Philip Rivers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Philip Rivers

Philip Rivers em 2008
No. 17     San Diego Chargers
Quarterback
Informações pessoais
Data de nascimento: 8 de dezembro de 1981 (33 anos)
Local de nascimento: Decatur, Alabama
Altura: 6 ft 5 in (1 96 m) Peso: 228 lb (103 kg)
Informação da carreira
Faculdade: Universidade Estadual da Carolina do Norte
Draft da NFL: 2004 / Rodada: 1 / Escolha: 4
Estreou em 2004 pelo San Diego Chargers
História da carreira
 Como jogador:
Pontos altos na carreira e prêmios
  • 5× selecionado para o Pro Bowl (2006, 2009, 2010, 2011, 2013)
  • Comeback Player of the Year (2013)
  • Senior Bowl MVP (2004)
  • ACC Atleta do ano (2004)
  • ACC Novato do ano (2000)
Estatísticas de carreira na NFL até a temporada de 2014
Passes tentados     4 402
Passes completados     2 843
PCT     64,6%
TD-INT     241-112
Jardas aéreas     34 720
QB Rating     96,4
Estatísticas no NFL.com

Philip Michael Rivers (Decatur, Alabama, 8 de dezembro de 1981) é um jogador de futebol americano que joga na posição de quarterback pelo San Diego Chargers da National Football League. Ele foi selecionado na quarta posição do Draft de 2004 pelo New York Giants, mas fez parte da troca entre os Chargers e os Giants que mandou Eli Manning para Nova Iorque e ele foi para San Diego.

Carreira profissional[editar | editar código-fonte]

Draft de 2004[editar | editar código-fonte]

Rivers foi projetado para ser uma escolha antecipada do primeiro rodada no Draft de 2004. Mas, apesar de Rivers ter tido sucesso na faculdade e precisão notável (72% de passes certos no seu ultimo ano), perguntas sobre a sua falta de força no braço preocupavam de alguns GMs da NFL. As projeções eram que Rivers poderia ser selecionado pelo Pittsburgh Steelers com a 8ª escolha. O Chargers cobiçava Eli Manning e queria selecioná-lo com sua escolha na primeira rodada, que também foi a primeira escolha geral do draft.

San Diego Chargers[editar | editar código-fonte]

2004[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2004, Rivers assinou um contrato de seis anos valendo US$40,5 milhões dólares com o San Diego Chargers. No entanto, devido a longa negociação do contrato com os Chargers, Rivers apenas assinou o acordo somente na última semana de treinamentos. Como resultado, o Chargers deu ao quarterback Drew Brees a oportunidade de manter-se como titular no início da temporada. Com quase tempo nenhum no training Camp (treinamento antes da temporada), Rivers foi incapaz de lutar pela posição com Drew Brees durante a pré-temporada de 2004. Rivers começou a temporada terceiro reserva dos Chargers, atrás de Doug Flutie, mas na frente do QB Cleo Lemon. Infelizmente para Rivers, Brees passou a ter, de longe, a melhor temporada de sua carreira naquele momento. Até o final daquele ano, Brees foi nomeado para o Pro Bowl e ganhou o prêmio NFL Comeback Player of the Year. Rivers não teve muito tempo para jogar na temporada de 2004, jogando apenas duas partidas. Ele só jogou na segunda metade do último jogo da temporada, uma vitória sobre o Kansas City, e nessa altura os Chargers já tinham conquistado uma vaga nos playoffs em casa e o título da divisão AFC West.

2005[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Rivers virou segundo quarterback após o Chargers terem dispensado Doug Flutie, que mais tarde assinou com o New England Patriots. Rivers foi incapaz de bater Drew Brees e virar o QB titular dos Chargers na pré-temporada de 2005. No ultimo jogo da temporada de 2005, em casa, no Qualcomm Stadium, Rivers entrou no jogo após Brees deslocar o ombro direito no final do segundo quarto devido a uma pancada do safety John Lynch do Denver Broncos. Rivers completou 12 de 22 passes para 115 jardas com uma interceptação e dois fumbles. O Chargers perderam para o Denver por 20 a 7.

2006[editar | editar código-fonte]

Rivers em 2006.

Para a temporada de 2006, o QB Drew Brees foi dispensado pelos Chargers, em parte devido a uma lesão sofrida em um jogo contra Denver. Rivers virou então titular durante os treinamentos. As expectativas eram altas para Rivers, devido à grande quantidade de talentos no San Diego Chargers.

