Pinealócito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Secção transversal da glândula pineal mostrando pinealócitos e outras células

Os pinealócitos são as principais células da glândula pineal e são responsáveis pela produção e secreção de melatonina, um hormônio importante na regulação dos ritmos circadianos.[1] Esse tipo de célula possui uma organela chamada de fita sináptica, esta é considerada um marcador específico para pinealócitos. Algumas das enzimas do pinealócitos incluem 5-HT N-acetil transferase e 5-hidroxiindole-O-metiltransferase, que são utilizados para converter a serotonina em melatonina.

Os pinealócitos secretam melatonina em seus capilares através de longos processos citoplasmáticos que lembram os axônios dos neurônios. A secreção de melatonina é estimulada pela inervação simpática do gânglio cervical superior. Eles também têm processos citoplasmáticos mais curtos que se conectam com pinealócitos adjacentes via desmossomos.

Pinealócitos têm grandes núcleos irregulares com nucléolos proeminentes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pandi-Perumal, S. R., V. Srinivasan, G.J. M. Maestroni, D. P. Cardinali, B. Poeggeler, and R. Hardeland. (2006). "Melatonin". FEBS Journal 273 (13): 2813–838. DOI:10.1111/j.1742-4658.2006.05322.x.
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia celular é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.