Pinto Bandeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pinto Bandeira
"Pinto City"
Da esquerda para a direita: Pereirais, Santuário Nossa Senhora do Rosário de Pompéia

Da esquerda para a direita: Pereirais, Santuário Nossa Senhora do Rosário de Pompéia
Bandeira desconhecida
Brasão de Pinto Bandeira
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 1 de janeiro de 2013 (1 ano)
Gentílico pinto-bandeirense
Lema Progresso e Liberdade
Padroeiro(a) Nossa Senhora do Rosário
CEP 95717-000
Prefeito(a) João Feliciano Menezes Pizzio[1] (PDT)
(2013–2016)
Localização
Pinto Bandeira está localizado em: Brasil
Pinto Bandeira
Localização de Pinto Bandeira no Brasil
29° 5' 52" S 51° 27' 1" O29° 5' 52" S 51° 27' 1" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Nordeste Rio-Grandense
Microrregião Caxias do Sul
Região metropolitana Serra Gaúcha
Municípios limítrofes Bento Gonçalves, Farroupilha, Nova Roma do Sul e Veranópolis
Distância até a capital 138 km
Características geográficas
Área 101 km²
População 2 800 hab. IBGE/2014[2]
Densidade 27,72 hab./km²
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Página oficial

Pinto Bandeira é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Até 31 de dezembro de 2012 foi um distrito do município de Bento Gonçalves, ascendendo à categoria de município com a posse de seus representantes em 1º de janeiro de 2013.

A criação do município Pinto Bandeira foi aprovada em plebiscito em 1996, sendo oficialmente instituída através da lei estadual do Rio Grande do Sul nº 10.749 de 1996. Esta lei foi alterada posteriormente pela lei nº 11.375 de 1999, que mudou a data de implementação do município para 1º de janeiro de 2001.[3]

Pinto Bandeira foi elevado à categoria de município, gozando dessa situação entre os anos 2001 e 2003. No entanto, devido à Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2381-1/RS, requerida pelo então Partido Progressista Brasileiro em 2001, cuja solicitação foi deferida em 2003 pelo Supremo Tribunal Federal, o município foi extinto, restabelecendo-se sua antiga situação[4] .

Em uma nova decisão do Supremo Tribunal Federal, anunciada em 10 de julho de 2010, a ministra Cármen Lúcia considerou válida a Emenda Constitucional nº 57 de 2008, que valida a criação de municípios com lei publicadas até 31 de dezembro de 2006. Com esta decisão, Pinto Bandeira voltaria a ser um município do Rio Grande do Sul.[5] Embora tenha sido aprovado pela decisão do STF, o distrito continuou sob a jurisdição de Bento Gonçalves até que as eleições fossem consumadas, em outubro de 2012, e a posse do novo prefeito e do legislativo em 1ª de janeiro de 2013.

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros imigrantes que se estabeleceram em Pinto Bandeira chegaram em 1876. Até 05 de Maio de 1902, a localidade chamava-se Silva Pinto. A Paróquia de Nossa Senhora da Pompéia só foi criada em 1922, através da iniciativa de um padre, fazendo com que o local passe a se chamar distrito de Nova Pompéia. Em 1938, o nome muda novamente, desta vez para Pinto Bandeira. Esta denominação perdura até hoje. O movimento pró-emancipação de Pinto Bandeira inicia-se em 18 de Abril de 1994. Em 16 de Abril de 1996, através da Lei n.º 10749, o governador do estado cria o município de Pinto Bandeira. A primeira eleição municipal acontece em 1º de Outubro de 2000, e em 1º de Janeiro de 2001 dá-se a instalação do município.

Turismo[editar | editar código-fonte]

  • Cabana Turística Serra Gaúcha

A propriedade oferece passeios a cavalo, trilhas ecológicas, passeios de rural, caminhadas, degustação e mini-cursos de vinhos, visitação a cantinas, entre outros.

  • Rota da Uva e Vinho

A saga imigrante italiano, juntamente com as demais etnias é a grande marca de seu povo. A rota Uva e Vinho apresenta cenários que lembram lindas imagens europeias. A Uva, o Vinho e a diversificada gastronomia são encontrados nos hotéis, pousadas, restaurantes, cantinas, vinícolas e adegas de toda a região.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]