Peritoró

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Peritoró
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 22 de Novembro
Fundação 22 de Novembro de 1994
Gentílico peritoroense
Lema Trabalho, Fé e Justiça.
Prefeito(a) Padre Josias[1] (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Peritoró
Localização de Peritoró no Maranhão
Peritoró está localizado em: Brasil
Peritoró
Localização de Peritoró no Brasil
04° 22' 58" S 44° 19' 58" O04° 22' 58" S 44° 19' 58" O
Unidade federativa  Maranhão
Mesorregião Leste Maranhense IBGE/2008[2]
Microrregião Codó IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Coroatá, Codó, Capinzal do Norte, Alto Alegre do Maranhão, São Luiz Gonzaga e Lima Campos
Distância até a capital 236 km
Características geográficas
Área 747,682 km² [3]
População 20 274 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 27,12 hab./km²
Clima semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,537 baixo PNUD/2000[5]
PIB R$ 45 784,420 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 2 335,82 IBGE/2008[6]
Página oficial

Peritoró é um município brasileiro do estado do Maranhão. Sua população estimada em 2010 era de 21.201 habitantes. Ela é mais conhecida no Maranhão por sua rodoviária, com grande movimentação durante o dia e a noite.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1889, no século passado. A pequena vila de moradores passou a chama-se Peritoró da Íria, devido o Rio Peritoró que corta o pequeno povoado. Esta fez a primeira casa grande, casa de Maria do Tomás, construiu uma igreja de taipa, esta pequena casa de devoção ficava a direita das margens do Rio, em frente a um pé de Iticoró. A 1ª padroeira da vila foi Menino de Jesus de Praga. Também foi necessário um cemitério, este com paredes de pedras para separar os vivos dos mortos (atual Cemitério da Eurides). Toda a região conhecia este povoado como Peritoró da Íria.


Ao chegar em 1930, nas terras de légua quadrada, Francisco Matos, começou a trabalhar pelo progresso, dá nome e vida ao local. Ele chegou com sua esposa(Elvira Lima de Matos), as filhas(Dolores e Lurdes), ambas ainda jovens. Esta família começou a trabalhar com venda de bolos, suco de fruta e o comércio mostrou que havia progresso. Os Matos construíram uma pequena capela em frente a um grande pé de tamarindo, denominada Nossa Senhora das Graças. Isto causou que alguns moradores fossem embora da região, mas Chiquinho de Matos, começou a ser conhecido e tornou-se u homem poderoso, e as fama espalha-se por toda região. E este povoado ganha um outro sub-nome, Peritoró do Chiquinho de Matos. Para mostrar o seu poder Francisco Matos constrói a primeira praça da região, com o nome Francisco Matos (atual praça do município). O grande mastro de Peritoró faleceu na década de 1980, seu corpo é sepultado no cemitério da Rua da Mangueira.

O trem chega em 1960: O progresso começa a dar vida o pequeno distrito. O trem chega com o objetivo de transportar pessoas e cargas de Coroatá até Colinas, com via a Pedreiras. Só que os recursos foram poucos e a estrada foi construída até o povoado de Independência. Os planos de RFFSA não tiveram sucessos. o trem não dava lucros.Então determinado que a locomotiva denominada "Trem de Maracanguaia" durasse somente três meses. Quando terminou o prazo o trem parou. Peritoró sentiu falta, mas nada podia ser feito, não havia investimento para a continuação desta estrada de ferro. A estação tinha por nome "Estação de Peritoró" era a mais bonita de todas as regiões, Peritoró não parou de crescer e em 1994 passou a categoria de cidade. Uma iniciativa do Dep. estadual Ricardo Murad autor do projeto de Lei, que inicialmente dava homenagem ao ex presidente Sarney, em discussão voltou a ser chamado de Peritoró. Participantes da divisão do município Ricardo Murad, Geraldo do Céu Pereira, Maria do Rosário Sousa Lima,Clemilton Costa Trovão e Luiz Carlos Luz, entre outros participantes do grupo políticos da época.

