Perdigueiro Português

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Perdigueiro Português
Perdigueiro Português com 11 anos
País de origem  Portugal
Características
Classificação e padrões
Federação Cinológica Internacional
Grupo 7
Seção 1 - Cães apontadores
Estalão ##187 4 de novembro de 2008

Perdigueiro Português[1] [2] é uma raça de cães desenvolvidos como cão de caça. É uma das várias raças de perdigueiros e é usado principalmente na caça da perdiz.

Origem[editar | editar código-fonte]

O Perdigueiro Português surgiu a partir do Perdigueiro Peninsular,[3] antiga raça de cães ibérica, estando a sua presença documentada desde o início do século XII. A sua evolução resultou de vários factores como, adaptação ao clima, tipo de caça, terreno e selecção introduzida através da especificidade cultural portuguesa. No século XIV, era criado nos canis reais e era utilizado na caça de altaria, sendo conhecido como podengo de mostra, evidenciando já a possibilidade de parar perante a caça. No século XVI, já com o nome de perdigueiro, tornou-se um cão de caça muito popular entre as classes mais baixas da sociedade. No século XVIII, muitas famílias inglesas estabeleceram presença na região do Porto no negócio da produção de vinho e tomaram contacto com a raça sendo levado para Inglaterra onde desempenhou um papel importante na origem do pointer inglês. No entanto, durante o século XIX, quando Portugal atravessava dificuldades sociais consideráveis, a raça começou um declínio progressivo. Foi somente em 1920 que alguns criadores fizeram um esforço para salvar a raça, localizando alguns dos cães no inacessível norte de Portugal. O livro português de pedigree foi então estabelecido em 1932 e o padrão da raça em 1938.[3] Durante pelo menos mil anos, este cão teve sempre a mesma cabeça quadrada, orelhas triangulares e aspecto compacto.

Aparência e comportamento[editar | editar código-fonte]

Perdigueiro Português fêmea.

O Perdigueiro Português é um cão extremamente meigo e afectivo, dotado de grande capacidade de entrega e muito resistente. É calmo, bastante sociável e um pouco petulante em relação aos outros cães. Trabalha com vivacidade e persistência e é curioso por natureza. Mantém sempre o contacto com o seu caçador.[3]

Movimenta-se com passada fácil e é garboso. É polivalente nas suas função e muito adaptável aos variados terrenos, climas e tipos de caça.[2]

Apresenta-se em proporções médias, rectilíneo, tipo bracóide, robusto mas de conformação harmónica aliada a manifesta elasticidade de movimentos.[2]

A cabeça é proporcionada em relação ao corpo, bem conformada e harmónica; aparenta ser grande no conjunto. Um pouco grossa, no entanto não é ossuda nem empastada e possui pele flácida e fina.[2]

A pelagem é curta e grossa na maioria dos cães, sendo de textura aveludada nas orelhas e na face.[2]

De cor amarela nas variedades clara, comum e escura, unicolor ou malhada de branco na cabeça, pescoço, peito e calçado.[2]

Nos machos, a altura na cernelha é de 52 a 60 centímetros, o peso é de 20 a 27 quilos. Nas fêmeas, a altura é de 48 a 56 centímetros e o peso é de 16 a 22 quilos.[2] [3]

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. Bruno Tausz. Dicionário de cinologia. [S.l.]: Nobel, Ref pp 170. 368 pp. ISBN 978-85-213-0850-8
  2. a b c d e f g Perdigueiro Português FCI-Standard Nº 187. [S.l.]: Fédération Cynologique Internationale (AISBL). PDF
  3. a b c d Associação do Perdigueiro Português. Perdigueiro Português Perdigueiroportugues.com. Página visitada em 21 de maio de 2010.
Web

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cães, integrado ao Projeto Cães é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.