Projetava-se que os Rivers se tornaria uma estrela da NFL antes da temporada de 2006 devido a sua porcentagem de conclusão espetacular na faculdade (72% no ultimo ano). Depois de apenas 5 jogos como titular na NFL, Rivers foi nomeado o segundo melhor quarterback da liga com menos de 25 anos pela Sports Illustrated [1] e fizeram comparações numerosas com Dan Marino por ele passar rápido e também por sua presença no pocket.

Em 11 de setembro de 2006, Rivers começou contra o Oakland Raiders. Rivers controlou bem o jogo, apesar de passar apenas 11 vezes, mas completou oito passes, um para touchdown na vitoria de 27 a 0 em cima dos Raiders. Após seu primeiro jogo, Rivers liderou a NFL em com um rating de 133,9.[2]

Na quinta semana da temporada, o campeão do Super Bowl, o Pittsburgh Steelers, foi jogar contra San Diego no Qualcomm Stadium e um plano de Bill Cowher na defensa era parar o running back dos Chargers, LaDainian Tomlinson. Este jogo marcou um ponto de virada para Rivers, que conduziu a equipe à vitória completando 24 de 37 passes para 242 jardas e dois TDs, na vitória por 23 a 13.[3]

2007[editar | editar código-fonte]

Norv Turner assumiu como treinador dos Chargers em 2007. Depois de um começo 1-3, o time encontrou seu ritmo, terminando aquele ano com 11 vitórias e 5 derrotas, vencendo a AFC West pelo o segundo ano consecutivo. Os Chargers também venceram seus dois primeiros jogos do playoff pela primeira vez desde a temporada de 1994, batendo o Tennessee Titans e o Indianapolis Colts, antes de cair para os Patriots na final da AFC pelo placar de 21 a 12.

Após perder os playoff, Rivers revelou que presisava de uma cirurgia para reparar o seu ligamento cruzado anterior, lesão que ele tinha sofrido durante os playoffs. Esta operação exigiria recuperação de seis meses. No entanto, Philip prometeu estar de volta a tempo de treinar antes do início da temporada de 2008 e assim ele o fez.[4]

2008[editar | editar código-fonte]

Em 2008, Rivers teve o maior rating da carreira, 105.5, com 34 passes para touchdown (recorde da franquia, que pertencia a Dan Fouts que fez 33 em 1981) ele também foi líder da NFL nesta estatística e o melhor na temporada em jardas por passe, com 8.4.[5] Depois de começar perdendo 8 dos primeros 12 jogos, Rivers lançou 11 passes para touchdown e uma interceptação para ganhar as quatro últimas partidas da temporada, ganhando a divisão AFC Oeste, contra o Denver Broncos, levando-os para os playoffs contra os Colts. Em 3 de janeiro de 2009, o San Diego Chargers venceu o Indianapolis Colts por 23 a 17 avançando na pós-temporada mas acabaram sendo derrotados novamente pelos Patriots.

2009[editar | editar código-fonte]

Em 24 de agosto de 2009, Rivers prolongou seu contrato por 6 anos com o salário de US$92 milhões de dólares.[6] Ele terminou a temporada de 2009 com um QB Rating de 104.4, o terceiro mais alto em toda a NFL, depois de passar para 4.254 jardas, 28 TD, com apenas 9 intercepções. Rivers foi votado pela segunda vez para o Pro Bowl em 29 de dezembro. Ele levou os Chargers para o segundo lugar na AFC com uma campanha de 13 vitórias e apenas 3 derroas, empatado como o segundo melhor da NFL. No playoff de divisão, Rivers foi completou 27 de 40 passes para 298 jardas, lançando para um touchdown e foi interceptado duas vezes. O Chargers perderam de 17 a 14 para o New York Jets, que por sua vez foi derrotado por 30 a 17 pelo Indianapolis Colts na Final da AFC.