Com a emancipação da cidade de Peritoró em 22 de Novembro de 1994 o município passou a ter o seu primeiro prefeito Geraldo do Céu Pereira. Possuía Peritoró aproximadamente 10 mil habitantes com a área de 824,718 km² censo 2010 e hoje possuí uma população de 20.201 habitantes. apos o termino do mandato do Sr. Geraldo do Céu, foi eleito o Sr. Agamenon Lima Milhomen, medico,que tem sua origem na cidade de Formosa da Serra Negra. Como terceiro prefeito teve o Padre Jozias Oliveira, na sequencia novamente Dr. Agamenon e agora novamente o Padre Jozias Oliveira.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sede, Peritoró, povoados, distritos, os mais importantes considerados hoje bairro, Independência e Livramento, possui como vegetação nativa matas dos cocais.

Limites territoriais[editar | editar código-fonte]

Limites ao norte com São Luiz Gonzaga, a leste com os municípios de Coroatá e Codó, a oeste com os municípios de Lima Campos e São Luiz Gonzaga e ao sul com o município de Codó.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Peritoró é cortado em toda extensão Norte-sul, pelo Rio Peritoró. De características: semi-perene, o Rio Peritoró desemboca no Rio Itapecuru, sendo, portanto afluente deste pela relativa riquezas em pescados o Rio Peritoró, tem sofrido ao longo dos anos uma pesca predatória, tendo sido inclusive devastado em suas matas ribeirinhas, o que tem contribuído para o seu assoreamento.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima do município é do tipo quente úmido, sendo que as temperaturas mais elevadas concentram-se meses de setembro, outubro e novembro, quando, via de regra, inicia-se a estação chuvosa. Nesse período a temperatura máxima oscila entre 37 a 39°C.

População eleitoral[editar | editar código-fonte]

O município de Peritoró situa-se entre os 10 municípios mais povoados, dos 81(oitenta e um) recém criados. Elegeu seu primeiro prefeito Geraldo do Céu Pereira, com 2.363 (dois mil trezentos e sessenta e três) votos pela coligação PPB/PSDB, nas eleições de 3 de outubro de 1996. Com uma população segundo dados oficiais, é de 13.744 (treze mil setecentos e quarenta e quatro) eleitores. Hoje possuímos segundo dados do IBGE um colégio eleitoral 14.535 (quatorze mil quinhentos e trinta e cinco) eleitores.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

O município de Peritoró serve de cruzamento de duas rodovias federais importantes, a BR 135 e a BR 316. Em função disso é extremamente significativo o movimento diário de coletivos estaduais e interestaduais com embarque muito grande de passageiros. Boa parte da renda se faz de maneira informal no sistema de "biscates", isto é, grande parte da mão-de-obra percebe do movimento de passageiro ou em serviços de carga e descarga de mercadorias.

Indústria e comércio[editar | editar código-fonte]

De um modo geral a economia do gira em torno do comércio variado de gêneros alimentícios, através de diferentes estabelecimentos, aos transeuntes. Além de pequenas empresas prestadoras de serviços, principalmente, oficinas de recuperação de veículos automotores. Existe também uma indústria de pequeno porte, A Cerâmica Mayara, que fabrica telhas, tijolos e lajotas e serve como fonte de emprego para muitas famílias. Também atualmente tem contribuído para o desenvolvimento comercial, uma pequena industria do setor coureiro,que comercializa a matéria-prima gerando fonte de renda direta e indiretamente para muitas famílias da região, a Império Couros,que no futuro pretende instalar uma fábrica de calçados,esta situada no povoado Santa Luz,limite desse município.

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Bastante representativo com diversos estabelecimentos direcionados para a atividade pecuária. Criação de bovino (gado de corte/leiteiro) suínos e aves. Possui um projeto de produção de leite em escala industrial, inclusive com financiamento da SUDENE.

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A produção agrícola municipal é o de cereais, leguminosas e oleaginosas como: algodão arbóreo, algodão herbáceo, amendoim, arroz, aveia, centeio, cevada, girassol, feijão, mamona, milho, soja, sorgo granífero, trigo, triticale.

Órgãos públicos[editar | editar código-fonte]

Existe no município um razoável número de servidores vinculados a órgãos públicos federais e estaduais. ELETRONORTE, CEMAR, CAEMA, Correios e Telégrafos, Casa da Justiça, Escolas Estaduais e etc.

Cultura local[editar | editar código-fonte]

Quadrilha, Bumba-meu-boi, Dança do Coco, Carnaval e também é conhecida como terra da castanha

Referências

  1. Resultado Final eleições 2012 no Maranhão. Página visitada em 13/01/2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Maranhão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.