Phage display

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Phage Display é uma técnica de clonagem utilizada em biologia molecular. Com o uso desta técnica, é possível selecionar e isolar vetores de clonagem gerados a partir de bibliotecas genômicas, juntamente com seu produto gênico (peptídeo). Por meio da utilização de fagomídeos ou fagos infecciosos filamentosos, esta técnica permite o rastreamento dos clones devido a ligação do fenótipo (o peptídeo de interesse) com o genótipo (o vetor de clonagem) que o expressou.[1]

Princípio biológico da técnica[editar | editar código-fonte]

São utilizados dois tipos de vetores nesta técnica: Fagos e fagomídeos. O gene de interesse a ser clonado é inserido entre a região codificadora de peptídeo sinal e uma sequência que codifica uma proteína de capsídeo de um bacteriófago.[2] A informação genética transportada pelos vetores é introduzida no ambiente intracelular de células de bactérias Escherichia coli por transfecção (no caso dos fagomídeos) ou por infecção viral através de pilus sexual bacteriano (no caso dos fagos).[1] [3] No interior das células, os genes carreados pelos vetores são expressos e cópias do DNA do vetor são produzidas, gerando moléculas de DNA fita simples.[1] Entre as proteínas expressas estará o peptídeo de interesse, o qual se encontrará fundido a uma proteína de capsídeo de fago.[2] Na clonagem via fagomídeos, em função da limitação do material genético destes vetores, fagos ajudantes (do inglês, helper phages) são usados para infectar as células transformadas. Estes fagos são responsáveis por fornecer a informação genética necessária para a síntese das proteínas essenciais a formação de partículas virais completas.[1] Normalmente, os fagos ajudantes utilizados apresentam regiões defectivas no genoma que permitem o empacotamento perferencial dos fagomídeos em detrimento dos fagos ajudantes.[4] As células de E. coli infectadas com o DNA recombinante dos vetores secretarão particulas de fagos contendo a protéina de interesse ligada covalentemente à superfície de fagos.[2] As partículas virais dos bacteriófagos formados, contendo a sequência gênica clonada (encerradas no interior da partícula viral) e o peptídeo de interesse fundido, saem das células por extrusão (não por lise celular). A partir destas partículas virais, o produto gênico poderá ser isolado, conjuntamente com o genótipo que o expressa, em processos de cromatografia.[1] [2]

Outras aplicações[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde março de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Tal como o sistema duplo-híbrido, o Phage Display é empregado com um teste para verificar interacções de proteínas, através da integração de múltiplos genes de um banco de genes em fagos. O princípio deste método é sumarizado como segue:

  1. A função da proteína X é desconhecida. A proteína é usada para cobrir a superfície de um pequeno disco de plástico.
  2. Todos os outros genes no genoma são expressos como fusões com a proteína de cobertura de um bacteriófago, de tal modo que sejam exibidos à superfície da partícula viral.
  3. Esta "biblioteca genética" em fagos é adicionada ao disco. Passado algum tempo, o disco é lavado.
  4. As proteínas exibidas nos fagos que interagem com a proteína X permanecem ligadas ao disco, enquanto que todas as outras são arrastadas pela lavagem. O DNA extraído dos fagos que interagem contém as sequências das proteínas que interagem.

Referências

  1. a b c d e WILSON, K.; WALKER, J.. Principles and Techniques of Biochemistry and Molecular Biology. 7th ed. New York: Cambridge University Press, 2010. 751 p.
  2. a b c d PRIMROSE, S. B.; TWYMAN, R. M.; OLD, R. W.. Principles of gene manipulation. 6th ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2001. 390 p.
  3. GREENE, J. J.; RAO, V. B.. Recombinant DNA principles and methodologies. New York: CRC Press, 1998. 768 p.
  4. BARBAS, C. F.; BURTON, D. R.; SILVERMAN, G. J.. Phage Display: A Laboratory Manual. New York: Cold Spring Harbor Laboratory Press, 2001. 736 p.
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia molecular é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.