Peter Huchel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Peter Huchel (Lichterfelde, 3 de abril de 1903Staufen , 30 de abril de 1981) foi um escritor e dissidente alemão.

Vida[editar | editar código-fonte]

Huchel estudou literatura e filosofia em Berlim, Freiburg e Viena de 1923 a 1926, nessa época escreveu seus primeiros poemas. Entre 1927 e 1930 viajou pela França, Romênia, Hungria e Turquia; nesse ano ele mudou seu nome para Peter e começou a escrever roteiros para programas de rádio. Em 1934 casou com Dora Lassel, de quem se divorciou doze anos depois, em 1946, e casou novamente em 1953 com Monica Rosenthal.

Seus primeiros poemas são influenciados pelo movimento artístico alemão "Naturlynk", de características realistas e detalhistas, mas gradualmente sua sensibilidade social, sua preocupação com as classes trabalhadoras e com a vida humana mudaram o rumo de sua produção literária. O horror da guerra foi influência determinante em sua obra.

Serviu como soldado durante a II Guerra, com o fim da guerra voltou ao rádio na Berlim Oriental, onde passou a ser editor da influente revista da Academia de Arte de Berlim Oriental, Sinn und Form ("Senso e Forma"), posição que ocupou até 1962.

Peter passou a ser perseguido pelo regime comunista quando foi contrário à construção do muro de Berlim em 1961. O que provocou o seu afastamento do cargo de editor da revista Sinn und Form e a prisão domiciliar sob vigilância da polícia política alemã, Stasi. Seu segundo livro, Chausseen, Chaussen: Gedichte, não foi publicado pela ditadura socialista da Alemanha Oriental e ele só foi libertado em 1971. Foi morar em Roma e depois voltou para a Alemanha Ocidental, onde viveu até morrer em 1981, não conseguindo acabar um livro de memórias que escrevia. Sua filha, Susanne Huchel doou parte de sua biblioteca particular para a Universidade de Manchester.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Gedichte (1948)
  • Chausseen, Chausseen. Gedichte (1963)
  • Die Sternenreuse. Gedichte 1925-1947 (1968)
  • Gezählte Tage. Gedichte (1972)
  • Die neunte Stunde. Gedichte (1979)
  • Gesammelte Werke; 2 Bde., Bd. 1: Die Gedichte, Bd. 2: Vermischte Schriften; hg. v. Axel Vieregg, Frankfurt a.M. 1984
  • Wie soll man da Gedichte schreiben. Briefe 1925-1977; hg. v. Hub Nijssen, Frankfurt a.M. 2000
  • Langsam dreht sich das Jahr ins Licht; Jahreszeitliche Gedichte aus der Mark Brandenburg mit Fotografie von Sabine Breithor, ausgewählt und herausgegeben von Axel Vieregg (2003)
  • Wegzeichen. Ein Lesebuch. Gedichte und Prosa mit Grafiken und Interpretationen sowie Stimmen zu Huchel. Ausgewählt und hg. von Axel Vieregg. Wilhelmshorst 1999
  • Poesiealbum 277: Peter Huchel. Auswahl Bernd Jentzsch (2007)