Pinacoteca dos Mestres Antigos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Galeria Semper
Giorgione: Vênus adormecida, c. 1510.

A Pinacoteca dos Mestres Antigos (Gemäldegalerie Alte Meister) é um importante museu de arte da Alemanha, localizado em Dresden e instalado na ala Gottfried Semper do palácio Zwinger. A Pinacoteca possui um magnífico acervo de cerca de 700 obras-primas da pintura antiga, e faz parte da Coleção Estatal de Arte de Dresden (Staatliche Kunstsammlungen Dresden).

O prédio[editar | editar código-fonte]

O Zwinger (Prisão) é uma mas mais significativas construções do Barroco alemão. Originalmente era uma fortaleza, e guardava as coleções de arte e a biblioteca do eleitorado, mas no reinado de Augusto, o Forte, o edifício foi destinado ao uso da corte. Matthäus Daniel Pöppelmann, Balthasar Permoser e Gottfried Semper realizaram reformas que lhe emprestaram o atual aspecto, com feérica decoração e o acréscimo de novas galerias. Além da Pinacoteca o Zwinger abriga também diversas outras coleções:

  • A Coleção de Porcelanas (Porzellansammlung)
  • O Salão da Matemática e da Física (Mathematisch-Physikalischer Salon)
  • A Armaria (Rüstkammer)
  • A Coleção de Esculturas (Skulpturensammlung)
  • A Galeria dos Mestres Novos (Galerie Neue Meister)

O acervo[editar | editar código-fonte]

O renome mundial da Pinacoteca se assenta não na quantidade, mas na qualidade das peças de seu acervo, que tem uma ênfase na pintura do Renascimento ao Barroco italiano e na arte flamenga e holandesa do século XVII. A pintura alemã, espanhola e francesa também estão belamente representadas.

A maior parte da coleção foi reunida num breve espaço de cinqüenta anos pelos reis Augusto, o Forte, e seu filho Augusto III, e em especial o último era um grande colecionador de gosto apurado, realizando muitas aquisições das quais se destaca a da coleção do Duque de Módena. Nesta época as obras estavam depositadas em Neumarkt, num antigo estábulo reformado. O curto período de formação do acervo principal tornou esta coleção extremamente coesa, oferecendo uma visão do colecionismo alemão no século XVIII.

A nova galeria que Semper projetou para receber este acervo foi erguida entre 1847 e 1855. Foi severamente danificada na II Guerra Mundial, mas as obras de arte já estavam seguras em outros depósitos, e depois da guerra seguiram para a União Soviética. Com o anúncio da devolução das obras pelo governo russo, foi decidida a reconstrução da galeria, reaberta ao público em 1960. Entre 1988 e 1992 foram realizadas renovações importantes em seus equipamentos expositivos, mas preservando a arquitetura original.

Dos mestres mais célebres expostos na Pinacoteca estão Botticelli, Dürer, Lucas Cranach, Rafael, Vermeer,Giorgione, Ticiano, El Greco, Correggio, Canaletto, Rembrandt, Rubens, Ribera, Murillo, Poussin, Jordaens e Van Dyck.

Outras obras[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Pinacoteca dos Mestres Antigos