Peroba-comum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaPeroba-comum
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Subclasse: Asteridae
Ordem: Gentianales
Família: Apocynaceae
Género: Aspidosperma
Espécie: A. polyneuron
Nome binomial
Aspidosperma polyneuron
Müll.Arg.

Peroba-rosa é um dos nomes comuns da espécie Aspidosperma polyneuron Müll.Arg.. É muito utilizada em carpintaria, na fabricação, entre outros objetos, de vigas, escadas, tacos e de móveis pesados. Essa espécie encontra-se na lista das espécies para conservação no Brasil e na Venezuela.[1]

Ocorrência e características[editar | editar código-fonte]

Árvore brasileira caducifólia, de desenvolvimento lento, de madeira dura, que chega a atingir de 20 a 30 m de altura com o tronco ereto o que lhe confere a categoria de madeira de corte.

Tem folhas elípticas. As flores são esbranquiçadas ou esverdeadas. Apresenta folículos clavado-oblongos.

Nativa da floresta clímax, mas que também pode ser encontrada em formações vegetais abertas, a peroba fornece madeira de cor rosa, embora conste outro tipo de tonalidade alaranjado.

Ocorre nos estados da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rondônia.

Embora mais densa (afunda) do que a água é muito solicitada na construção de embarcações marítimas por não ser facilmente atacada por busanos.

A super-exploração econômica levou a peroba-rosa ao estado de perigo. Para isso contribuiu a destruição dos ecossistemas da Mata Atlântica, seu bioma de origem, onde ocorre nas florestas latifoliada semidecídua e pluvial atlântica.

Colheita das sementes[editar | editar código-fonte]

Os frutos da peroba-rosa dispersam suas sementes quase imediatamente após a modificação da coloração do verde para o marrom escuro. Por isso, devem ser coletados antes da dispersão para evitar a perda de sementes. A coleta dos frutos geralmente é trabalhosa devido à altura das árvores[2] .

Outros nomes[editar | editar código-fonte]

É também conhecida como amargoso, guatambu-amarelo, ibirá-ró-mí, marela, paroba-amargosa, pau-caboclo, peroba, peroba-açu, peroba-amarela, peroba-amargosa, peroba-branca, peroba-osso, peroba-comum, peroba-de-são-paulo, peroba-do-rio, peroba-mirim, peroba-miúda, peroba-paulista, peroba-rajada, peroba-verdadeira, peroba-vermelha, perobeira, perobinha, perova e sobro.

Usos[editar | editar código-fonte]

A madeira da peroba-rosa é muito utilizada em construção civil. Por exemplo, dela fazem-se vigas, caibros, ripas, marcos de portas e janelas, venezianas, portas, portões, rodapés, molduras, tábuas e tacos para assoalhos, degraus de escadas, móveis pesados, carteiras escolares, produção de folhas faqueadas, construção de vagões, carrocerias, dormentes e fôrmas para calcados.[3]

Referências

  1. CARVALHO, Paulo Ernani Ramalho de. Peroba-Rosa - Aspidosperma polyneuron. Taxonomia e Nomenclatura. Circular técnica 96. Dezembro de 2004. Disponível em: <http://www.cnpf.embrapa.br/publica/circtec/edicoes/circ-tec96.pdf>. Acesso em: 04 de setembro de 2011.
  2. NOGUEIRA, Antonio Carlos e MEDEIROS, Antonio Carlos de Souza. Extração e Beneficiamento de Sementes Florestais Nativas. Embrapa, Circular técnica 131. Novembro de 2007. ISSN 1517-5278. Disponível em: <http://www.cnpf.embrapa.br/publica/circtec/edicoes/Circular131.pdf>. Acesso em: 04 de setembro de 2011.
  3. MADEIRAS. Disponível em: <http://www.joinville.udesc.br/sbs/professores/arlindo/materiais/Tipos_de_madeiras.pdf>. Acesso em: 04 de setembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre árvores, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.