2010[editar | editar código-fonte]

Rivers liderou a liga em jardas nesta temporada, lançando para 4 710 jardas - 10 jardas a mais que o segundo lugar, Peyton Manning - e ainda lançou 30 touchdowns. Os Chargers começaram o ano devagar com três vitórias em oito jogos e terminaram com nove vitórias e sete derrotas.[7] [8] Rivers acabou sendo convidado para o Pro Bowl de 2011, o quarto de sua carreira, e começou o jogo no lugar do machucado Tom Brady.[9] [10] Esta foi a primeira vez que ele jogou num Pro Bowl, por duas vezes perdendo o jogo por contusão e em uma devido ao nascimento da sua filha em 2010.[10] Rivers foi eleito NFL Alumni Player of the Year Award como quarterback em 2010, em cima de Tom Brady, e também foi eleito MVP (Melhor Jogador) pela Associated Press.[11]

2011[editar | editar código-fonte]

No ano de 2011, Rivers terminou com um percentual de 62,9% de acerto, completando 582 passes de 366 com 20 interceptações e mais 27 touchdowns. Contudo, pelo segundo ano seguido, os Chargers não se classificaram para os playoffs, com uma campanha de 8 vitórias em 16 jogos.[12]

2012[editar | editar código-fonte]

Rivers e os Chargers começaram 2012 com uma vitória por 22 a 14 sobre o Oakland Raiders. Rivers lançou para 231 jardas e marcou um touchdown.[13] Na semana seguinte, ele passou para tr~es touchdowns contra o Tennessee Titans.[14] Na semana 4, Rivers fez seu centésimo jogo pelos Chargers.[15]

Porém, apesar do bom começo, os Chargers acabaram vencendo apenas 7 jogos e não foram aos playoffs novamente. Rivers terminou o ano de forma inconsistente com 26 touchdowns, 15 interceptações e 3 606 jardas.[16]

2013[editar | editar código-fonte]

Rivers em 2013.

Rivers acumulou 35 interceptações nas duas temporadas anteriores, o que levou muitos a crer que sua carreira estava em declínio.[17] [18] Ele começou a temporada com um novo treinador, Mike McCoy, e acabou cometendo menos erros. Na semana 2, na vitória sobre o Philadelphia Eagles, ele lançou para 419 jardas e 3 touchdowns. Duas rodadas depois, veio outra vitória, desta vez sobre o Dallas Cowboys, onde Philip Rivers quebrou o recorde da NFLde percentual de passes completados (83%) para um quarterback que lançou pelo menos 400 jardas (401), 3 touchdowns e uma interceptação. Na semana 7, ele passou das 30 000 jardas na carreira. Rivers é o segundo na história dos Chargers em termos de jardas lançadas, atrás apenas de Dan Fouts. Ele terminou o ano sendo selecionado para o Pro bowl pela quinta vez na carreira. Na ultima partida na temporada, contra o Kansas City Chiefs, Philip liderou seu time em um empate no tempo regulamentar e então guiou uma campanha para vencer o jogo na prorrogação e garantir que seu time chegasse aos playoffs como time de sexta melhor campanha na AFC. Com um jogo corrido melhor e uma linha ofensiva mais robusta, o jogador liderou a liga com o melhor percentual de conversão de terceiras decidas da NFL, com 49,4%.[17]

Na pós-temporada, os Chargers foram até Cincinnati para enfrentar, na rodada de repescagem, os Bengals time que estava invicto em casa no ano. Contudo, San Diego conseguiu vencer o adversário por 27 a 10 com uma boa atuação de Rivers.[19] Na semana seguinte, nos playoffs de divisão, buscando uma vaga na final de conferência, o time foi enfrentar o Denver Broncos na casa do adversário. Apesar dos bons números, Philip não conseguiu liderar sua equipe a vitória, sofrendo uma amarga derrota por 24 a 17, sofrendo a eliminação pelo terceiro ano seguido na segunda rodada dos playoffs.[20] O jogador foi nomeado, após a temporada, o Comeback Player of the Year.[21]

Números[editar | editar código-fonte]

Temporada regular[editar | editar código-fonte]

Ano Time J JT Passando a bola
Comp Ten Pct% Jardas Média TD Int Rtg
2004 SD 2 0 5 8 62,5% 33 16.5 1 0 110,9
2005 SD 2 0 12 22 54,5% 115 5,2 0 1 50,4
2006 SD 16 16 284 460 61,7% 3 388 7,4 22 9 92,0
2007 SD 16 16 277 460 60,2% 3 152 8,4 21 15 82,4
2008 SD 16 16 312 478 65,3% 4 009 8,4 34 11 105,5
2009 SD 16 16 317 486 65,2% 4 254 8,6 28 9 104,4
2010 SD 16 16 357 541 66% 4 710 8,7 30 13 101,8
2011 SD 16 16 366 582 62,9% 4 624 7,9 27 20 88,7
2012 SD 16 16 338 527 64,1% 3 606 6,8 26 15 88,6
2013 SD 16 16 378 544 69,5% 4 478 8,2 32 11 105,5
Total 132 128 2 646 4 108 64,4% 32 369 7,9 221 104 96,0

