Pierre-François-Joseph Robert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tango-nosources.svg
Este artigo ou secção não cita as suas fontes ou referências
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto ou em notas de rodapé.

Pierre François Joseph Robert (1763-1826) foi um político ligado à Revolução Francesa.

Era filho de Jean-François Robert e de Catherine Douhomme. Sucessivamente advogado, professor de direito público na Sociedade Filosófica, jornalista e secretário de Georges Danton. Eleito deputado na Convenção pelo [[département do Sena ([[[1792]]), é principalmente interessando nos assuntos financeiros e torna-se fornecedor do Exército até 1808. Casa-se com Louise-Félicité de Kéralio. A filha do casal, Adélaïde Robert, desposa o célebre musicólogo belga François-Joseph Fétis.

Foi um dos fundadores da "Sociedade dos Amigos dos Direitos do Homem e do Cidadão", em Julho de 1790. Robert também inscreveu-se na "Sociedade dos Amigos da Constituição", na "Sociedade Fraterna dos Jacobinos" e no Clube dos Indulgentes. Em Abril de 1791, torna-se presidente dos Cordeliers que, sob sua influência, passa a admitir mulheres. Em Maio de 1791, François Robert tenta reunir as sociedades populares no seio de um comitê central. É eleito presidente deste comitê, porém os Jacobinos recusam-se a aderir a este comitê central.

Eleito para a Convenção Nacional ao mesmo tempo que a deputado de Paris, vota pela morte do Rei Luís XVI em 20 de Janeiro de 1793.

Quando dos "Cem Dias", François Robert é nomeado sub-prefeito de Rocroi.

Regicida, precisa deixar a França em 1815 e estabelece-se como mercador de licores na Bélgica.

Seu retrato, pintado em 1792 por Jean-Louis Laneuville, está exposto no Museu de Versailles desde 1835.

Galeria virtual[editar | editar código-fonte]

Retrato de P-F-J. Robert par Laneuville

Ícone de esboço Este artigo sobre História da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.