Pietro Ubaldi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pietro Ubaldi
Nome completo Pietro de Alleori Ubaldi
Nascimento 18 de Agosto de 1886
Foligno, província de Perugia, Itália
Morte 29 de Fevereiro de 1972 (85 anos)
São Vicente/Brasil
Nacionalidade Italiana
Ocupação filósofo e Pensador espiritualista italiano

Pietro de Alleori Ubaldi, melhor conhecido como Pietro Ubaldi (Foligno/Itália, 18 de Agosto de 1886São Vicente/Brasil, 29 de Fevereiro de 1972), foi um filósofo e pensador espiritualista italiano.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Sante e de Lavínia Ubaldi, senhora pertencente à nobreza italiana. Aos vinte e cinco anos de idade desposou Antonieta Solfanelli Ubaldi com quem teve três filhos: Franco (morto em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial), Vicenzina (falecida aos dois anos de idade, em 1919), e Agnese (falecida em São Vicente (SP), em 1975).

Formado em Direito (profissão que jamais exerceu) e Música, falava fluentemente inglês, francês, alemão, espanhol e português, além de conhecer também o latim e o grego. A sua tese de formatura, na Universidade de Roma, com o título "Expansão Colonial e Comercial da Itália para o Brasil", foi publicada em 1911, num volume de 266 páginas pela Editora Ermano Loescher & Cia, em Roma. Após a defesa dessa tese, recebeu do pai, como prêmio, uma viagem aos Estados Unidos, durante seis meses.

Fez concurso para professor de língua inglesa, foi aprovado e nomeado para o Liceu Tomaso Campanella, em Módica, na Sicília, onde trabalhou apenas um ano letivo. Em 1932 fez novo concurso e foi colocado na Escola Média Estadual Otaviano Nelli, em Gúbio, ao norte da Itália, mais próximo da família. Aqui lecionou durante duas décadas, vivendo em um quarto humilde de pensão.

Viveu parte de sua vida na Itália e parte no Brasil. Conheceu vários países. Em 1927, diante do falecimento de seu pai, fez voto de pobreza, transferindo à família os bens que lhe eram de direito.

Faleceu no Hospital São José, em São Vicente, quarto nº 5, à 0:30 hora, em 29 de fevereiro de 1972.[1]

Obra[editar | editar código-fonte]

Tendo dedicado boa parte da vida ao estudo da filosofia e da religião, escreveu diversas obras sobre o tema, num viés espiritualista e universalista.[1] Ao longo delas, procurou demonstrar a existência de uma Lei Natural, segundo os princípios de Sócrates e de Platão.

Metade dessa obra foi escrita na Itália e a outra metade no Brasil. O livro "A Grande Síntese", escrito entre 1932 e 1935, é tido como uma das suas principais obras, versando sobre uma proposta de compreensão unificada entre as formas de conhecimento humano.[1]

  • Grandes Mensagens Introdução e início da obra de Ubaldi, considerada por ele "de origem exclusivamente inspirativa". A edição brasileira apresenta uma biografia do autor.
  • A Grande Síntese Começa com a epígrafe "Síntese e Solução dos Problemas da Ciência e do Espírito". Traça o caminho que o ser percorreria por meio da evolução, desde o "plano da matéria" até o "do espírito", e mostra a "via de retorno a Deus", que seria o fenômeno fundamental do Universo e escopo supremo da Vida. O problema da consciência é sintetizado numa visão unitária e monista.
  • As Noúres Fala sobre "Técnica e Recepção das Correntes de Pensamento". Defende a existência de tais correntes e procura explicar como elas poderiam ser "captadas" pela intuição.
  • Ascese Mística Explica o fenômeno místico e descreve a experiência do autor nesse campo.
  • História de um homem O autor analisa as várias fases da vida, sobretudo em função de A Grande Síntese e Ascese Mística, que foram colocados pela Igreja, em 1939, no Index dos livros proibidos.
  • Fragmentos de Pensamento e de Paixão Aplicação dos princípios expostos nos volumes precedentes, dos problemas individuais e sociais. Os ideais franciscanos. A "verdadeira religião".
  • A nova civilização do terceiro milênio O autor mostra que a idéia central, o escopo da obra, é o de contribuir conceptualmente para a formação de uma "nova civilização" que estaria para surgir. Faz previsões sobre o novo Cristianismo e estuda o fenômeno místico vivido por São Francisco.
  • Problemas do futuro (O Problema Psicológico, Filosófico, Científico) Propõe e apresenta solução aos problemas mais díspares, fundamentais ao Conhecimento.
  • Ascensões humanas (O Problema Social, Biológico e Místico) O autor volta a observar a evolução da vida no aspecto espiritual.
  • Deus e Universo Síntese teológica. Começa a enfrentar em linhas gerais o problema das primeiras origens do Universo e o aspecto cósmico do ciclo involução-evolução do ser.
  • Profecias O autor faz profecias que se cumpriram integralmente. Explica Nostradamus, o Apocalipse e os profetas do Velho Testamento.
  • Comentários Apresenta opiniões e críticas à primeira obra, escrita até 1951. Inclusive a carta de Albert Einstein.
  • Problemas atuais (O Novo Mundo) Faz uma crítica à Maquiavel, tratando da Estabilidade Monetária, da Patogênese do Câncer e da Teoria da Reencarnação.
  • O Sistema (Gênese e Estrutura do Universo) É uma teologia científica que traça o caminho da existência do ser e as primeiras origens, mostrando a Obra de Deus na Criação.
  • A Grande batalha Descreve a luta que o indivíduo espiritualizado deve sustentar no ambiente terrestre, diante da necessidade prática contrastando com o Ideal.
  • A Lei de Deus Com palavras simples, explica como funciona, no mundo, o pensamento diretivo de Deus.
  • A Técnica funcional da Lei de Deus Mostra o mecanismo da forças espirituais em ação; as trajetórias e ações; como se pode corrigir os destinos errados; qual é a técnica da redenção e salvação e como, racionalmente, se planifica a vida.
  • Queda e Salvação É uma continuação de O Sistema. Analisa o fenômeno da involução do espírito até a matéria (a descida), anterior e complementar ao fenômeno da evolução (subida), estudado em A Grande Síntese.
  • Princípios de uma nova ética Trata-se de uma nova moral racional, construída sobre bases científicas. Estuda a personalidade humana e o destino, sob uma nova psicanálise, psicodiagnose, psico-síntese, e a ética do sexo como fenômeno social.
  • Pensamentos Mostra como orientar-se na vida, e, através de casos verídicos, como é possível observar o funcionamento da Lei de Deus.
  • Cristo Analisa a personalidade de Jesus Cristo, o Evangelho e os problemas sociais. Cristo é pensado nessa obra como "o centro do fenômeno evolução-redenção-salvação".[2]

Referências

  1. a b c d [1] Biografia resumida. Acessado em 06 de junho de 2009
  2. Obras de Pietro Ubaldi. Acessado em 06 de junho de 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Pietro Ubaldi