns autores, Economica/JM. Chardon & D.Lensel Ed., Paris, 1998. ISBN 2-7178-3745-0

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.