Pinhalão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pinhalão
Bandeira de Pinhalão
Brasão de Pinhalão
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1951
Gentílico pinhaloense
Prefeito(a) Claudinei Benetti (PSD)
(2009–2012)
Localização
Localização de Pinhalão
Localização de Pinhalão no Paraná
Pinhalão está localizado em: Brasil
Pinhalão
Localização de Pinhalão no Brasil
23° 47' 34" S 50° 03' 21" O23° 47' 34" S 50° 03' 21" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Norte Pioneiro Paranaense IBGE/2008[1]
Microrregião Ibaiti IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Tomazina, Ibaiti, Arapoti, Japira, Jaboti
Distância até a capital 198,1531 km
Características geográficas
Área 220,692 km² [2]
População 6 210 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 28,14 hab./km²
Altitude 601 m
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,707 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 57 858,174 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 595,05 IBGE/2008[5]
Página oficial

Pinhalão é um município brasileiro localizado no interior do estado do Paraná. Pertence à Mesorregião do Norte Pioneiro Paranaense e à Microrregião_de_Ibaiti e localiza-se a noroeste da capital do estado, distando desta cerca de 198 km. Ocupa uma área de 220,692 km², sendo que 3,532 estão em perímetro urbano, e sua população em 2014 foi estimada em 6 210 habitantes.

A sede tem uma temperatura média anual de 14,2 °C e na vegetação do município predomina a Floresta Ombrófila Mista. Com 63,14% de seus habitantes vivendo na zona urbana, o município contava, em 2009, com oito estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,707, considerando como alto em relação ao estado.

Levando em consideração os trilhos da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande, iniciando a partida de Tomazina destinando às terras das quais é proprietário, onde se construiria uma estação ferroviária, Geraldo Vieira da Fonseca, tendo o desejo de incentivo de progredir a região, teve a necessidade de providenciar a formação do patrimônio, sendo executando o seu traçado, abrindo ruas, demarcando, medindo os lotes e muitas outras coisas. Em 24 de fevereiro de 1924, foi inaugurada oficialmente a Estação Ferroviária de Pinhalão, cujo nome se originou porque existiam muitos pinheiros na localidade. O Governo do Paraná criou o município de Pinhalão pela Lei n° 790 de 14 de novembro de 1951 e instalou oficialmente em 14 de dezembro de 1952, se desmembrando de Tomazina e Ibaiti.

História[editar | editar código-fonte]

Origens e povoamento[editar | editar código-fonte]

A história de Pinhalão teve início quando o povoado se originou de uma estratégia comercial de excelente montagem, cujo executor foi Geraldo Vieira da Fonseca em 1932. Fazendo a previsão de que os trilhos da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande fariam a passagem por suas terras, Geraldo estava certo, e tentando dar o incentivo ao progresso local, passou a ser o fundador da povoação, perto do local onde se instalaria uma estação ferroviária.

Homem dotado de inteligência e dinamismo, Geraldo Fonseca traçou o patrimônio, fez a abertura de ruas e a demarcação de lotes urbanos de quarteirões. A primeira rua que Geraldo abriu foi a da caixa-d'água. Foi um verdadeiro picadão, que fazia a passagem pelo centro do local e daria na caixa d'água, que os pedreiros estavam construindo perto da futura estação. Outro procedimento ao qual iniciou foi o de construir uma capela, que se consagrou a Nossa Senhora de Aparecida, santa padroeira local. Exatamente na parte da frontal desse pequeno templo devocional, Geraldo Vieira passou a ser o construtor da mais antiga casa do povo, onde residiu até a sua morte.

Não teve grande tempo de demora a chegada de novas levas de famílias para a povoação, entre elas merecem destaque as de Bonifácio Rodrigues da Cruz, Manoel Fariz Martinez, José Moreira Paes e Frutuoso Pereira dos Santos. Para as primeiras famílias uma grande quantidade de outras vieram a andarem juntas.

No dia 24 de fevereiro de 1924, se inaugurou o trecho ferroviário, e a Estação Ferroviária se abre ao público passando a se chamar Pinhalão, nome perpetuado com o passar dos tempos.

Formação administrativa e etimologia[editar | editar código-fonte]

A Lei nº 48 de 7 de outubro de 1936 foi a legislação criadora do Distrito Judiciário de Pinhalão, tendo sua instalação ocorrida em 16 de fevereiro de 1937, estando presente o interventor federal Manoel Ribas. Na ocasião, tomaram posse como autoridades distritais mais antigas em atividade os senhores Frutuoso Pereira dos Santos e Manoel Fariz Martinez, como juízes de paz, e como subdelegado de polícia o senhor José Moreira Paes.

