Philip de László

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Auto-retrato, 1911.

Philip Alexius de László MVO (Budapeste, 30 de abril de 1869Londres, 22 de novembro de 1937) foi um pintor húngaro conhecido particularmente por seus retratos da realeza e da aristocracia européia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Laub Fülöp Elek era o filho mais velho de um alfaiate judeu. A família mudou seu nome para László, em 1891.

Ainda jovem, László foi aprendiz de um fotógrafo enquanto estudava arte. Quando entrou para a Academia Nacional de Arte, estudou com Bertalan Székely e Károly Lotz. Ele continuou seus estudos indo para Munique e Paris. Em 1900, o seu retrato do Papa Leão XIII foi premiado com a medalha de ouro na Exposição Universal de Paris.

Foi também em 1900 que László desposou Lucy Madeleine Guinness, da rica família irlandesa e protestante Guinness. Eles se conheceram pela primeira vez em 1892, em Munique, mas foram proibidos de verem um ao outro por alguns anos. Tiveram seis filhos juntos.

Em 1903, László saiu de Budapeste e partiu para Viena, na Áustria. Em 1907, mudou-se para a Inglaterra. Ele permaneceu baseado em Londres pelo resto de sua vida, mas continuou viajando ao exterior para atender seus clientes, a maioria composta por nobres.

Os patronos de László concederam-lhe diversas honras e medalhas. Em 1909, ele foi nomeado membro da Real Ordem Vitoriana pelo rei Eduardo VII do Reino Unido. Em 1912, foi elevado à nobreza por Francisco José I da Áustria; seu sobrenome tornou-se "László de Lombos". Mais tarde, a família encurtou-o para "de László".

Embora tivesse obtido a nacionalidade britânica em 1914, ficou confinado por doze meses durante a Primeira Guerra Mundial. Em 1936, ele sofreu um ataque cardíaco. No ano seguinte, teve outro ataque e morreu em sua residência em Hampstead, perto de Londres.

Commons
O Commons possui multimídias sobre Philip de László
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.