Pós-temporada[editar | editar código-fonte]

Ano Time J JT Passando a bola
Comp Ten Pct% Jardas Média TD Int Rtg
2006 SD 1 1 14 32 43,8% 230 7,2 0 1 55,5
2007 SD 3 3 52 86 60,5% 767 8,9 4 4 85,8
2008 SD 2 2 41 71 57,7% 525 7,4 3 2 83,4
2009 SD 1 1 27 40 67,5% 298 7,5 1 2 76,9
2013 SD 1 1 12 16 75% 128 8,0 1 0 118,8
Total 8 8 146 245 59,5% 1 948 7,9 9 9 84,8

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Rivers e sua mulher, Tiffany, começaram a namorar na sétima série e se casaram em 2001. Eles têm quatro filhas e um filho. Rivers é um bom amigo do pitcher do Chicago White Sox Jake Peavy, que também estudou no Alabama e, até 2009, também jogou em San Diego com os Padres.[22]

Em 31 de janeiro de 2010, a filha mais nova de Philip, Sarah Catherine nasceu. Era para ele ser o quarterback de partida para a equipe da AFC no Pro Bowl no mesmo ano, mas ele voltou do sul da Flórida por causa do nascimento de sua filha.

Referências

  1. SI.com - Photo Gallery - Ranking Top 10 Young QBs: 25 and Under
  2. NFL Game Center: Game Recap - San Diego Chargers at Oakland Raiders - 2006
  3. NFL Game Center: Game Recap - Pittsburgh Steelers at San Diego Chargers - 2006
  4. Sky Sports Rivers set for surgery
  5. Rivers passes legendary Fouts[ligação inativa] da UnionTrib.com, 28 de dezembro de 2008.
  6. Len Pasquarelli (24 de agosto de 2009). Source: Rivers' extension worth $92M ESPN.com. Visitado em 25 de agosto 2009.
  7. Chargers hold off Broncos' rally in finale - NFL - CBSSports.com Game Recap Cbssports.com (2 de janeiro de 2011). Visitado em 25 de setembro de 2011.
  8. Howard, Johnette. "Philip Rivers as Dan Marino", ESPN.com, 16 de dezembro de 2010.
  9. "NFC reels in five picks to throttle AFC in Pro Bowl", ESPN.com, 30 de janeiro de 2011. Página visitada em 31 de janeiro de 2011. “Rivers, starting in place of injured Tom Brady, was picked off twice in the first quarter, the second by Hall.”
  10. a b Jenkins, Chris. "Gates, Dielman, Rivers voted to Pro Bowl", 28 de dezembro de 2010.
  11. Graham, Tim. "NFL alumni pick Rivers over Brady", ESPN.com, 7 de fevereiro de 2011.
  12. Canepa, Nick. "Rivers tops Fouts as best Chargers QB; with poll", p. D-1.
  13. CBSSports.com wire reportsSep. 11, 2012. NFL Recap - San Diego Chargers at Oakland Raiders - Sep 10, 2012 - CBSSports.com Game Recap CBS Sports. Visitado em 18 de outubro de 2012.
  14. CBSSports.com wire reportsSep. 16, 2012. NFL Recap - Tennessee Titans at San Diego Chargers - Sep 16, 2012 - CBSSports.com Game Recap CBS Sports. Visitado em 18 de outubro de 2012.
  15. Gehlken, Michael. "Ironman streak ends for Chargers veteran", September 30, 2012. Página visitada em 3 de outubro de 2012.
  16. 2012 San Diego Chargers
  17. a b Klis, Mike. "Philip Rivers is the emotional heart and soul of the Chargers", 9 de janeiro de 2014.
  18. Calkins, Matt. "Rivers is the Bolts' Map, Compass, and GPS Philip Rivers", 29 de dezembro de 2013.
  19. "Chargers hand Bengals first home loss, head to Denver next". Página acessada em 13 de janeiro de 2014.
  20. "Broncos vencem Chargers e definem duelo Manning x Brady na final da AFC". Página acessada em 13 de janeiro de 2014.
  21. "Philip Rivers Named NFL Comeback Player of Year". Página acessada em 1 de fevereiro de 2014.
  22. Signonsandiego.com/Chargers