Pilõezinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pilõezinhos
Bandeira de Pilõezinhos
Brasão de Pilõezinhos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 27 de dezembro
Fundação 27 de dezembro de 1963
Gentílico pilõezinhense
Lema Construindo o futuro
Prefeito(a) Rosinaldo Lucena Mendes (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Pilõezinhos
Localização de Pilõezinhos na Paraíba
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Agreste Paraibano IBGE/2008 [1]
Microrregião Guarabira IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Guarabira
Municípios limítrofes Guarabira, Cuitegi, Pilões e Pirpirituba.
Distância até a capital 111 Km km
Características geográficas
Área 43,900 km² [2]
População 5 155 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 117,43 hab./km²
Altitude 133 m
Clima Tropical chuvoso
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,531 baixo PNUD/2000 [4]
PIB R$ 19 229,841 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 514,87 IBGE/2008[5]
Página oficial

Pilõezinhos, município no estado da Paraíba (Brasil), localizado na Microrregião de Guarabira, no brejo paraibano. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2010 sua população era de 5.155 habitantes. Área territorial de 44 km².

História[editar | editar código-fonte]

Inicialmente habitada pelos índios Aratus, Cariris e Potiguaras. Os Aratus e Cariris nativos que ocuparam essas terras ficaram conhecidos pela produção de peças cerâmicas, cestaria e pelo cultivo de milho, feijão, mandioca e amendoim. As estimativas são de que os índios Aratus e Cariris tenham vivido nessa região antes da colonização do Brasil, por volta de 1400. Depois essas terras foram habitadas pelos índios Potiguaras, as terras que hoje formam a cidade de Pilõezinhos tiveram como colonizadores, os portugueses que instalaram seus engenhos de cana-de-açúcar na região, por volta do ano de 1750. Segundo conta a tradição, as terras onde hoje é o município de Pilõezinhos, foi de um senhor por nome de Cândido Moisés. Homem este que era muito rico e dono de quase toda a área da cidade, tinha dois engenhos, e uma casa que hoje é patrimônio histórico. Antes de se chamar Pilõezinhos, a cidade teve dois nomes: Vila de Vera Cruz e Vila de Santa Cruz. Com o passar do tempo foi encontrado pequenos pilões em uma pedra que são provenientes da idade Pré Cambriana média, cuja idade varia entre 500 milhões de anos. Designam-se comumente como pré-cambrianos os terrenos formados durante essa era. Esses pilões constituem-se de rochas metamórficas (gnaisses, xistos) intensamente dobradas e falhadas e rochas ígneas (granitos de anos, localizado próximo á zona urbana considerado patrimônio municipal). Porém na metade do século XIX a região conhecida por vila de Vera Cruz foi assolada por epidemia de colera que matou a metade dessa população e principalmente a mão-de-obra escrava, mão- de obra essa que movia os engenhos. No início do século XX foram surgindo os primeiros núcleos habitacionais. A povoação floresceu e foi construída uma capela e um cruzeiro sob a invocação de seu padroeiro São Sebastião. Capela está, que foi construída por uma promessa, que salvou a população da cólera. Foi criado um novenário de 11 a 19 de janeiro. Este que já dura mais de 157 anos de tradição.


Em 1951, a Lei Estadual nº 652 de 05 de dezembro de 1951 cria o distrito de Pilõezinhos, pertencendo ao município de Guarabira. Em 27 de dezembro de 1963, a lei estadual nº 3128, cria o Município de Pilõezinhos, sendo desmembrado do município de Guarabira.

Localização[editar | editar código-fonte]

A Cidade de Pilõezinhos pertence à (microrregião de Guarabira e à mesorregião Agreste Paraibano ), distante apenas 6 km da cidade de Guarabira.

Religião[editar | editar código-fonte]

Em Pilõezinhos é predominante a fé católica, embora haja igrejas protestantes, como: Batista, Assembleia de Deus e Congregacional.

Festas tradicionais[editar | editar código-fonte]

As festas do município de Pilõezinhos é baseada na religião (no caso,catolicismo), a tradicional festa de São Sebastião é uma festa que movimenta a cidade, além de ser a mais tradicional da região, ela ainda leva em suas procissões os estandartes, bandeiras e os anjos e santos, além do homenageado São Sebastião. Tem seu início no dia 11 de janeiro e seu término no dia 19 de janeiro, se comemorar esta data tornou-se tradição, tradição esta, que dura mais de 157 anos.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios da Paraíba é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.