Philip Pullman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Philip Pullman
Philip Pullman
Nascimento 19 de Outubro de 1946 (67 anos)
Ocupação Escritor, ex-professor
Gênero literário Literatura fantástica, romance
Magnum opus His Dark Materials

Philip Pullman, CBE (Norwich, 19 de Outubro, 1946) é um escritor britânico, mais conhecido por ser o autor da aclamada série literária His Dark Materials, composta pelos livros Northern Lights, The Subtle Knife e The Amber Spyglass, e vencedora de inúmeros prêmios literários pelo mundo.

Em 2008, o The Times elegeu Pullman um dos "50 maiores escritores britânicos desde 1945".[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Durante a infância, Pullman viajou pelo mundo inteiro, pois o seu pai e o seu padrasto eram ambos membros da Real Força Aérea. Passou parte da sua infância na Austrália, aonde descobriu as histórias em quadrinhos, e cresceu lendo, em particular, o Super-Homem e o Batman.

Aos 11 anos, quando voltou para a Grã-Bretanha, passou a viver no Norte de Gales. Era uma época em que as crianças podiam passear em qualquer lugar, jogar nas ruas, brincar sobre as colinas, e ele tomou plena vantagem disso. Essa liberdade seria posteriormente retrata em seus livros. A sua professora de inglês, Enid Jones, exerceu uma grande influência sobre Pullman, e ele passou muito tempo lhe enviando cópias dos seus livros em agradecimento.

Depois de sair da escola, Pullman costumava ir à Universidade de Exeter, em Oxford, para ler. Fez alguns serviços temporários, e então voltou a Oxford para tornar-se um professor. Ensinou em várias escolas para crianças de doze anos, e então se mudou para a Universidade de Westminster, em Oxford, para ser conferencista a tempo parcial. Ensinou cursos sobre romance vitoriano e contos populares, e também um curso que fazia uma análise de como palavras e imagens poderiam assentir juntas. Ele eventualmente largou o magistério para escrever em tempo integral.

Pullman é casado com Judith Speller, e tem dois filhos com ela: Jamie Pullman e Tom Pullman, que são músicos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O primeiro livro de Pullman, The Haunted Storm, foi publicado em 1972 e ganhou o New English Library's Award para jovens escritores.

Em 1985, Pullman lançou a série Sally Lockhart Quartet. O primeiro livro, The Ruby in the Smoke, foi seguido por The Shadow in the North, lançado no ano seguinte. O terceiro, The Tiger in the Well, foi publicado em 1990 e o quarto e último volume, The Tin Princess, foi publicado em 1994.

Em 1995, com o lançamento de Northern Lights, primeiro livro da série His Dark Materials, Pullman alcançou o prestígio da crítica britânica. O livro foi tão bem recebido que venceu o Guardian Children's Fiction Prize. Assim, em 1997, chegou as prateleiras The Subtle Knife, segundo livro da série. Ele venceu o prêmio da American Library Association de Melhor Livro para Jovens Adultos. Em 2000, The Amber Spyglass foi lançado como o último livro da série.

Nos anos seguintes, Pullman ainda lançou dois livros derivados de His Dark Materials: Lyra's Oxford, publicado em 2003, e Once Upon a Time in the North, publicado em 2008. Ele também se dedicou a outros trabalhos, como o livro The Good Man Jesus and the Scoundrel Christ, publicado em 2010, e Fairy Tales from the Brothers Grimm: A New English Version, publicado em 2012.

Próximos projetos[editar | editar código-fonte]

Durante o lançamento de Fairy Tales from the Brothers Grimm: A New English Version, Pullman afirmou que pretende passar o ano de 2013 focado na escrita de The Book of Dust, um novo e último derivado de His Dark Materials.[2]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Em 2002, a New Line Cinema comprou os direitos autorais da série His Dark Materials e iniciou a adaptação do primeiro livro. O resultado foi o filme The Golden Compass, lançado em 2007.

Em 2006, a BBC adquiriu os direitos da série Sally Lockhart Quartet e transformou o primeiro livro, The Ruby in the Smoke, em um telefilme. Em 2007, adaptou o segundo livro, The Shadow in the North, também em um telefilme. Os planos da BBC eram o de adaptar os quatro livros para a televisão, mas o terceiro e o quarto livros da série não tiveram suas produções iniciadas.

Em 2008, o romance The Butterfly Tattoo virou um filme independente pela Dinamyc Entertainment.

Outro livro de Pullman que iria para as telas do cinema era Count Karlstein, que chegou a ser roteirizado pelo diretor Henry Selick, mas sua produção foi interrompida sem maiores explicações.

Frases[editar | editar código-fonte]

Cquote1.svg Três coisas me inspiram: 1ª - Dinheiro; Faço isso para viver, se não escrever bem, não vou ganhar o suficiente para pagar as contas. 2ª - O desejo de deixar uma marca no mundo. E 3ª - O prazer do artesanato; o infinito prazer de construir coisas, no meu caso, estórias. Cquote2.svg
Philip Pullman
Cquote1.svg As histórias entretêm e ensinam, ajudam a apreciar a vida e a enriquecê-la. Depois de comida, abrigo e companhia, as histórias são a coisa que mais precisamos no mundo. Cquote2.svg
Philip Pullman

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://entertainment.timesonline.co.uk/tol/arts_and_entertainment/books/article3127837.ece
  2. http://www.wired.com/underwire/2012/12/geeks-guide-philip-pullman/