Pinhalão se elevou à categoria de município dotado de autonomia pela Lei Estadual nº 790, de 14 de novembro de 1951, e foi instalado em 14 de dezembro de 1952, sendo primeiro prefeito empossado o senhor Francisco Nogueira, que teve seu mandato incompleto porque morreu prematuramente. Foi substituído por José Pereira dos Santos. O segundo prefeito foi o senhor Calixto Domingos. Os mais antigos vereadores em exercício foram: Presidente Elias Domingos, 1º Secretário Alvaro Alfieri, 2º Secretário Jamil Wahl, Pedro de Castro, José Pereira dos Santos, Antonio de Oliveira Mariano, Antonio Gomes de Oliveira e Sebastião Alves Sobrinho.

Define-se o termo Pinhalão como o aumentativo de Pinhal, o qual é a designação de uma variedade de árvore. É originário da própria geografia do município, referindo-se ao pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia), espécie da qual existem muitos indivíduos na região onde ocorreu o surgimento do município.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 220,692 km², sendo que 3,532 km² constituem a Zona_urbana e os 217,16 km² restantes fazem parte da Zona_rural.[6] Situa-se a 23°47'34" de latitude sul e 50°03'21"” de Longitude oeste e está a uma distância de 198 quilômetros a oeste da capital paranaense. Limita-se ao norte com Jaboti; a nordeste com Tomazina; ao sul e a leste com Arapoti; a oeste com Ibaiti; e a noroeste com Japira.

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Pinhalão se localiza no Segundo Planalto Paranaense, sendo apresentados, geralmente, acidentes na topografia. As regiões mais declivadas se localizam ao sul e a sudoeste do município com áreas pelas quais são apresentadas até 20% de áreas declivadas.

A bacia pela qual é drenado o município chama-se a bacia hidrográfica do Rio das Cinzas, que deságua no Rio Paranapanema.

O município é possuidor de uma diversidade de rios e riachos que dão a contribuição para enriquecer o solo, merendo destaque:

  • Rio das Cinzas, a sudeste do município de Pinhalão, faz a delimitação de um trecho limítrofe com o município de Tomazina. 
  • Rio Ribeirão Grande pelo qual é adentrado o perímetro urbano da cidade de Pinhalão, nasce no município de Ibaiti e deságua no Rio das Cinzas.
  • Ribeirão Anta Brava ou do Café, ao sul, faz a delimitação da divisa do município de Pinhalão com o município de Arapoti.

E demais rios como o Rio Taquara, Ribeirão Duas Barras, Ribeirão do Saltinho, Ribeirão Bonito, Ribeirão da Campina e Ribeirão do Lajeado, Ribeirão do Lajeadinho, e Ribeirão da Água Fria e Ribeirão da Pedrilha.

Clima[editar | editar código-fonte]

Pinhalão tem um clima subquente superúmido com subseca. A temperatura média anual tem variação entre 19 graus ao sul e 21 graus ao norte, sendo o mês de fevereiro o de maior calor e o mês de julho o de maior resfriamento. Na porção norte e leste o verão tem maior força do que no sul do município.

São temperaturas máximas médias anuais de 26 graus e temperaturas mínimas médias com variação de 14 até 15 graus. Caem chuvas em média entre 1.300mm e 1.400mm de precipitação ao ano. A umidade relativa do ar do município é compreendida num intervalo médio de 75% até 80%.

Ecologia e meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População Total: 6.217

  • Urbana: 3.532
  • Rural: 2.685
  • Homens: 3.211
  • Mulheres: 3.006

Densidade demográfica (hab./km²): 0,035

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 10

Expectativa de vida (anos): 75

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2

Taxa de Alfabetização: 88%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,707

  • IDH-M Renda: 0,646
  • IDH-M Longevidade: 0,673
  • IDH-M Educação: 0,802

O principal rio da cidade e o Rio Ribeirão Grande, que ao passar no perímetro urbano, é chamado de Rio Pinhalão. (mais informações visite http://www.pinhalao.com.br/geografia.php)

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. Embrapa Monitoramento por Satélite. Paraná. Visitado em 25 de julho de 2012. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.